A espécie que vai dominar a Terra quando os humanos morrerem pode ainda nem existir

Com uma possível extinção dos seres humanos, a espécie que poderá vir a assumir o domínio da Terra é ainda uma incógnita. Cientistas especulam que a espécie pode ainda nem existir.

Num futuro pós-apocalíptico, o que poderia acontecer à vida na Terra se os humanos saíssem de cena? Afinal de contas, é muito provável que os humanos desapareçam muito antes de o sol exterminar todos os seres vivos da Terra.

Assumindo que não extinguiremos todas as outros seres vivos à medida que desaparecermos, a história diz-nos que podemos esperar grandes mudanças quando os seres humanos deixarem de ser as espécies animais dominantes do planeta.

Contudo, a dúvida permanece sobre que espécie viria a assumir o controlo da Terra 50 milhões de anos depois do nosso desaparecimento. Antes de qualquer suposição, é preciso explicar cuidadosamente o que significa ser uma espécie dominante.

O mundo sempre foi dominado por bactérias, apesar do fim nominal da “era dos micróbios” ter sido há cerca de 1,2 mil milhões de anos. Isto não aconteceu porque as bactérias deixaram de existir, ou diminuíram em prevalência, mas sim porque tendemos a dar mais importância aos grandes organismos multicelulares que vieram depois.

Alguns relatos indicam que quatro em cada cinco animais é um nematóide (uma espécie de lombriga). Portanto, fica claro que nem a prevalência, abundância ou diversidade são requisitos principais para ser uma forma de vida “dominante”.

Há um inegável narcisismo dos humanos ao designar uma espécie dominante e uma forte tendência a atribuir o título a parentes próximos. O filme “Planeta dos Macacos” imagina que os nossos parentes primatas mais próximos poderiam começar a falar e adotar a nossa tecnologia se lhes dermos tempo e espaço para fazê-lo.

No entanto, é improvável que as sociedades de primatas herdem o nosso domínio da Terra, uma vez que os macacos provavelmente nos precederão à extinção. Os humanos já são o único hominídeo vivo em que o status de conservação não está ameaçado. Aliás, qualquer evento de extinção que afete os seres humanos provavelmente será mais perigoso para os organismos que compartilham os nossos requisitos fisiológicos básicos.

Será que outro parente mais distante desenvolverá inteligência semelhante à humana? Isso também parece improvável. De todas as espécies que foram indiscutivelmente animais dominantes em alguma altura da história da Terra, os seres humanos estão sozinhos na sua notável inteligência e destreza manual.

É um erro profundo imaginar que os nossos sucessores provavelmente sejam criaturas especialmente inteligentes ou sociais, ou que sejam capazes de falar ou de usar a tecnologia humana.

Então, o que podemos seguramente especular sobre as espécies dominantes 50 milhões de anos depois da humanidade? A resposta é tanto insatisfatória quanto emocionante: se por um lado estamos razoavelmente confiantes de que não será um chimpanzé falante, por outro lado não temos ideia de como será.

O mundo passou por várias extinções em massa ao longo da sua história e a diversificação da vida após cada evento foi relativamente rápida. Os répteis que sobreviveram à extinção do Permiano, há cerca de 250 milhões de anos, que matou 90% das espécies marinhas e 70% das terrestres, não eram propriamente mais dominantes do que os dinossauros.

Stephen J. Gould argumentou que o acaso, ou contingência, como o próprio lhe chamou, desempenhou um grande papel durante as principais transições da vida animal. No entanto, a perceção de Gould de que dificilmente podemos prever o sucesso de linhagens modernas além de uma extinção futura é um lembrança da complexidade das transições evolucionárias.

Assim, embora seja possível que, como muitos especulam, as formigas tomem conta da Terra, só podemos imaginar como serão as descendentes de formigas dominantes.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Esta notícia é falsa! Toda a gente sabe que a espécie que cá ficará depois será o Eu!
    Primeiro destrói a humanidade, depois fica por cá sozinho.

RESPONDER

Bancos querem passar a cobrar por grandes depósitos. Particulares escapam

BCP, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos defendem que é preciso cobrar aos grandes clientes por depósitos de grande dimensão. Particulares e pequenas e médias empresas escapariam desta medida. A ideia foi lançada pelo …

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …

Funcionários públicos esperam entre 100 e 280 dias para se poderem reformar. Processo pode ser acompanhado online

A atribuição das novas pensões de reforma aos funcionários públicos está a demorar, em média, entre 100 a 280 dias - ou seja, entre três e mais de nove meses. A revelação foi feita esta terça-feira, …

"Onde está o Varandas?". Claques não faltaram à vitória do Sporting em hóquei em patins

Apesar das quebras de protocolos, Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI marcaram presença no jogo desta terça-feira de hóquei em patins entre o Sporting e a Oliveirense. Na noite desta terça-feira, o Pavilhão João Rocha foi …

Do azedume às contas do passado. Críticos internos atacam Rio

Depois de Rui Rio ter anunciado esta segunda-feira que se recandidata à liderança do PSD, os críticos internos vieram a público. Acusam-no de querer dividir o partido e ajustar contas com o passado e esperam …

"Acho ridículo que sejam feitas obras, portas ou não", diz Ventura

O CDS que não quer o líder do Chega no meio dos seus deputados e a solução pode mesmo passar por abrir uma porta especial para o deputado. "Acho ridículo", comenta André Ventura. Na última conferência …

Duas vitórias em 14 jogos. Benfica quer travar o calvário da Champions

O Benfica recebe esta quarta-feira o Lyon, estando praticamente obrigado a ganhar para seguir em frente na competição milionária. Apesar de reconhecer a dificuldade, Rúben Dias acredita os encarnados vão voltar aos bons resultados. A …