A espécie que vai dominar a Terra quando os humanos morrerem pode ainda nem existir

Com uma possível extinção dos seres humanos, a espécie que poderá vir a assumir o domínio da Terra é ainda uma incógnita. Cientistas especulam que a espécie pode ainda nem existir.

Num futuro pós-apocalíptico, o que poderia acontecer à vida na Terra se os humanos saíssem de cena? Afinal de contas, é muito provável que os humanos desapareçam muito antes de o sol exterminar todos os seres vivos da Terra.

Assumindo que não extinguiremos todas as outros seres vivos à medida que desaparecermos, a história diz-nos que podemos esperar grandes mudanças quando os seres humanos deixarem de ser as espécies animais dominantes do planeta.

Contudo, a dúvida permanece sobre que espécie viria a assumir o controlo da Terra 50 milhões de anos depois do nosso desaparecimento. Antes de qualquer suposição, é preciso explicar cuidadosamente o que significa ser uma espécie dominante.

O mundo sempre foi dominado por bactérias, apesar do fim nominal da “era dos micróbios” ter sido há cerca de 1,2 mil milhões de anos. Isto não aconteceu porque as bactérias deixaram de existir, ou diminuíram em prevalência, mas sim porque tendemos a dar mais importância aos grandes organismos multicelulares que vieram depois.

Alguns relatos indicam que quatro em cada cinco animais é um nematóide (uma espécie de lombriga). Portanto, fica claro que nem a prevalência, abundância ou diversidade são requisitos principais para ser uma forma de vida “dominante”.

Há um inegável narcisismo dos humanos ao designar uma espécie dominante e uma forte tendência a atribuir o título a parentes próximos. O filme “Planeta dos Macacos” imagina que os nossos parentes primatas mais próximos poderiam começar a falar e adotar a nossa tecnologia se lhes dermos tempo e espaço para fazê-lo.

No entanto, é improvável que as sociedades de primatas herdem o nosso domínio da Terra, uma vez que os macacos provavelmente nos precederão à extinção. Os humanos já são o único hominídeo vivo em que o status de conservação não está ameaçado. Aliás, qualquer evento de extinção que afete os seres humanos provavelmente será mais perigoso para os organismos que compartilham os nossos requisitos fisiológicos básicos.

Será que outro parente mais distante desenvolverá inteligência semelhante à humana? Isso também parece improvável. De todas as espécies que foram indiscutivelmente animais dominantes em alguma altura da história da Terra, os seres humanos estão sozinhos na sua notável inteligência e destreza manual.

É um erro profundo imaginar que os nossos sucessores provavelmente sejam criaturas especialmente inteligentes ou sociais, ou que sejam capazes de falar ou de usar a tecnologia humana.

Então, o que podemos seguramente especular sobre as espécies dominantes 50 milhões de anos depois da humanidade? A resposta é tanto insatisfatória quanto emocionante: se por um lado estamos razoavelmente confiantes de que não será um chimpanzé falante, por outro lado não temos ideia de como será.

O mundo passou por várias extinções em massa ao longo da sua história e a diversificação da vida após cada evento foi relativamente rápida. Os répteis que sobreviveram à extinção do Permiano, há cerca de 250 milhões de anos, que matou 90% das espécies marinhas e 70% das terrestres, não eram propriamente mais dominantes do que os dinossauros.

Stephen J. Gould argumentou que o acaso, ou contingência, como o próprio lhe chamou, desempenhou um grande papel durante as principais transições da vida animal. No entanto, a perceção de Gould de que dificilmente podemos prever o sucesso de linhagens modernas além de uma extinção futura é um lembrança da complexidade das transições evolucionárias.

Assim, embora seja possível que, como muitos especulam, as formigas tomem conta da Terra, só podemos imaginar como serão as descendentes de formigas dominantes.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Esta notícia é falsa! Toda a gente sabe que a espécie que cá ficará depois será o Eu!
    Primeiro destrói a humanidade, depois fica por cá sozinho.

RESPONDER

Cientistas criam hidrogel que se cura a si mesmo como a pele humana

A carne artificial, que pode vir a ser essencial para futuros desenvolvimentos em robótica e dispositivos médicos, está cada vez mais próxima de se tornar realidade. Cientistas na Austrália criaram um novo material gelatinoso que, asseguram, …

As estranhas "riscas de tigre" de Encélado foram finalmente explicadas

A lua gelada de Saturno, Encélado, tem despertado especial interesse na comunidade científica desde que foi observada em detalhe pela sonda espacial da NASA Cassini em 2005. Agora, uma equipa de cientistas encontrou resposta para …

Nicolas Bourbaki foi o maior matemático de sempre (mas nunca existiu)

Considerado como um dos maiores matemáticos de sempre, Nicolas Bourbaki não passava de um pseudónimo adotado por um grupo de grandes matemáticos, que revolucionou a matemática como a conhecemos. Nicolas Bourbaki está entre os maiores matemáticos …

No aquário do Tennessee, é uma enguia que acende as luzes da árvore de Natal

A enguia Miguel Wattson é a responsável pelo espírito natalício que se vive no Aquário do Tennessee, nos Estados Unidos. O Aquário do Tennessee, nos Estados Unidos, encontrou uma forma inusitada de celebrar esta época festiva: …

Há 34 anos, Diana dançou com Travolta. Agora, o seu vestido foi vendido por 261 mil euros

O vestido que a Princesa Diana usou para jantar na Casa Branca, em 1985, foi vendido por mais de 261 mil euros. O vestido azul que a Princesa Diana usou num jantar na Casa Branca, em …

Doentes crónicos com baixo nível de literacia em saúde recorrem mais às urgências

Os doentes crónicos e com um nível de literacia em saúde mais baixo utilizam mais vezes os serviços de urgência hospitalares e dos centros de saúde, bem como as consultas de medicina geral e familiar, …

Ártico viveu em 2019 o segundo ano mais quente em 119 anos

O Ártico viveu em 2019 o seu segundo ano mais quente desde 1900, de acordo com um relatório publicado na terça-feira, aumentando receios de degelo e aumento do nível da água. O Polo Norte está a …

Jardineiro encontra por acaso a obra mais procurada de Gustav Klimt. Estava no galeria onde foi roubada

Um funcionário da galeria de arte Ricci Oddi, na cidade italiana de Piacenza, encontrou por acaso a obra mais procurado do pintor austríaco Gustav Klimt. Estava na própria galeria, onde a obra terá sido roubada …

YouTube reforça políticas contra assédio online

O YouTube anunciou, esta quarta-feira, um conjunto de alterações às políticas que visam combater o assédio que existe na plataforma. O YouTube anunciou esta quarta-feira o reforço das suas políticas contra o assédio online, que preveem …

Deus bebé indiano vence caso em tribunal e reinvindica território sagrado

O Supremo Tribunal Indiano declarou Ram Lalla Virajman, um deus bebé, como o legítimo proprietário de Ayodhya, uma terra no norte da Índia considerada sagrada por muçulmanos e hindus. O tribunal decidiu que o Governo …