/

Descoberta espada da Idade do Bronze numa floresta da República Checa

5

(dr) Silesian Museum

Um homem que andava à procura de cogumelos numa floresta na República Checa encontrou uma espada e um machado de bronze, ambos com supostamente cerca de 3300 anos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com o site Live Science, que cita a Radio Prague International, Roman Novák andava à procura de cogumelos perto de casa, no distrito de Jeseník, na República Checa, quando viu “um pedaço de metal a sair de algumas pedras”.

“Descobri que era uma lâmina, parte de uma espada. Então cavei mais um pouco e encontrei um machado de bronze”, conta o homem à RPI.

Novák relatou a sua descoberta a arqueólogos e, agora, já está a ser planeada uma escavação no local por uma equipa do Museu da Silésia, na cidade checa de Opava.

“Neste momento, estamos a percorrer minuciosamente o local em busca de outros possíveis achados”, disse ao mesmo site Jiří Juchelka, arqueólogo deste museu checo, acrescentando que o local fica numa área “arqueologicamente marginal”, onde nenhuma outra descoberta foi relatada.

Juchelka e os colegas já fizeram várias análises dos artefactos encontrados por Novák, incluindo testes da sua composição química e raios-X para revelar as suas estruturas internas.

A equipa estabeleceu que a espada de bronze ricamente decorada foi fabricada durante a Idade do Bronze, no norte da Europa, e parece ser mais semelhante às espadas “Vasby”, assim batizadas em homenagem a uma cidade na Suécia onde um exemplo antigo foi encontrado.

Os tipos de metais usados na espada indicam que provavelmente foi feita fora da região onde foi encontrada, enquanto o machado de bronze pode ser de produção local.

Juchelka disse ainda à Radio Prague International que a espada teria sido um objeto caro naquela época, quando a Cultura dos Campos de Urnas estava a surgir na Europa central (assim chamada devido à prática de incinerar os mortos e de colocar as cinzas nas urnas que, depois, eram enterradas nos campos).

Os raios X mostraram bolhas de ar por toda a espada, provavelmente o resultado de como foi construída: a técnica de fabricação de espadas mais comum naquela altura envolvia derramar bronze fundido num molde, em vez da prática posterior de martelar metal em brasa para dar forma a uma espada.

PUBLICIDADE

As bolhas de ar também explicam porque é que a espada não era especialmente forte, dizem os investigadores. Juchelka considera que a espada pode ter sido usada em cerimónias, ao invés de nos combates.

No entanto, os arqueólogos ainda não têm a certeza de como é que a espada e o machado acabaram juntos na floresta checa. “Podem estar relacionadas com um tema religioso, ou podem fazer parte de um tesouro de bronze. Não é fácil dizer, com base no que sabemos”, concluiu Juchelka.

  ZAP //

5 Comments

    • Caro leitor,
      Ao contrário da Holanda, que mudou de nome, a República Checa não deixou cair o nome para o substituir por Chéquia. O nome formal e oficial do país continua a ser “República Checa”. Desde 2016, passou a ter uma segunda denominação, “Chéquia”.

      • A substituição do nome está aprovada internamente no país e o processo de substituição internacional em curso. Foi atrasado porque o primeiro ministro não concorda com a alteração e criou dificuldades na apresentação e condução desses processos, que sendo internacionais têm de ser conduzidos pelo Governo e não pelo Presidente.
        Durante este período de transição aceita-se internacionalmente os dois nomes, o antigo e o novo.
        Na Chéquia só utilizam o novo nome e na Europa a designação utilizada é a nova:
        https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/czechia_pt

        E se os checos dizem que o nome do país deles é Chéquia, quem somos nós para dizer o contrário?

        É como o nosso acordo ortográfico, acho que o ZAP utiliza as novas regras, não?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.