Hélia Correia vence Prémio Camões 2015

DR Bibliotecariodebabel.com

A escritora Hélia Correia, Prémio Camões 2015

A escritora Hélia Correia, Prémio Camões 2015

A escritora portuguesa Hélia Correia é a vencedora do Prémio Camões 2015.

Hélia Correia, nascida em Lisboa em 1949, autora de romance, novela e conto, mas também de poesia e teatro, receberá um prémio monetário de 100 mil euros. A escritora é licenciada em Filologia Românica e destaca-se sobretudo como ficcionista, com as obras “Lillias Fraser”, “A casa eterna”, “Adoecer” e “Bastardia”.

Este ano, a obra “Vinte Degraus e Outros Contos” valeu-lhe o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, que lhe foi entregue na passada segunda-feira.

A escolha de Hélia Correia para a 27ª edição do Prémio Camões foi por unanimidade e feita esta quarta-feira, numa reunião do júri, que contou com Rita Marnoto, professora na Universidade de Coimbra, Pedro Mexia, crítico literário e escritor, Inocência Mata, professora nas universidades de Lisboa e de Macau, e pelos escritores Affonso Romano de Sant’Anna, António Carlos Secchin e Mia Couto.

O Prémio Camões, anunciado no Rio de Janeiro, Brasil, foi instituído por Portugal e pelo Brasil em 1989 como forma de reconhecer autores “cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento da literatura de língua portuguesa em todo o mundo”, sustenta a organização.

O primeiro distinguido, em 1989, foi o escritor português Miguel Torga. Em 2014, o Prémio Camões foi atribuído ao historiador e ensaísta brasileiro Alberto da Costa e Silva.

O anterior autor português a receber o Prémio Camões foi Manuel António Pina, em 2011.

“Lillias Fraser” é o grande romance português moderno

A escritora Maria Teresa Horta, que publicou os primeiros textos da autora premiada, considera que Hélia Correia”é uma grande romancista portuguesa. Até que enfim que lhe atribuem o prémio”.

“É uma grande romancista, uma excelente ficcionista e ‘Lillias Fraser’ é o grande romance português moderno“, disse Maria Teresa Horta, sublinhando o mérito na atribuição do Prémio Camões a Hélia Correia.

Maria Teresa Horta recordou que foi a primeira pessoa a publicar obra de Hélia Correia, entre finais da década de 1960 e inícios de 1970, no suplemento “Literatura e Artes”, que dirigia no vespertino A Capital.

“Eram três ficções poéticas pequeninas. E quando ela publicou ‘O separar das águas‘ (1981) e comecei a ler, percebi que aquela escrita estava lá”, disse.

“Somos muito amigas, mas isso não tem nada a ver com o mérito do prémio”, que deverá dar mais visibilidade à obra da autora, disse.

“Como nunca querem saber da literatura para coisa nenhuma, só tem visibilidade quando se recebem prémios. E com a Hélia é sobretudo a escrita que ela faz. É um traço único. É a pujança da língua portuguesa. O ‘Lillias Frazer’ é uma coisa de tirar o fôlego. E ela é minha madrinha, por me ter emprestado a personagem para o meu romance ‘As luzes de Leonor'”, contou Maria Teresa Horta.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Protestos prosseguem em França na véspera da apresentação da reforma do sistema de pensões

Ao sexto dia consecutivo de greve geral em França, centenas de milhares de pessoas voltaram hoje a protestar nas ruas contra a revisão do sistema de pensões, com o Governo e os sindicatos a anunciaram …

Após o ataque a Alcochete, Bruno Fernandes ficou "mais nervoso" e com "mais ansiedade"

O futebolista disse, esta terça-feira, ter ficado "mais nervoso" e com "mais ansiedade" depois do ataque à academia do Sporting, no qual viu agressões a Rui Patrício, William Carvalho, Acuña e Bataglia. Bruno Fernandes foi ouvido, …

"Abusei da amizade". Santos Silva confessa que pediu ajuda a Sócrates num concurso público

O empresário Carlos Santos Silva confessou no primeiro dia de interrogatório com Ivo Rosa que chegou a sugerir ao antigo primeiro-ministro José Sócrates que o ajudasse num concurso público em que o Grupo Lena participou. De …

O Nepal proibiu, mas mulheres continuam a ser forçadas a dormir em "cabanas menstruais"

"Chaupadi" é uma tradição hindu, característica do Nepal, que força as mulheres a dormirem num abrigo quando estão menstruadas por serem consideradas impuras. Segundo o IFLScience, uma nova investigação mostra que 77% das raparigas que vivem …

O golo "doloroso" de Ansu Fati que fez dele o mais jovem jogador a marcar na Champions

Ansu Fati, avançado do Barcelona, tornou-se no mais jovem jogador de sempre a marcar um golo na Liga dos Campeões. Com 17 anos e 40 dias de idade, o espanhol faz mais uma vez história …

Almeida Henriques suspeito de receber avença enquanto esteve no Governo por favores a empresário

Almeida Henriques, antigo secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional do Governo de Passos Coelho, e atual presidente da Câmara de Viseu, é suspeito de ter recebido dinheiro por favores ao empresário Agostinho …

Costa responde a Ventura: Programa do Governo não muda "semana sim semana não"

Recorrendo à ironia, o primeiro-ministro, António Costa, respondeu esta terça-feira ao deputado único do Chega, afirmando que o programa do Governo não muda "semana sim, semana não" consoante as críticas. No debate quinzenal na Assembleia da …

Pela primeira vez, porcos nascem com células de macaco (e morrem uma semana depois)

Pela primeira vez, cientistas chineses criaram pequenos leitões com órgãos que continham células de macaco. Os animais acabaram por morrer todos no espaço de uma semana. Os investigadores travam uma longa batalha para vir a desenvolver …

Iniciativa Liberal anuncia voto contra OE2020

O deputado único e presidente da Iniciativa Liberal (IL) anunciou esta terça-feira que o partido votará contra o Orçamento do Estado para 2020, depois de uma reunião com o Governo. "Este orçamento vai dar corpo ao …

Funcionários admitidos até 2005 podem perder férias se estiverem de baixa prolongada

Os funcionários públicos admitidos antes de 2006 e que estiverem de baixa por doença superior a 30 dias podem vir a perder dias de férias, segundo uma proposta do Governo ainda em negociação com os …