Hélia Correia vence Prémio Camões 2015

DR Bibliotecariodebabel.com

A escritora Hélia Correia, Prémio Camões 2015

A escritora Hélia Correia, Prémio Camões 2015

A escritora portuguesa Hélia Correia é a vencedora do Prémio Camões 2015.

Hélia Correia, nascida em Lisboa em 1949, autora de romance, novela e conto, mas também de poesia e teatro, receberá um prémio monetário de 100 mil euros. A escritora é licenciada em Filologia Românica e destaca-se sobretudo como ficcionista, com as obras “Lillias Fraser”, “A casa eterna”, “Adoecer” e “Bastardia”.

Este ano, a obra “Vinte Degraus e Outros Contos” valeu-lhe o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, que lhe foi entregue na passada segunda-feira.

A escolha de Hélia Correia para a 27ª edição do Prémio Camões foi por unanimidade e feita esta quarta-feira, numa reunião do júri, que contou com Rita Marnoto, professora na Universidade de Coimbra, Pedro Mexia, crítico literário e escritor, Inocência Mata, professora nas universidades de Lisboa e de Macau, e pelos escritores Affonso Romano de Sant’Anna, António Carlos Secchin e Mia Couto.

O Prémio Camões, anunciado no Rio de Janeiro, Brasil, foi instituído por Portugal e pelo Brasil em 1989 como forma de reconhecer autores “cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento da literatura de língua portuguesa em todo o mundo”, sustenta a organização.

O primeiro distinguido, em 1989, foi o escritor português Miguel Torga. Em 2014, o Prémio Camões foi atribuído ao historiador e ensaísta brasileiro Alberto da Costa e Silva.

O anterior autor português a receber o Prémio Camões foi Manuel António Pina, em 2011.

“Lillias Fraser” é o grande romance português moderno

A escritora Maria Teresa Horta, que publicou os primeiros textos da autora premiada, considera que Hélia Correia”é uma grande romancista portuguesa. Até que enfim que lhe atribuem o prémio”.

“É uma grande romancista, uma excelente ficcionista e ‘Lillias Fraser’ é o grande romance português moderno“, disse Maria Teresa Horta, sublinhando o mérito na atribuição do Prémio Camões a Hélia Correia.

Maria Teresa Horta recordou que foi a primeira pessoa a publicar obra de Hélia Correia, entre finais da década de 1960 e inícios de 1970, no suplemento “Literatura e Artes”, que dirigia no vespertino A Capital.

“Eram três ficções poéticas pequeninas. E quando ela publicou ‘O separar das águas‘ (1981) e comecei a ler, percebi que aquela escrita estava lá”, disse.

“Somos muito amigas, mas isso não tem nada a ver com o mérito do prémio”, que deverá dar mais visibilidade à obra da autora, disse.

“Como nunca querem saber da literatura para coisa nenhuma, só tem visibilidade quando se recebem prémios. E com a Hélia é sobretudo a escrita que ela faz. É um traço único. É a pujança da língua portuguesa. O ‘Lillias Frazer’ é uma coisa de tirar o fôlego. E ela é minha madrinha, por me ter emprestado a personagem para o meu romance ‘As luzes de Leonor'”, contou Maria Teresa Horta.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Libertadores. Jesus veta acesso de funcionários do Flamengo ao derradeiro treino

Escreve a imprensa brasileira que Jorge Jesus vetou o acesso de funcionários do Flamengo ao derradeiro treino que antecede o jogo com o Grémio para a Libertadores, que vai decidir um dos finalistas da competição. …

Caso do bebé sem rosto. Médico suspenso não viu que menina tinha duas vaginas, um rim e espinha bífida

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos suspendeu preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu, em Setúbal, com malformações graves. Entretanto, surgem novos dados sobre suspeitas atribuídas ao médico noutros …

Rede de imigração ilegal no SEF. Denúncias de corrupção eram antigas, mas ficaram na gaveta

A inspectora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que foi detida nesta semana, por pertencer alegadamente a uma rede de imigração ilegal, já tinha sido identificada num inquérito interno desta entidade, devido às mesmas …

Bancos querem passar a cobrar por grandes depósitos. Particulares escapam

BCP, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos defendem que é preciso cobrar aos grandes clientes por depósitos de grande dimensão. Particulares e pequenas e médias empresas escapariam desta medida. A ideia foi lançada pelo …

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …

Funcionários públicos esperam entre 100 e 280 dias para se poderem reformar. Processo pode ser acompanhado online

A atribuição das novas pensões de reforma aos funcionários públicos está a demorar, em média, entre 100 a 280 dias - ou seja, entre três e mais de nove meses. A revelação foi feita esta terça-feira, …

"Onde está o Varandas?". Claques não faltaram à vitória do Sporting em hóquei em patins

Apesar das quebras de protocolos, Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI marcaram presença no jogo desta terça-feira de hóquei em patins entre o Sporting e a Oliveirense. Na noite desta terça-feira, o Pavilhão João Rocha foi …