Já pode escrever uma mensagem em munições ucranianas usadas contra russos

1

artillery_text / Telegram

A internet já oferece um serviço em que pode escrever uma mensagem em munições de artilharia ucranianas, usadas contra russos, por apenas 40 dólares.

Escrever mensagens em bombas, mísseis e outras munições é uma tradição comum e de longa data. Após os ataques de 11 de Setembro, os norte-americanos fizeram-no com mensagens de solidariedade a Nova Iorque e vingança contra Al-Qaeda em bombas destinadas ao Afeganistão.

Ainda antes nisso, na Segunda Guerra Mundial, os soldados norte-americanos fizeram-no em bombas destinadas a Adolph Hitler, por exemplo. “Boa Páscoa, Adolph”, lê-se numa delas, ao lado de um cesto com um cartaz onde tem outras mais e onde se lê “ovos da Páscoa para o Hitler”.

US Army

Agora, os tempos são outros, e este costume parece estar a transpor-se para a guerra na Ucrânia.

Uma conta ucraniana do Telegram está a oferecer-se para escrever uma mensagem à sua escolha em projéteis de artilharia que serão disparados contra os russos.

Uma mensagem personalizada numa munição tem o custo de 40 dólares e, segundo a conta “artillery_text”, os fundos angariados serão destinados ao armamento de soldados ucranianos.

Encarnando uma veia capitalista, há uma promoção para quem quiser personalizar a mensagem de dois projéteis: 70 dólares.

“Você tem a hipótese de matar orcs com o seu texto em projéteis de artilharia de 152 mm que serão disparados contra soldados russos”, lê-se na publicação citada pela VICE. “Orcs” é um termo pejorativo que os ucranianos usam para os russos. “Receberá uma foto com a sua granada assinada”.

“Os soldados na linha da frente escreverão o seu texto com marcador indelével em todo o lado de um projétil de artilharia de 152 mm”, lê-se ainda na publicação. “E depois disparam contra os russos. Você pode pedir para escrever qualquer texto: desejar a alguém um feliz aniversário/morte em sofrimento, propor em casamento, nome, nome de utilizador do Instagram/Telegram”.

São também divulgadas várias fotografias de munições já personalizadas, de forma a provar que o serviço é de confiança.

O dono da conta de Telegram “artillery_text” é um jovem ucraniano, estudante de informática, de apenas 20 anos.

O projeto já angariou cerca de 11 mil dólares até agora. O dinheiro foi usado para comprar dois sistemas Starlink, uma mira térmica e investir num carro. “Os carros têm uma necessidade muito grande de evacuar os soldados feridos da linha da frente”, explicou o jovem à VICE.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

  1. Lamentável !!!!!!………….Lucrar com a Morte de “Outros” , é descer muito baixo , em termos de dignidade !…isso qualquer que sejam as partes visadas !

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.