Esclerose múltipla associada a infeção na adolescência

Um novo estudo identificou uma associação entre o desenvolvimento de esclerose múltipla e infeções graves durante a adolescência.

A esclerose múltipla (EM) é mais frequentemente diagnosticada entre os 20 e os 50 anos. Certos genes aumentam o risco de se sofrer desta doença do sistema nervoso central, mas os cientistas ainda estão a tentar entender o que é que a provoca.

Um antigo estudo descobriu que a pneumonia na adolescência está associada a um risco elevado de esclerose múltipla, por isso, uma equipa de cientistas decidiu investigar se outros tipos de infeção estão associados à doença.

Os autores tiveram que ter cuidado, porém, porque as infeções podem ser uma consequência da EM e não o contrário. Além disso, pode levar de cinco a dez anos, ou até mais, entre o início do processo da doença e a pessoa apresentar os primeiros sintomas, que incluem dormência e formigueiros, rigidez, dificuldade de equilíbrio, problemas de visão e fadiga.

Portanto, tiveram que tomar medidas extra para ter a certeza de que as infeções tinham ocorrido antes de qualquer manifestação de doença relacionada à esclerose múltipla.

Para o estudo, publicado na revista Brain, os autores usaram os registos de saúde de quase 2,5 milhões de pessoas nascidas na Suécia entre 1970 e 1994. Pouco mais de 4.000 foram diagnosticadas com EM após os 20 anos de idade. Entre este grupo, 19% tinham tido uma infeção diagnosticada num hospital entre o nascimento e os dez anos de idade e 14% entre os 11 e 19 anos.

Descobriu-se que a maioria das infeções antes dos 11 anos não estava associada a um diagnóstico posterior de EM. Em contraste, as infeções diagnosticadas num hospital (indicando que são relativamente graves) entre as idades de 11 e 19 anos foram consistentemente associadas a um risco elevado de desenvolver EM.

Nem todos os tipos de infeção foram associados à EM subsequente, mas uma descoberta surpreendente é que as infeções do sistema nervoso central aumentaram o risco de EM de forma mais notável. Isto faz sentido, pois os cientistas acreditam que a inflamação no sistema nervoso central pode iniciar o processo autoimune que causa a esclerose múltipla.

As infeções respiratórias na adolescência também foram associadas à EM, aumentando o risco em 51%. Os autores acreditam que, em alguns casos, a infeção e a inflamação nos pulmões podem levar à ativação imunológica noutras partes do corpo, incluindo o sistema nervoso central, aumentando assim o risco de inflamação nesse local.

Isto pode explicar como uma infeção pulmonar pode iniciar o processo da doença de EM. Em alternativa, o agente infecioso pode ter uma influência mais direta no cérebro.

A infeção pelo vírus Epstein-Barr (VEB) está, há muito tempo, associada à esclerose múltipla, por isso era importante garantir que os resultados não incluíam as infeções por VEB.

Após a exclusão das pessoas que já tiveram a forma aguda da infeção por VEB, conhecida como febre glandular, os resultados para as demais infeções permaneceram, enfatizando a importância de vários tipos de infeção na adolescência como riscos para EM.

Para ter ainda mais certeza de que as infeções na adolescência provavelmente antecederam o desenvolvimento assintomático inicial de EM, repetiu-se a análise, mas olhou-se apenas para EM diagnosticada após os 25 anos.

O risco elevado de EM associada a infeções na adolescência manteve-se nas infeções do sistema nervoso central e infeções pulmonares. Houve um mínimo de cinco anos entre a infeção e o diagnóstico de esclerose múltipla — e geralmente mais — indicando que a doença progride lentamente até que haja dano suficiente no cérebro para que os sintomas de esclerose múltipla se desenvolvam.

Período de suscetibilidade elevada

Este estudo fornece evidências adicionais de que a adolescência é um período de elevada suscetibilidade a exposições associadas ao risco de EM e que pode haver muitos anos entre a exposição e o diagnóstico.

Estes resultados ajudam a entender melhor os tipos de exposições que podem aumentar o risco de EM. Pode valer a pena considerar a esclerose múltipla como um diagnóstico potencial em alguém que apresenta sintomas neurológicos, se teve uma infeção grave na adolescência.

O próximo passo será investigar se as pessoas que são geneticamente suscetíveis ao desenvolvimento de EM são mais propensas a ter uma reação imunológica mais pronunciada a infeções, aumentando a probabilidade de internamento hospitalar.

Vários, mas não todos os tipos de infeções estão associados à EM, particularmente aquelas que podem causar inflamação no sistema nervoso central. Apenas algumas pessoas com infeções relativamente sérias na adolescência desenvolverão EM (na maioria dos casos, muito menos do que 1%), pois outros fatores, incluindo suscetibilidade genética, também são necessários para o desenvolvimento da doença.

  ZAP // The Conversation

PARTILHAR

RESPONDER

O chef sírio Imad Alarnab

Imad fugiu da Síria há seis anos. Agora, tem um restaurante de sucesso em Londres

O chef sírio Imad Alarnab deixou a Síria há seis anos, onde tinha vários restaurantes, rumo a Inglaterra. Não desistiu dos seus sonhos e agora tem um novo projeto no agitado Soho, no centro de …

Máquina de venda automática de brindes

Máquina das bolas japonesa. As pequenas esferas de plástico guardam os detalhes de uma viagem surpresa

As máquinas de venda automática de brindes, conhecidas como gachapon no Japão, têm inovado nos últimos anos. Agora, são os detalhes de uma viagem que estão guardados nas pequenas bolas de plástico. O valor das bolas …

O Supremo dos EUA mudou as suas regras para que as juízas não fossem constantemente interrompidas

Revelação foi feita por Sonia Sotomayor, uma das três mulheres que compõe o coletivo de nove juízes e a primeira latina a chegar ao cargo. O facto de serem constantemente interrompidas em reuniões ou outros …

A candidata a primeira-ministra da Hungria, Klára Dobrev.

Num futuro sem Orbán, a oposição escolhe entre um novo conservador ou uma liberal divisiva

Os opositores de Viktor Orbán estão na dúvida quanto ao candidato para enfrentar o atual primeiro-ministro nas próxima eleições. Esta indecisão pode custar-lhes o assalto ao cargo. Viktor Orbán é um nome recorrente na política húngara. …

Nuno Melo, do CDS/PP

Nuno Melo ataca líder do CDS por anunciar sentido de voto sem consultar deputados

O candidato à liderança do CDS-PP criticou, este sábado, o atual líder do partido por ter comunicado publicamente a intenção de votar contra a proposta de Orçamento do Estado sem se ter reunido com os …

Vaticano tem três celas e um só prisioneiro. Uma onda de julgamentos pode mudar isso

Dez pessoas vão ser julgadas no Vaticano por crimes relacionados com a venda de um edifício em Londres. Visto como limitado e sombrio, o sistema judicial da cidade-estado está a mudar. Carlo Capella é o único prisioneiro …

Alexandra Leitão diz que "não há trabalhadores a mais na Administração Pública"

A ministra da Modernização do Estado assegura que não há trabalhadores a mais na Administração Pública e assume toda a abertura do Governo para negociar, "com humildade e responsabilidade", medidas adicionais às inscritas no OE2022. Em …

Start-up israelita quer fazer roupa a partir de algas

A Algaeing, criada em 2016, é uma empresa que converte as algas numa fórmula líquida, que depois pode ser usada como corante ou transformada num tecido. A indústria da moda é uma das responsáveis pelas emissões …

O antigo Presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton

Bill Clinton já teve alta hospitalar e deve regressar a Nova Iorque

O ex-Presidente dos Estados Unidos deixou, neste domingo de manhã, o hospital da Califórnia onde foi internado com uma infeção, informou o chefe da equipa de médicos que o tratou. "O Presidente Clinton teve alta do …

Acordo escrito. Bloco diz que Governo "conhece bem" os pontos negociais

O Bloco de Esquerda anunciou, este domingo, que vai enviar ao Governo propostas de articulado de nove pontos negociais colocados em cima da mesa no início de setembro, aos quais declara não ter obtido resposta …