/

A imensa erupção do Etna surpreendeu até quem estuda vulcões

Há mais de uma semana que o vulcão Etna tem vindo a expelir lava, cinzas e rochas vulcânicas. Aquele que é considerado o vulcão mais ativo da Europa foi o protagonista dos últimos dias na ilha Sicília, num cenário que surpreendeu os vulcanólogos.

Nos últimos dias, o Etna impressionou até os vulcanólogos mais experientes, com erupções gigantescas de lava a iluminar as paisagens da Sicília. A última erupção terminou na terça-feira de manhã, de acordo com o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia de Itália.

De acordo com o Phys, o vulcão italiano expeliu lava, cinzas e rochas vulcânicas regularmente durante uma semana. Na sequência destes eventos geológicos, o aeroporto de Catania, localizado no lado este da ilha, teve de encerrar temporariamente.

Até ao momento, não houve relatos de danos ou feridos, mas os habitantes da cidade de Pedara contaram que, num determinado dia da semana passada, parecia que estavam a chover pedras enquanto uma espessa manta de cinzas cobria a cidade.

Boris Behncke, vulcanólogo do Instituto Nacional de Observação do Etna, acompanhou os últimos eventos com muita admiração e escreveu, no site do instituto, que, depois de “nos presentear com momentos de suspense” nas noites anteriores, o Etna explodiu na noite de segunda para terça-feira de uma forma que os investigadores “que trabalham nisto há décadas raramente viram“.

“Eu chamei o paroxismo do Etna de 20-21 de fevereiro de ‘incrivelmente poderoso’? Bem, o seu sucessor, na noite de 22 para 23 de fevereiro foi MUITO mais poderoso”, escreveu Behncke no Twitter. Nessa noite, as fontes de lava ultrapassaram os 1.500 metros.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.