Mega-erupção vulcânica na Islândia foi tão brutal que “destruiu” os deuses nórdicos

Há um poema medieval islandês que conta como os deuses nórdicos Thor, Loki e Odin, foram destruídos para dar origem ao renascimento do mundo. Uma equipa de investigadores descobriu que este relato pode não ser uma mera fábula poética, mas antes a descrição da maior erupção vulcânica ocorrida na Islândia.

O poema “Völuspá”, ou “A profecia do vidente”, faz parte da tradição islandesa, mas até agora sempre tinha sido encarado como uma mera lenda sobre o renascimento do mundo, com base na ideia da destruição de deuses nórdicos como Thor, Loki e Odin, tornados famosos na saga de filmes baseada nas personagens da Marvel Comics.

Mas uma equipa internacional de investigadores apurou que o poema pode referir-se a eventos reais, relatando as consequências trágicas da mega-erupção do vulcão Eldgjá, fenómeno que terá contribuído para destruir a fé dos islandeses nos seus deuses, levando-os a virarem-se para o Cristianismo.

Analisando “registos do núcleo de gelo da Gronelândia que preservam a precipitação vulcânica do Eldgjá” e os “anéis de árvores”, estes cientistas conseguiram datar com precisão a que terá sido a maior erupção vulcânica da Islândia, nos dois últimos milénios, conforme explica em comunicado a Universidade de Cambridge, no Reino Unido, que participou no estudo.

A erupção do Eldgjá terá começado na Primavera de 939 e terá continuado até ao Outono de 940. O poema “Völuspá” terá sido escrito cerca de 20 anos depois e será o único relato directo conhecido da mega-erupção vulcânica que afundou a Islândia em 20 quilómetros cúbicos de lava, referem os investigadores no artigo científico publicado na segunda-feira no jornal Climatic Change.

Determinando uma “data concreta para a erupção”, é possível encontrar “muitos registos em crónicas medievais que se encaixam como consequências prováveis do vulcão Eldgjá”, desde “avistamentos de uma neblina atmosférica extraordinária na Europa”, a “Invernos severos” e “Verões frios e colheitas pobres“, até à “escassez de alimentos”, como afirma o vulcanologista Clive Oppenheimer, do Departamento de Geografia da Universidade de Cambridge, e um dos autores do estudo.

Salientando “o estilo de quase testemunha ocular em que a erupção é retratada no Völuspá”, Oppenheimer constata que “a interpretação do poema como uma profecia do fim dos deuses pagãos e da sua substituição pelo único, Deus singular, sugere que as memórias desta terrível erupção vulcânica foram intencionalmente provocadas para estimular a Cristianização da Islândia“, acrescenta.

Efeitos devastadores

A mega-erupção ocorreu algumas décadas depois de a Islândia ter sido colonizada por Vikings e Celtas e terá tido efeitos “devastadores para a jovem colónia”, como sublinha o historiador de literatura medieval Andy Orchard, da Universidade de Oxford, no Reino Unido. “Muito provavelmente, a terra foi abandonada e a fome foi severa“, refere.

O poema islandês fala do “sangue vital de homens condenados” e nota como “o Sol começa a escurecer, a terra afunda-se no mar; as estrelas brilhantes espalham-se pelo céu” e “o vapor jorra com o que alimenta a vida, a chama voa alto contra o próprio céu”.

Um relato poético, mas muito semelhante ao que os investigadores acreditam que pode ter acontecido. A erupção terá causado “uma neblina de poeira sulfurosa” que se espalhou pela Europa, com o Sol a assumir uma tonalidade “vermelho-sangue” e amortecida, como se relata em documentos medievais da época, de países como Irlanda, Itália e Alemanha, que também detalham a fome e a seca que terão resultado do fenómeno.

“Sofrimento humano generalizado”

O evento que ocorreu no Século X é conhecido como “uma inundação de lava”, ou seja, “um tipo raro de erupção vulcânica prolongada em que enormes fluxos de lava engolem a paisagem”, sendo acompanhados por “uma névoa de gases sulfurosos”, explicam os autores do estudo.

Um fenómeno semelhante verificou-se na Islândia entre Agosto de 2014 e Fevereiro de 2015, com a erupção do Bárðarbunga que emitiu grandes volumes de dióxido sulfúrico que chegaram a afectar “a qualidade do ar a 1400 quilómetros de distância, na Irlanda”, explica a Universidade de Cambrige.

Mas os efeitos do Eldgjá foram muito mais trágicos, despoletando consequências que vão do norte da Europa ao norte da China, como atesta o investigador Tim Newfield, da Universidade de Georgetown, nos EUA. Este cientista, que também esteve envolvido no estudo, fala de um “sofrimento humano generalizado“, salientando que “as pessoas viveram longos e duros Invernos, e secas severas na Primavera-Verão”.

Havia “infestações por gafanhotos e mortalidade de animais”, acrescenta Newfield. “A fome não se instalou em todo o lado, mas no início dos anos de 940, lemos sobre a escassez e grande mortalidade em partes da Alemanha, Iraque e China“, revela.

“Em 940, o arrefecimento do Verão foi mais pronunciado na Europa Central, na Escandinávia, nas Montanhas Canadianas, no Alasca e na Ásia Central, com as temperaturas médias do Verão abaixo de 2º“, destaca ainda o professor Markus Stoffel, da Universidade de Genebra, na Suíça, que também participou no estudo.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Manchas gigantes de Betelgeuse podem explicar o seu estranho escurecimento

As manchas gigantes da estrela Betelgeuse podem estar por detrás do estranho escurecimento que esta estrela tem vindo a experimentar, segundo uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Max Planck, na Alemanha. …

Pela primeira vez, os norte-americanos querem mais imigração - e não menos

Pela primeira vez, os norte-americanos querem ver aumentar a imigração no seu país, escreve o Business Insider citando uma sondagem da Gallup. De acordo com os números apresentados pelo jornal norte-americano, 34% dos cidadãos dos …

Porto 5-0 Belenenses | Segunda parte demolidora no Dragão

O FC Porto respondeu de forma categórica à vitória do Benfica sobre o Boavista por 3-1 na noite de sábado. Na recepção ao Belenenses, os “azuis-e-brancos” golearam por expressivos 5-0, com quatro golos a serem apontados …

Foi exposto o primeiro núcleo exoplanetário. Pode pertencer a gigante gasoso "planeta falhado"

Astrónomos da Universidade de Warwick descobriram o núcleo sobrevivente de um gigante gasoso em órbita de uma estrela distante, oferecendo uma visão sem precedentes do interior de um planeta. O núcleo, que é do mesmo tamanho …

As águas profundas provocam terramotos e tsunamis (e já se sabe como)

Uma nova investigação vincula diretamente o ciclo da água na Terra com a produtividade magmática e a atividade sísmica. A água (H2O) e outros elementos voláteis (como o CO2 e o enxofre) que circulam nas profundezas …

Cidade japonesa acaba de proibir a utilização de telemóveis enquanto se caminha

A cidade japonesa de Yamato acaba de aprovar uma proposta de lei que proíbe as pessoas de utilizarem telemóveis enquanto caminham. A cidade, localizada num subúrbio de Tóquio, entende que os telemóveis são um risco …

MIT apagou base de dados popular que ensinou IA a ser racista e sexista

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, viu-se obrigado apagar uma base de dados de treinamento de Inteligência Artifical (IA) depois de esta ensinar vários algoritmos a usar insultos racistas e sexistas. …

Escola Básica e fábrica de Paços de Ferreira encerradas, com nove casos positivos

A Escola Básica n.º 2 e a Fábrica de Lacados Abrelac, em Paços de Ferreira, Porto, foram encerradas após diagnosticados nove casos de covid-19 para “prevenção” e para “interromper as cadeias de transmissão”, disseram hoje …

Mais nove mortes e 328 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral …

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …