Erasmus reduz para metade desemprego jovem de longa duração

Ana C. / Flickr

-

Estudar no estrangeiro com uma bolsa do Erasmus reduz para metade a probabilidade dos jovens ficarem desempregados durante um longo período de tempo e é uma experiência enriquecedora a muitos níveis, conclui um estudo sobre o programa.

Esta é uma das conclusões de um estudo de impacto sobre o programa europeu Erasmus para a mobilidade de estudantes e docentes, realizado a partir de entrevistas a cerca de 57.000 jovens, que a Comissão Europeia prevê publicar no final de Setembro, informaram fontes comunitárias citadas pela Efe.

O estudo “demonstra que os estudantes Erasmus se saem melhor no mercado laboral” e que “têm a metade das probabilidades de ser desempregados de longa duração em comparação com os estudantes que não vão para o estrangeiro”, indicaram as fontes.

As mesmas fontes também asseguram que os jovens que gozam este tipo de bolsa “regressam aos países de origem não só mais seguros e mais tolerantes em relação a outras culturas, como também mais curiosos, com mais possibilidades de resolver problemas, com melhores habilitações organizativas e maior facilidade para em adaptar-se de forma rápida a novas situações”.

O estudo é o primeiro que analisa com tanto pormenor as repercussões de sair para o estrangeiro com uma bolsa de Erasmus, tendo incluído um maior número de entrevistados, e baseia os resultados numa avaliação dos próprios participantes, que analisam o seu comportamento, atitude e habilidades, antes e depois da experiência.

Assim, este estudo “fornece resultados mais fiáveis que outros anteriores”, referem as fontes.

Dados do Erasmus

Os últimos dados do programa Erasmus, referentes ao curso 2012/2013, demonstram que a iniciativa não perdeu interesse com os anos, mas que permitiu precisamente o contrário, já que o número de participantes superou os 268 mil, mais 6% que no curso anterior e um novo máximo histórico.

No ano 2012/2013, Espanha voltou a ser o país da União Europeia (UE) que mais estudantes enviou para o estrangeiro no âmbito do programa Erasmus.

Em Setembro estreia-se o novo programa Erasmus que durará até 2020 e oferecerá a mais de quatro milhões de europeus oportunidades para estudar, formar-se, fazer estágios laborais e realizar actividades de voluntariado no estrangeiro.

Em termos orçamentais, o programa Erasmus contará com 14.700 milhões de euros, mais 40% que o actual programa.

Segundo fontes comunitárias, o impacto do novo orçamento será sentido a partir de 2016, enquanto nos anos anteriores será similar ao existente na actualidade.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …

Depois do coro de críticas, brasões da Praça do Império passam do jardim para a calçada

Os brasões florais que representam as capitais de distrito e as ex-colónias portuguesas vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas passarão a estar representados em pedra da calçada. É a solução …