Uma epidemia histórica está de volta. A culpa pode ser de um “clone” bacteriano

Outrora uma das principais causas de morte de crianças em todo o mundo ocidental, a escarlatina foi quase erradicada graças à medicina do século XX. Porém, novos surtos no Reino Unido e no Nordeste da Ásia nos últimos anos sugerem que ainda temos um longo caminho a percorrer.

O motivo do ressurgimento do patógeno mortal ainda é um mistério. No entanto, um novo estudo revelou pistas no genoma de uma das estirpes bacterianas responsáveis, mostrando o quão complexa pode ser a árvore genealógica das doenças infecciosas.

A espécie por trás da doença é o estreptococo do grupo A – ou Streptococcus pyogenes -, um micróbio em forma de bola que pode produzir compostos tóxicos chamados superantígenos capazes de causar estragos dentro do corpo.

As consequências podem ser tão leves como um caso de faringite ou erupção na pele, ou tão graves como um choque tóxico que causa a falência de órgãos.

Com o advento dos antibióticos, os surtos podiam ser facilmente controlados antes que saíssem do controle. Na década de 1940, a doença estava praticamente erradicada. Mas isso parece estar a mudar.

“Depois de 2011, o alcance global da pandemia tornou-se evidente com relatos de um segundo surto no Reino Unido, começando em 2014, e agora descobrimos casos isolados aqui na Austrália”, disse Stephan Brouwer, biólogo molecular da Universidade de Queensland, em comunicado. “Este ressurgimento global da escarlatina causou um aumento de mais de cinco vezes na taxa de doenças e mais de 600 mil casos em todo o mundo.”

Liderando uma equipa internacional de investigadores num estudo sobre genes de estreptococos do grupo A, Brouwer conseguiu caracterizar uma variedade de superantígenos produzidos por uma determinada estirpe do Nordeste da Ásia.

Entre eles estava um tipo de superantígeno que parece dar aos invasores bacterianos uma forma nova e inteligente de obter acesso ao interior das células do hospedeiro, uma forma nunca vista antes entre as bactérias.

A novidade implica que esses surtos não descendem das mesmas estirpes de bactérias que se espalharam pelas comunidades nos séculos anteriores. Em vez disso, são populações intimamente relacionadas de estreptococos do grupo A que aprenderam novos truques por conta própria.

Uma forma pela qual organismos semelhantes podem desenvolver as mesmas características – como virulência avançada – é pela seleção natural ao ajustar de forma independente genes partilhados da mesma forma.

Porém, outros estudos já sugeriram que essa estirpe de bactéria recebeu ajuda na forma de uma infecção própria, proveniente de um tipo de vírus chamado fago.

“As toxinas teriam sido transferidas para a bactéria quando foi infetada por vírus que carregavam os genes da toxina”, disse Mark Walker, biocientista da Universidade de Queensland. “Nós mostrámos que essas toxinas adquiridas permitem que o Streptococcus pyogenes colonize melhor o seu hospedeiro, o que provavelmente permite que supere outras estirpes na competição.”

Num processo conhecido como transferência horizontal de genes, um gene que evoluiu num micróbio pode ser incorporado ao genoma de um vírus e editado no ADN de um novo hospedeiro, criando uma espécie de clone do original.

Embora dificilmente se limite às bactérias, é uma forma rápida e prática para os micróbios unicelulares se adaptarem. Esses genes roubados podem fornecer aos patógenos novas formas de entrar nos tecidos do hospedeiro ou resistir à guerra química que, de outra forma, os manteria à distância.

Para verificar a importância do superantígeno adquirido, os cientistas usaram a edição genética para desativar a sua codificação. Como resultado, as estirpes perderam o poder de colonizar os modelos animais usados ​​para testar a virulência da bactéria.

Por enquanto, a gestão da pandemia de covid-19 parece conter os surtos de escarlatina, uma vez que é improvável que o estreptococo do grupo A se torne uma epidemia sob as restrições atuais.

“Mas quando o distanciamento social finalmente for relaxado, a escarlatina provavelmente voltará”, disse Walker. “Assim como a covid-19, em última análise, uma vacina será crítica para erradicar a escarlatina – uma das doenças infantis mais comuns e mortais da história”.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica Nature Communications.

PARTILHAR

RESPONDER

Trump tem uma conta bancária na China (e andou uma década a tentar investir no país)

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é detentor de uma conta num banco chinês, e há vários anos que tenta implementar negócios no país. Donald Trump passou uma década a tentar investir na China, onde …

Ricardo Pereira revela segredo para o FC Porto derrotar o City

A jogar em Inglaterra há três anos, Ricardo Pereira conhece bem o próximo adversário do FC Porto na Liga dos Campeões. O internacional português deu alguns conselhos à equipa portista. Ricardo Pereira está a cumprir a …

OE em duodécimos deixa 2.700 milhões de estímulo orçamental em suspenso

A hipótese de haver um Orçamento em duodécimos em 2021 está em cima da mesa. Se tal acontecer, há pelo menos 2.700 milhões de estímulo orçamental que não chegarão à economia. Se o Orçamento do Estado …

Grupo Luz Saúde foi o que mais faturou com a pandemia

O Grupo Luz Saúde faturou quase 40 milhões de euros com a venda de material à Direção-Geral da Saúde (DGS), a hospitais e até a autarquias. A GLSMed Trade, do grupo Luz Saúde, foi a empresa …

Pinto da Costa: "Varandas fará um grande serviço quando se dedicar à medicina"

Manchester City, Luís Filipe Vieira e Frederico Varandas foram alguns dos temas abordados por Pinto da Costa numa recente entrevista ao Porto Canal. Em entrevista ao Porto Canal, Pinto da Costa fez a antevisão ao encontro …

Espanha pondera recolher obrigatório em todo o país. Esperam-se semanas "muito difíceis"

Salvador Illa, ministro da saúde de Espanha, referiu que o governo está a estudar um recolhimento obrigatário no país, como forma de travar a propagação do novo coronavírus que nos últimos dias tem feito infetado …

Algarve pode consagrar Lewis Hamilton como piloto mais vitorioso de sempre

O Autódromo Internacional do Algarve está a caminho de ver a consagração do piloto britânico Lewis Hamilton (Mercedes) como o piloto mais vitorioso de sempre da Fórmula 1, no domingo, no Grande Prémio de Portugal. Depois …

Antigo túmulo siberiano contém casal de guerreiros (e um enorme stock de armas)

Uma equipa de arqueólogos desenterrou um túmulo com 2.500 anos que continha os restos mortais de quatro pessoas da antiga cultura Tagar. Arqueólogos da Universidade Estadual de Novosibirsk, na Rússia, desterraram um túmulo com 2.500 anos …

OE2021. Governo perde fé nas negociações com o Bloco, mas conta com PAN e talvez PCP

As negociações com o Bloco para garantir a aprovação do Orçamento do Estado para 2021 não estão bem encaminhadas. O Governo espera contar com o PAN e talvez com o PCP. Um possível entendimento entre o …

"Eleição do mundo". USA Today declara apoio a Biden (que continua a liderar nas sondagens)

Pela primeira vez, o jornal norte-americano USA Today decidiu apoiar um candidato presidencial - Joe Biden. O democrata continua a liderar as sondagens a dois dias do último debate. "Há quatro anos, o Conselho Editorial - …