Uma epidemia histórica está de volta. A culpa pode ser de um “clone” bacteriano

Outrora uma das principais causas de morte de crianças em todo o mundo ocidental, a escarlatina foi quase erradicada graças à medicina do século XX. Porém, novos surtos no Reino Unido e no Nordeste da Ásia nos últimos anos sugerem que ainda temos um longo caminho a percorrer.

O motivo do ressurgimento do patógeno mortal ainda é um mistério. No entanto, um novo estudo revelou pistas no genoma de uma das estirpes bacterianas responsáveis, mostrando o quão complexa pode ser a árvore genealógica das doenças infecciosas.

A espécie por trás da doença é o estreptococo do grupo A – ou Streptococcus pyogenes -, um micróbio em forma de bola que pode produzir compostos tóxicos chamados superantígenos capazes de causar estragos dentro do corpo.

As consequências podem ser tão leves como um caso de faringite ou erupção na pele, ou tão graves como um choque tóxico que causa a falência de órgãos.

Com o advento dos antibióticos, os surtos podiam ser facilmente controlados antes que saíssem do controle. Na década de 1940, a doença estava praticamente erradicada. Mas isso parece estar a mudar.

“Depois de 2011, o alcance global da pandemia tornou-se evidente com relatos de um segundo surto no Reino Unido, começando em 2014, e agora descobrimos casos isolados aqui na Austrália”, disse Stephan Brouwer, biólogo molecular da Universidade de Queensland, em comunicado. “Este ressurgimento global da escarlatina causou um aumento de mais de cinco vezes na taxa de doenças e mais de 600 mil casos em todo o mundo.”

Liderando uma equipa internacional de investigadores num estudo sobre genes de estreptococos do grupo A, Brouwer conseguiu caracterizar uma variedade de superantígenos produzidos por uma determinada estirpe do Nordeste da Ásia.

Entre eles estava um tipo de superantígeno que parece dar aos invasores bacterianos uma forma nova e inteligente de obter acesso ao interior das células do hospedeiro, uma forma nunca vista antes entre as bactérias.

A novidade implica que esses surtos não descendem das mesmas estirpes de bactérias que se espalharam pelas comunidades nos séculos anteriores. Em vez disso, são populações intimamente relacionadas de estreptococos do grupo A que aprenderam novos truques por conta própria.

Uma forma pela qual organismos semelhantes podem desenvolver as mesmas características – como virulência avançada – é pela seleção natural ao ajustar de forma independente genes partilhados da mesma forma.

Porém, outros estudos já sugeriram que essa estirpe de bactéria recebeu ajuda na forma de uma infecção própria, proveniente de um tipo de vírus chamado fago.

“As toxinas teriam sido transferidas para a bactéria quando foi infetada por vírus que carregavam os genes da toxina”, disse Mark Walker, biocientista da Universidade de Queensland. “Nós mostrámos que essas toxinas adquiridas permitem que o Streptococcus pyogenes colonize melhor o seu hospedeiro, o que provavelmente permite que supere outras estirpes na competição.”

Num processo conhecido como transferência horizontal de genes, um gene que evoluiu num micróbio pode ser incorporado ao genoma de um vírus e editado no ADN de um novo hospedeiro, criando uma espécie de clone do original.

Embora dificilmente se limite às bactérias, é uma forma rápida e prática para os micróbios unicelulares se adaptarem. Esses genes roubados podem fornecer aos patógenos novas formas de entrar nos tecidos do hospedeiro ou resistir à guerra química que, de outra forma, os manteria à distância.

Para verificar a importância do superantígeno adquirido, os cientistas usaram a edição genética para desativar a sua codificação. Como resultado, as estirpes perderam o poder de colonizar os modelos animais usados ​​para testar a virulência da bactéria.

Por enquanto, a gestão da pandemia de covid-19 parece conter os surtos de escarlatina, uma vez que é improvável que o estreptococo do grupo A se torne uma epidemia sob as restrições atuais.

“Mas quando o distanciamento social finalmente for relaxado, a escarlatina provavelmente voltará”, disse Walker. “Assim como a covid-19, em última análise, uma vacina será crítica para erradicar a escarlatina – uma das doenças infantis mais comuns e mortais da história”.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica Nature Communications.

PARTILHAR

RESPONDER

Vieira continua em domiciliária. MP vai pedir reforço de garantias de caução

O Ministério Público (MP) vai pedir reforço de garantias de caução por entender que o uso das ações da SAD do Benfica não é a forma apropriada. O Correio da Manhã avança, esta manhã, que o …

Investigadores suecos pagam 23 dólares a quem se vacinar contra a covid-19

Recompensa surge no âmbito de uma pesquisa que pretende avaliar o nível de eficácia de diferentes incentivos à vacinação contra a Covid-19. O estudo conta com a participação de 8.200 voluntários com menos de 60 …

Costa diz que Estado se curva "perante a memória" de Otelo. Mas BE condena ausência de luto nacional

O primeiro ministro, António Costa, e o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, decidiram não declarar luto nacional pela morte de Otelo Saraiva de Carvalho, Capitão de Abril. A líder do BE e o …

Catarina Martins volta a bater o pé e Jerónimo sublinha: "Ainda não há Orçamento"

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, esta terça-feira, o Bloco de Esquerda, o PCP e o CDS, em mais uma ronda de reuniões com os partidos com assento parlamentar. Se o objetivo do Presidente da República era …

Simone Biles, Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Simone Biles. O ouro olímpico não é sinónimo de paz, muito menos interior

Na sequência do escândalo Nassar, a opinião pública dos EUA concordou que não valia tudo no caminho até ao ouro olímpico — principalmente quando está em causa a dignidade humana. Com a sua principal estrela …

"Sinto que desci ao inferno". Polícias recordam ataque ao Capitólio

"É assim que vou morrer", "sinto que desci ao inferno" e "corri o risco de ser morto" são alguns dos relatos de polícias que presenciaram a invasão ao Capitólio. Começaram as audiências na comissão da Câmara …

Pandemia aumentou o preço dos carros usados. Venda de veículos novos caiu a pique

A procura por usados aumentou com a pandemia. Com menos carros novos a saírem dos concessionários, também por causa da crise dos chips, a oferta de usados é escassa, levando os preços a subirem. Um choque …

Jogos Olímpicos: três polémicas de arbitragem em 24 horas

Depois da pontuação controversa no surf, uma decisão que quase ninguém entendeu, no basquetebol e no judo. A arbitragem não é, ou não é suposto ser, o foco de qualquer edição dos Jogos Olímpicos. E não …

Rui Vitória quer levar Manafá para o Spartak Moscovo

O Spartak Moscovo, treinado por Rui Vitória, desistiu da contratação de Gabriel e apresentou agora uma proposta por Wilson Manafá. Desde que chegou a Moscovo para treinar o Spartak, Rui Vitória tem sondado alguns jogadores que …

Centro de Migrantes de Caxias seria pago pelo SEF com carros apreendidos e obras eram feitas por presos

As obras feitas para a construção de um Centro de Migrantes no complexo prisional de Caxias terão sido pagas pelo SEF com carros apreendidos. O Centro de Instalação Temporária de migrantes no complexo prisional de Caxias …