Advogados medievais usavam pele de carneiro como método antifraude

Dave Lee

Uma equipa de investigadores identificou as espécies de animais usadas ​​em documentos legais britânicos que datam dos séculos XIII e XX e descobriu que, quase sempre, eram escritos em pele de carneiro.

Os cientistas das Universidades de Exeter, York e Cambridge, no Reino Unido, descobriram que os documentos legais britânicos dos séculos XIII a XX foram quase sempre escritos em pele de carneiro, em vez de pele de cabra ou bezerro.

A equipa realizou espectrometria de massa em 645 amostras de páginas individuais de documentos legais britânicos de arquivos e coleções particulares datando dos séculos XVI a XX e identificou proteínas que mostraram que 622 deles eram de pele de carneiro.

As ovelhas depositam gordura entre as várias camadas da pele. Durante a fabricação do pergaminho, a casca é submersa em cal, que retira a gordura, deixando espaços vazios entre as camadas. As tentativas de raspar a tinta resultariam no desprendimento dessas camadas – conhecido como delaminação -, deixando uma mancha visível e destacando qualquer tentativa de alterar a escrita.

A pele de carneiro tem um teor de gordura muito alto, representando até 30% a 50%, em comparação com 3% a 10% na pele de cabra e apenas 2% a 3% no gado bovino. Consequentemente, o potencial de raspagem para desprender essas camadas é consideravelmente maior na pele de carneiro do que noutros animais.

O uso contínuo de pele de carneiro em vez de pele de cabra ou bezerro nos séculos posteriores foi provavelmente influenciado pela sua maior disponibilidade e menor custo.

“Os advogados preocupavam-se muito com a autenticidade e a segurança, como podemos ver através do uso de selos. Mas agora parece que essa preocupação se estendeu à escolha da pele de animal que também usavam”, explicou Sean Doherty, arqueólogo da Universidade de Exeter, em comunicado.

Textos sobreviventes sugerem o uso de pele de carneiro como um dispositivo antifraude. O texto do século XII “Dialogus de Scaccario”, escrito por Richard FitzNeal, Lorde Tesoureiro durante os reinados de Henrique II e Ricardo I, instrui o uso de pele de carneiro nas contas reais, pois “não cedem facilmente ao apagamento sem que a mancha seja aparente”.

No século XVII, quando o papel era comum, o presidente do Supremo Tribunal, Edward Coke, escreveu sobre a necessidade de que os documentos legais fossem escritos em pergaminho “pois a escrita neles é menos sujeita a alterações ou corrupção”.

“Arquivo extraordinariamente molecular”

Por serem tão duráveis, milhões de documentos jurídicos antigos sobrevivem em arquivos e coleções particulares britânicos, mas são frequentemente negligenciados por causa da sua suposta falta de valor histórico.

Muitos foram descartados, queimados ou mesmo reaproveitados em abajures durante o século XX, após a Lei de Registo de Imóveis de 1925, que significava que não precisavam de ser guardados.

Até agora, pouco se sabia sobre estes documentos. Muitos foram incorretamente catalogados como pergaminho de pele de bezerro quando, na verdade, eram feitos de pele de carneiro.

“O texto escrito nestes documentos é frequentemente considerado de valor histórico limitado, visto que a maioria é tomada por rubricas estereotipadas. No entanto, as técnicas de investigação modernas significam que agora podemos não só ler o texto, mas também as informações biológicas e químicas registadas na pele. Como objetos físicos, são um arquivo extraordinariamente molecular através do qual séculos de artesanato, comércio e criação de animais podem ser explorados”, afirmou Doherty.

“O que o nosso estudo revela é que havia uma compreensão sofisticada das propriedades de diferentes produtos e que podiam ser explorados. No caso do pergaminho de pele de carneiro, as suas propriedades eram utilizadas para evitar fraudes pela alteração sub-reptícia de documentos legais importantes”, disse Jonathan Finch, do Departamento de Arqueologia da Universidade de York.

“A estrutura da pele evidenciava claramente qualquer tentativa de apagar ou alterar o texto original. O sucesso desse estudo abre um novo potencial no estudo de produtos de origem animal ao longo do período histórico”, rematou.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica Heritage Science.

Maria Campos, ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Mulher com síndrome de Down perde ação judicial contra a lei do aborto no Reino Unido

Na semana passada, uma mulher com síndrome de Down perdeu uma ação judicial contra o governo britânico por causa de uma lei que permite o aborto até ao fim da gestação de fetos que poderão …

Tribunal condena corticeira da Feira por despedir trabalhadora que denunciou assédio

A corticeira Fernando Couto foi condenada pelo Tribunal da Feira a pagar uma coima de cerca de 11 mil euros por ter despedido a operária Cristina Tavares, após esta ter denunciado ser vítima de assédio …

Dupla de cientistas apresenta uma nova abordagem para reciclar plástico

Um novo estudo oferece uma abordagem totalmente nova para reciclar plástico, tendo sido inspirada na forma como a natureza naturalmente "recicla" os componentes dos polímeros orgânicos presentes no ambiente. As proteínas são um dos principais compostos …

Edição de 2021 da Web Summit recebe 40 mil participantes. Moedas como presidente não será problema

Evento, que se realiza entre 1 e 4 de Novembro, volta a decorrer em formato presencial depois de em 2020 a pandemia ter transferido as atividades para o ambiente digital. O presidente executivo da Web Summit, …

Alunos carenciados com desempenho inferior aos dos mais favorecidos

Mesmo tendo acesso a meios digitais, o desempenho dos alunos carenciados foi sempre “inferior” aos dos seus colegas oriundos de meios mais favorecidos.  Segundo noticia o Público, esta é uma das principais conclusões a que chegou …

José Rendeiro condenado a três anos e seis meses de prisão efetiva

Embaixador jubilado Júlio Mascarenhas acusa o BPP de o ter convencido a investir num produto com juros e capital garantido num momento em que o banco já atravessava sérias dificuldades. O antigo presidente do Banco Privado …

Cantor R. Kelly declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual

O cantor norte-americano R. Kelly foi esta segunda-feira declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual, após um julgamento em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), que decorreu durante seis semanas, no qual …

"A FIFA engloba 211 países e 133 nunca estiveram num Mundial"

Arsène Wenger apresenta argumentos para defender a realização de um campeonato do mundo de dois em dois anos. O novo calendário FIFA continua a originar reacções e entrevistas. Arsène Wenger falou sobre as propostas - a …

Responsáveis do Lar do Comércio acusados por 67 crimes de maus tratos

O Ministério Público (MP) imputou 67 crimes de maus tratos, 17 deles agravados por resultarem em morte, a um ex-presidente e a uma diretora de serviços do Lar do Comércio, em Matosinhos. Num processo em que …

Sporting: espanhóis analisam o "maior" Haaland

Avançado do Borussia Dortmund apresenta recordes que, nem Messi, nem Cristiano, tinham. O Sporting entra em campo para a segunda jornada da Liga dos Campeões, diante de um Borussia Dortmund que tem no seu plantel uma …