A enigmática expressão de Mona Lisa é mesmo um sorriso

Musée du Louvre / Wikimedia

Mona Lisa (p.), por Leonardo Da Vinci

Há vários anos que existe um forte debate a respeito da pintura mais famosa de Leonardo da Vinci: afinal, a Mona Lisa está ou não a sorrir? Mas parece que o mistério foi resolvido. A Gioconda foi caracterizada como “muito feliz” por 97% dos entrevistados num estudo sobre a interpretação das expressões faciais.

A expressão de Mona Lisa foi sempre considerada ambígua — a expressão mais ambígua de toda a arte ocidental, talvez. Isso fez desta pintura famosa um assunto apropriado para o estudo da equipa de Kornmeier sobre os fatores que ajudam os humanos a interpretar pistas visuais como expressões faciais.

A equipa analisou uma cópia da obra-prima de Leonardo da Vinci e manipulou o sorriso da Gioconda, virando os cantos da sua boca gradualmente para criar quatro Mona Lisas felizes e quatro tristes. As nove imagens foram então observadas 30 vezes, de um modo aleatório, por 12 participantes do estudo, que teriam de descrever cada imagem como “feliz ou triste”

“Ficamos realmente espantados. Dadas as descrições da arte e da história da arte, pensamos que a descrição mais utilizada seria a ambiguidade”, afirmou o neurocientista Juergen Kornmeier, da Universidade Federal de Friburgo e co-autor do estudo publicado na Nature.

Em vez disso, 97% das pessoas descreveram a imagem original como “muito feliz”. Depois, a pintura original foi exibida com oito versões mais tristes. Desta vez, o original ainda foi identificado como feliz, mas as versões mais tristes foram descritas como ainda mais tristes do que na primeira experiência.

Segundo Kornmeier, os resultados mostram que o nosso reconhecimento da felicidade e da tristeza depende do contexto — não existe uma “escala absoluta fixa de felicidade e tristeza no nosso cérebro”.

Ou seja, o facto de os participantes serem mais rápidos a rotular as Mona Lisas felizes do que as tristes também pode mostrar que os seres humanos têm uma preferência pela felicidade. Os especialistas afirmam que compreender melhor esta matéria pode ajudar no estudo de transtornos psiquiátricos.

Esta não é a primeira vez que a Mona Lisa tem os seus sentimentos mais profundos analisados. O Weekly Observer aponta que um estudo de 2005 realizado por cientistas da Universidade de Amesterdão chegou a uma conclusão semelhante através de um software de reconhecimento de emoções, que teve em conta uma variação de características faciais, incluindo a curva dos lábios e rugas à volta dos olhos.

No estudo, os cientistas concluíram que a imagem expressa “83% de felicidade, 9% de arrogância, 6% de medo e 2% de raiva”.

PARTILHAR

RESPONDER

Será que os cães conseguem farejar uma gravidez?

Já ouvimos falar de cães a farejar bombas e de cães a farejar cancro. E quanto à gravidez, o que poderá o nariz de um cão dizer? Há várias mulheres grávidas a relatar que o cão …

Quatro mortos em manifestações na Bolívia. São 23 desde o final de outubro

Comissão Interamericana de Direitos Humanos registou pelo menos 122 feridos desde sexta-feira. Já houve 23 vítimas mortais desde o final de Outubro, início da crise social e política na Bolívia. Quatro pessoas morreram no sábado em …

UE acusada de pagar aos próprios traficantes para travar imigração

A União Europeia conta com um processo no Tribunal Penal Internacional interposto por Omer Shatz e Juan Branco. A UE é acusado de pagar aos próprios traficantes para parar a imigração. Omer Shatz, advogado e professor …

Governo quer ter a primeira refinaria de lítio da Europa

O Governo quer abrir a primeira refinaria de lítio no continente europeu. No entanto, João Galamba refere que tudo depende dos resultados do estudo de impacto ambiental das minas. Sem confirmar que venha a haver minas …

Cientistas desvendam novas pistas sobre o maior macaco que já existiu

O mítico "Bigfoot" é uma criatura lendária mas, durante milhões de anos, o verdadeiro — um símio com o dobro do tamanho de um ser humano adulto — percorreu as florestas do Sudeste Asiático, antes …

Preço do tabaco pode aumentar. Decisão cabe ao Governo

Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um aumento do preço do tabaco, e a decisão depende agora do Governo. Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um …

Derrocada em Borba. Um ano depois, ainda é uma ferida aberta e problemas continuam

Um ano depois do acidente na pedreira de Borba, o sindicato que representa os trabalhadores garante que os perigos persistem, enquanto a associação Assimagra salienta que foi um caso “isolado” e está a avançar com …

Caracóis estão a ficar amarelos para se adaptarem às alterações climáticas

Nas áreas urbanas, os caracóis estão a ficar com as cascas amarelas para se adaptarem às alterações climáticas. Os cientistas vão agora analisar os padrões das penas dos pássaros, para perceberem se também há uma …

Os terrenos contaminados de Fukushima vão tornar-se num centro de "energia verde"

Fukushima, local que sofreu um dos maiores desastres nuclear do mundo, vai reinventar-se e tornar-se num centro de energia renovável. Depois de ser atingido por um terramoto e um tsunami de 15 metros em 2011, três …

Cientistas identificaram neurónios específicos que mapeiam memórias

Neurocientistas descobriram um aspeto curioso de como a nossa memória funciona: Quando o cérebro precisa de recuperar informação relacionada com um lugar específico, neurónios individuais podem atingir memórias específicas. De acordo com o estudo publicado na …