Engenheiros geniais criam sensores wireless do tamanho de grãos de poeira

Engenheiros da Universidade da Califórnia, em Berkeley, nos Estado Unidos, criaram sensores wireless do tamanho de grãos de poeira, que podem ser implantados dentro do corpo.

Os sensores, que foram imaginados pela primeira vez na década de 1980, são demasiado pequenos para ter uma bateria, não sendo aparentemente possível que tenham energia.

Mas aí entra a genialidade dos inventores: estes sensores são alimentados, e os seus dados são recolhidos, através de ultra-sons.

Os resultados do estudo da equipa de engenheiros, liderada pelo professor Michel Maharbiz, da UC Berleley, foram publicados na revista Neuron.

Num primeiro momento, os engenheiros pensaram em usar ondas de rádio, mas estas apresentam um problema sério: a sua penetração no corpo humano é muito pequena.

Já a tecnologia de ultra-sons, além de estar bastante avançada e ser muito bem conhecida, é capaz de atingir todo o corpo, em qualquer posição.

Quando colocados num músculo ou nervo, eles podem não apenas fazer leituras dos sinais eléctricos que passam, mas podem também ser usados para estimular o músculo ou nervo.

Os protótipos destes sensores, que foram testados em ratos, usam uma resina epóxi cirúrgica, mas no futuro a ideia é usar um material inerte, que não active o sistema imunológico.

O tamanho actual dos sensores é de 1 milímetro, ou o tamanho de um grão de areia, o que permite que os mesmos sejam colocados em contacto directo com os nervos ou músculos que se pretende monitorizar.

(dr) Ryan Neely / UC Berkeley

Micro-sensores wireless implantados no nervo de um rato

Micro-sensores wireless implantados no nervo de um rato

Ao receber o ultra-som, o sensor usa um cristal piezoelétrico para produzir energia eléctrica – que vai estimular um nervo ou músculo.

Quando o sinal eléctrico passa pelo nervo ou fibra muscular, altera o circuito e a vibração do cristal, o que pode ser detectado por um receptor de ultra-sons.

Desta forma, o mesmo sensor pode ser usado tanto para actuar no nervo ou fibra muscular, como para fazer leituras do nervo ou fibra muscular.

Eléctrodos no cérebro

Um dos primeiros usos para estes sensores, assim que eles se tornem ainda menores, será a substituição dos eléctrodos utilizados para fazer controle de próteses, implantados directamente no cérebro.

Para implantar um eléctrodo no cérebro, é preciso passar pelo crânio, e deixar um buraco por onde bactérias e outros micróbios oportunistas podem entrar e causar infecções.

Já os sensores wireless podem ser implantados directamente no cérebro sem necessitar de orifícios, nem ser sujeitos a movimentos indesejados, que podem ocorrer no caso de eléctrodos.

Para que possam ser colocados no cérebro, explica o Science News Journal, os sensores precisam ainda de encolher muito, até cerca de 0.05 mm.

Mas depois de já se ter chegado a 1 mm, 0.05 parece um saltinho. E um passo de gigante para a Humanidade.

ZAP / HypeScience

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …

Sindicato denuncia mobilização forçada de médicos para tratar surto de Reguengos de Monsaraz

O Sindicado dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denunciou hoje o que diz ser uma “mobilização forçada de médicos” pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo para o combate ao surto de covid-19 de …

Novo comboio-bala entra ao serviço na linha Tóquio-Osaka

O mais novo modelo de comboio-bala do Japão - o N700S - entrou ao serviço no dia 1 de julho, numa jornada inaugural de Tóquio a Osaka. A série N700S (sendo que o "S" significa "Supreme") …

Kanye West anuncia candidatura à Presidência dos EUA

O músico norte-americano Kanye West anunciou este sábado, Dia da Independência dos Estados Unidos, a sua candidatura à Casa Branca, depois de ter apoiado anteriormente o atual Presidente e candidato à reeleição, Donald Trump. "Agora devemos …

Vídeo revela, pela primeira vez, como é que o cérebro se livra dos neurónios mortos

Uma equipa de cientistas conseguiu usar, pela primeira vez, uma técnica que "mata" uma célula cerebral isolada e permite observar o processo de limpeza do sistema nervoso em tempo real. A equipa de investigadores conseguiu registar …

Reutilizável, dobrável e esterilizável. Novo "escudo" protege profissionais de saúde

Uma equipa de cientistas desenvolveu, recentemente, um dispositivo dobrável em forma de tenda que atua como um escudo físico para os profissionais de saúde na linha da frente contra a covid-19. A tenda redutora de gotículas …

O Lamborghini mais potente acelera dentro de água. É um iate com 4.000 cavalos

O resultado da primeira colaboração entre a a Lamborghini e os especialistas da Tecnomar é um iate de luxo, com 4.000 cavalos que recria a sensação de condução de um superdesportivo dentro de água. O mais …

Aproxima-se o lançamento do rover Perseverance

O rover Perseverance da NASA está a menos de um mês da data de lançamento prevista para 20 de julho. A missão de astrobiologia do veículo vai procurar sinais de vida microscópica passada em Marte, explorar …