/

Engenheiro constrói prótese a partir de garrafas de plástico

2

Enzo Romero

Enzo Romero, que nasceu só com uma mão, desenvolveu uma prótese a partir de garrafas de plástico por menos de 800€.

Segundo a Interesting Engineering, umas das atividades favoritas do engenheiro Enzo Romero é tocar guitarra, o que faz sem esforço com a sua mão azul.

Inicialmente, costumava doer, pois usava o seu braço direito sem dedos para tocar os acordes. Mas agora pode tocar música sem dor.

Tudo começou com “The Empire Strikes Back”, o épico filme espacial de 1980. No final do filme, Luke Skywalker perde a mão direita, num duelo com Darth Vader.

Mais tarde, o caveleiro jedi é equipado com uma “prótese L 980”, que não podia controlar mas também sentir.

A ideia trouxe esperança a Romero, que viveu a sua vida a andar de bicicleta ou a jogar basquetebol apenas com a mãe esquerda.

Romero tinha numerosas perguntas que só podiam ser respondidas através da engenharia. Mas a necessidade é muitas vezes a mãe da invenção.

Enzo nasceu em Cusco, Peru, mas mudou-se para a capital de Lima para estudar mecatrónica.

Ao contrário da sua vida na terra natal, onde a falta de um membro não atraía olhares, as pessoas de Lima começaram a olhar fixamente para a falta da mão. Enzo acabou por esconder o fim do seu braço direito, para evitar esses mesmos olhares.

Anos mais tarde, Romero desenvolveu uma mão esquerda feita de uma garrafa de plástico azul brilhante. Hoje, é o fundador da LAT Bionics e um TED Fellow de 2022, pelos seus esforços para tornar as suas próteses acessíveis para os seus companheiros peruanos.

Romero ainda não descobriu forma de fazer os seus membros prostéticos sentir, mas espera chegar lá, incorporando acessórios personalizados e feedback táctil.

“Temos a capacidade de desenvolver a nossa própria tecnologia, tendo em mente as necessidades do nosso povo”, contou numa TED Talk em Vancouver no início desta semana.

Três milhões de pessoas em todo o mundo têm uma amputação de braço, constituindo 30% de todos os amputados, e 2,4 milhões de amputados de braço vivem em países em desenvolvimento. Os membros biónicos, sem dúvida, são caros — as próteses mecânicas podem custar 37.000€ ou mais.

Era aqui que Romero queria fazer a diferença. Utilizando tecnologias de baixo custo e eficazes, a sua empresa já equipou mais de 20 pessoas no Peru com novos membros.

A mão biónica custa em qualquer lugar desde 740€, para um modelo mais mecânico, mais potente para o corpo, até 2.300€ para uma mão equipada com um sensor electromiográfico (EMG), que e acordo com o Insider, controla a prótese através de pequenos movimentos musculares.

As mãos biónicas LAT têm um motor interior, mas podem realizar várias tarefas como beliscar, carregar e pressionar. Estes membros são feitos a partir de um filamento feito com garrafas de plástico PET derretidas.

As mãos prostéticas de baixo custo ainda não conseguem clicar num rato ou digitar num computador. Mas muitos dos seus clientes perderam as mãos em acidentes de trabalho e querem voltar ao trabalho manual. Segundo Romero, alguns requerem próteses que lhes permitam fazer trabalhos menos perigosos no computador.

Serão necessárias novas soluções que incluam dois motores. Estes podem ser caros, mas Romero tem outra medida de poupança de custos na manga: está a considerar equipar as mãos com um interruptor, para resolver o problema da dactilografia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  Inês Costa Macedo, ZAP //

2 Comments

  1. “Mais tarde, o caveleiro jedi é equipado com uma “prótese L 980”, que não podia controlar mas também sentir.”

    Passando à frente da ficção, um cavaleiro jedi com uma prótese que não podia controlar não seria certamente muito útil…!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE