Físicos engarrafaram o plasma mais frio do mundo

Uma equipa de físicos da Universidade Rice, nos EUA, descobriu uma forma de prender o plasma mais frio do mundo no interior de uma garrafa magnética.

O objetivo da equipa da universidade norte-americana era entender como se comporta a sopa de eletrões e iões, a que chamamos de plasma, num campo magnético.

Com a ajuda de estrôncio arrefecido a laser, o investigador Tom Killian e os estudantes Grant Gorman e MacKenzie Warrens fizeram um plasma de cerca de 1 grau acima do zero absoluto (ou, aproximadamente, -272 graus Celsius), e prenderam-no com as forças dos ímanes à sua volta.

Esta foi a primeira vez que investigadores conseguiram confinar magneticamente plasma ultrafrio.

A experiência forneceu “um ambiente de teste limpo e controlável para estudar plasmas neutros em locais muito mais complexos, como a atmosfera do Sol ou estrelas anãs brancas”, disse Killian, professor de física e astronomia, em comunicado. “É muito útil ter um plasma tão frio e sistemas de laboratório limpos.”

Stephen Bradshaw, coautor do artigo científico publicado na Physical Review Letters, considera que este estudo é especialmente esclarecedor no que diz respeito aos fenómenos de plasma no Sol, uma vez que, em toda a atmosfera, o seu forte campo magnético “altera tudo de forma subtil, mas complicada”, capaz de confundir os cientistas.

Uma nuvem de plasma ultrafria (amarelo) em rápida expansão confinada por um íman quandrípolo

De acordo com Killian, prender o plasma com os ímanes foi um desafio porque o campo magnético destrói o sistema ótico que os físicos usam para observar os plasmas ultrafrios. Além de tornar a tarefa muito mais espinhosa, os campos magnéticos também mudam dramaticamente em todo o plasma.

“Temos de lidar não apenas com um campo magnético, mas com um campo magnético que varia no espaço, de uma forma razoavelmente complicada, para entender os dados e descobrir o que está a acontecer no plasma”, resumiu o líder da investigação.

O comportamento do plasma também é influenciado pelo campo magnético, o que torna esta técnica de captura muito útil. O vento solar é um exemplo na natureza que poderia beneficiar deste salto na investigação, já que quando quando o plasma do vento solar atinge a Terra, interage com o campo magnético do nosso planeta, mas os detalhes dessas interações ainda não são claros.

O responsável pela pesquisa acrescentou ainda que a configuração magnética quandrípolar que os cientistas usaram para engarrafar o plasma é semelhante aos designs que os cientistas de energia de fusão desenvolveram na década de 1960. Tal como o plasma ultrafrio, o plasma para a fusão (que precisa de ter cerca de 150 milhões de graus Celsius) é muito difícil de conter magneticamente.

No fundo, há muitas perguntas não respondidas sobre de que forma o plasma e os campos magnéticos interagem e se influenciam um ao outro. “Observar tudo num plasma de laboratório bom e puro poderia ajudar-nos a entender melhor como interagem as partículas com o campo”, rematou Bradshaw.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberta de bactérias comedoras de metano numa árvore comum pode ser boa notícia

A descoberta de bactérias que "comem" metano numa árvore australiana comum pode ser uma boa notícia no desafio de reduzir a emissão de gases com efeito de estufa. As árvores são os pulmões da Terra, uma …

Rio diz ser "desejável" que PSD Madeira e Açores excluam Chega de coligações

Em Portugal Continental, o PSD não aceita coligações com o Chega para as próximas autárquicas, sublinhou Rui Rio, que deseja que o mesmo princípio seja seguido nas Regiões Autónoma. Esta terça-feira, Rui Rio reiterou que …

Marcelo começa a despedir-se da emergência e passa a bola ao Governo

Depois do 15.º estado de emergência e com a situação mais controlada, o Presidente da República entende que o ideal é o Governo começar a procurar alternativas legais. Marcelo Rebelo de Sousa espera que o 15.º …

EDP abdicou de decisão do Fisco antes de vender barragens

A EDP abdicou de uma prerrogativa prevista na lei que permitia à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) abrir um procedimento de inspeção prévio antes de concluir a venda das seis barragens ao consórcio francês da …

O chapim-real tem uma cultura (e os "imigrantes" mudam-na para melhor)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Konstanz e do Instituto Max Planck, na Alemanha, descobriu que os chapins-reais são capazes de mudar a sua cultura para se tornarem mais eficientes. Nos animais, "cultura" é qualquer comportamento …

Cabrita promete "as mais profundas transformações" na PSP, GNR e SEF

O ministro da Administração Interna disse esta terça-feira que as reformas que o Governo está a fazer na PSP, GNR e SEF são "as mais profundas transformações" realizadas nas forças de segurança "desde há …

Medina diz que o comportamento de Sócrates "corrói o funcionamento da vida democrática"

Os dirigentes socialistas têm estado num silêncio sobre o caso José Sócrates. Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, reagiu, afirmando que a acusação do juiz de instrução Ivo Rosa é de "enorme gravidade …

Investigadores da Microsoft sugerem que todo o Universo é um "computador autodidata"

Uma equipa de físicos teóricos, que estão a trabalhar com a Microsoft, acredita que todo o Universo é um sistema de autoaprendizagem de leis evolutivas. Chamado de "The Autodidactic Universe" ("O Universo Autodidata"), o artigo argumenta …

Marte não secou de uma vez. Em vez disso, passou por vários ciclos de "vida e morte"

As preciosas capturas da Curiosity no Monte Sharp, localizado dentro da cratera Gale, permitiram aos cientistas identificar as condições climáticas de Marte no passado. Tudo graças às assinaturas que deixaram nas rochas e que agora …

Neuralink divulga vídeo de macaco a jogar videojogo com a mente

A Neuralink, empresa de implantes cerebrais do empresário Elon Musk, divulgou na quinta-feira um vídeo que mostra a tecnologia a funcionar em macacos. No vídeo, um cientista da Neuralink explica a forma como a empresa implantou …