Estado, famílias e empresas nunca deveram tanto dinheiro

SXC

O endividamento total da economia portuguesa atingiu um novo recorde em maio, com a soma do que devem Estado, famílias e empresas a ascender a 724,7 mil milhões de euros.

Em maio, o endividamento do setor não financeiro aumentou, pelo segundo mês consecutivo, para um valor recorde de 724,7 mil milhões de euros, segundo dados revelados esta quinta-feira pelo Banco de Portugal.

“Em maio de 2018, o endividamento do setor não financeiro situava-se em 724,7 mil milhões de euros, dos quais 322,4 mil milhões respeitavam ao setor público e 402,3 mil milhões ao setor privado”, informou o Banco de Portugal no boletim estatístico.

Em relação ao mês de abril, o endividamento da economia cresceu em mil milhões de euros, já que nesse mês tinha ascendido a 723,65 mil milhões, valor revisto em baixa pelo Banco de Portugal, em relação aos 724,29 mil milhões inicialmente avançados, explica o Jornal de Negócios.

Este aumento resulta, sobretudo, da subida do endividamento do setor privado (700 milhões de euros), dado que no setor público o incremento foi de 300 mil milhões.

Aliás, este aumento da dívida pública já era conhecido e foi justificado pelo Banco de Portugal com a subida dos empréstimos relativamente ao final de abril. “Os ativos em depósitos das administrações públicas diminuíram 1,1 mil milhões de euros, tendo a dívida pública líquida de depósitos registado um acréscimo de 1,4 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 226,3 mil milhões de euros”, esclareceu.

No que diz respeito ao setor privado, “observou-se um aumento do endividamento externo das empresas em 0,5 mil milhões de euros. Os particulares registaram um incremento do endividamento face ao sector financeiro de 0,2 mil milhões de euros”.

Estes dados revelam o valor nominal do endividamento, dado que ainda não estão disponíveis os dados do produto interno bruto (PIB).

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. No passado recente muitos foram aqueles que diziam que não tinham qualquer responsabilidade na dívida nacional. Pois, por perfeito desconhecimento, diziam isto. Nada de mais errado. Todos os portugueses têm a sua fatia na dívida nacional, mesmo aqueles que nunca contraíram um único crédito. É que o Estado para pagar aos fornecedores e aos trabalhadores endivida-se. E todos os anos tem menos receitas do que despesas (anos houve em que esta diferença era próximo de 10%; depois veio o Passos aproximar estas duas grandezas). Assim temos funcionários públicos a receber acima das possibilidades do nosso estado e sobretudo da nossa economia. De igual modo no privado, as empresas estão todas descapitalizadas e endividadas. Sem fortes e diferenciadores fatores de competitividade internacional a generalidade das nossas empresas apenas sobrevive. E assim, endivida-se diariamente!
    Tudo na nossa economia está desajustado mas infelizmente, e não faltará seguramente muito tempo, iremos ter um novo acerto geral. E esse momento não vai demorar muito mais tempo. Prevejo que num horizonte de 4 anos teremos um novo apertão. Vamos ver. Até poderá ser antes caso a guerra comercial entre bloco sofra uma escalada rápida.

    • Deve o país. Logo também deves!
      E muito provavelmente o país endividou-se para pagar o teu salário ou a tua pensão.

      • NÃO POSSO ESTAR DE ACORDO!!! O PAÍS ENDIVIDOU-SE POR MÁ GESTÃO! SERÁ SEMPRE IMPOSSÍVEL GANHAR 10 E GASTAR 20. PERGUNTEM A QUALQUER DONA DE CASA. A “PEQUENA” DIFERENÇA É QUE A DONA DE CASA USA O SEU DINHEIRO E OS MAUS GESTORES (POLÍTICOS/GOVERNANTES) USAM DINHEIRO DOS OUTROS… SÃO «ELES» QUE NOS ENDIVIDAM!

  2. Não há de facto necessidade de ir ao oculista para verificarmos que está tudo a ir na mesma onda, agora é só deixar continuar andar porque o vício está de novo entranhado e depois quando tudo chegar à beira do precipício chama-se de novo a troika e alcunham-se de criminosos aqueles que se sujeitarem governar o país em tais condições, na prática será de novo reviver mais do mesmo.

  3. Alguns andam a divertir-se com o dinheiro dos outros e depois pagamos todos. O cenário e a prática já é conhecida. Assim, não é difícil fazer omeletas com os ovos dos outros e vender a “banha da cobra”, que está tudo bem e que o país está no melhor. Os portugueses não aprendem e só têm aquilo que merecem e gostam de ser enganados.
    As aparentes melhoras que estamos a atravessar, são, isso sim, resultado do ciclo económico mundial e quando este der a volta (já faltou mais) e quando o BCE deixar de comprar dívida (acaba em Dezembro), os juros forçosamente vão subir e aí é que vão ser elas. Se estivéssemos tão bem como nos “pintam” como se compreende que sejamos o 3º país da UE a crescer menos e onde a dívida continua a crescer, ao contrário de outros!!

RESPONDER

Novo recorde em cinco meses. Mais 780 casos por covid-19 em Portugal

Portugal regista mais seis mortos e 780 casos de infeção por covid-19 esta sexta-feira, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Os números revelados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde …

"Podemos chegar a 1.000 novos casos por dia". Costa pede cautela

No final da reunião de emergência com o gabinete de crise para o acompanhamento da evolução da covid-19 em Portugal, Costa deixou conselhos e pediu cautela. A reunião, convocada na quinta-feira por António Costa, surgiu …

13 de Outubro em Fátima "sim, mas sem peregrinos". Delegada de Saúde espera que a Igreja se "porte bem"

A delegada de Saúde Pública do Médio Tejo defende que as cerimónias religiosas do 13 de Outubro no Santuário de Fátima decorram "sem peregrinos", esperando que a Igreja se porte "tão bem" como aquando do …

Espanha acusa hackers chineses de roubarem informações de vacina contra coronavírus

O Centro Nacional de Inteligência (CNI) espanhol argumenta que hackers chineses terão, alegadamente, acedido a informações confidenciais sobre o desenvolvimento de uma vacina contra o novo coronavírus. A diretora do CNI, Paz Esteban, alerta para um aumento …

Tribunal de Loures. António Joaquim vai manter-se em liberdade

O Tribunal de Loures decidiu esta sexta-feira manter a medida de coação de termo de identidade e residência a António Joaquim, condenado pelo Tribunal da Relação pelo homicídio do triatleta Luís Grilo, após um pedido …

Mesmo com o aumento de infetados, diminuir a quarentena para 10 dias é uma hipótese

A DGS deverá decidir em breve se o período de quarentena pode ser reduzido de 14 dias para apenas 10 dias, mas não para todos os casos. Para ficar menos tempo isolado é necessário cumprir …

Porfírio Silva vê “papel positivo” na candidatura de Ana Gomes, mas critica farpas a Costa

O dirigente socialista Porfírio Silva considera que a candidatura presidencial de Ana Gomes pode ser positiva se não cair na "armadilha" de se centrar no ataque a António Costa e se não "atropelar" o Estado …

Operação Lex. Três juízes acusados de corrupção. Luís Filipe Vieira vai ser julgado por um crime

Os juízes Rui Rangel, Fátima Galante e Vaz das Neves e o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, estão entre os 17 acusados da Operação Lex. Em causa estão crimes de corrupção, abuso de poder, …

Em tempos difíceis, Von der Leyen diz que “sempre vi em Portugal um forte aliado"

Numa entrevista, Ursula von der Leyen disse que Portugal terá “a tarefa de liderar” com a recuperação da pandemia quando chegar à presidência do Conselho da UE em 2021. E promete uma proposta “mais humana …

Caso Eurofin. Salgado recebe coima de 4 milhões de euros do Banco de Portugal

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES, foi condenado pelo Banco de Portugal a pagar mais uma coima, no valor de quatro milhões de euros, no processo sobre o veículo suíço Eurofin e por operações que lesaram …