Estado, famílias e empresas nunca deveram tanto dinheiro

SXC

O endividamento total da economia portuguesa atingiu um novo recorde em maio, com a soma do que devem Estado, famílias e empresas a ascender a 724,7 mil milhões de euros.

Em maio, o endividamento do setor não financeiro aumentou, pelo segundo mês consecutivo, para um valor recorde de 724,7 mil milhões de euros, segundo dados revelados esta quinta-feira pelo Banco de Portugal.

“Em maio de 2018, o endividamento do setor não financeiro situava-se em 724,7 mil milhões de euros, dos quais 322,4 mil milhões respeitavam ao setor público e 402,3 mil milhões ao setor privado”, informou o Banco de Portugal no boletim estatístico.

Em relação ao mês de abril, o endividamento da economia cresceu em mil milhões de euros, já que nesse mês tinha ascendido a 723,65 mil milhões, valor revisto em baixa pelo Banco de Portugal, em relação aos 724,29 mil milhões inicialmente avançados, explica o Jornal de Negócios.

Este aumento resulta, sobretudo, da subida do endividamento do setor privado (700 milhões de euros), dado que no setor público o incremento foi de 300 mil milhões.

Aliás, este aumento da dívida pública já era conhecido e foi justificado pelo Banco de Portugal com a subida dos empréstimos relativamente ao final de abril. “Os ativos em depósitos das administrações públicas diminuíram 1,1 mil milhões de euros, tendo a dívida pública líquida de depósitos registado um acréscimo de 1,4 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 226,3 mil milhões de euros”, esclareceu.

No que diz respeito ao setor privado, “observou-se um aumento do endividamento externo das empresas em 0,5 mil milhões de euros. Os particulares registaram um incremento do endividamento face ao sector financeiro de 0,2 mil milhões de euros”.

Estes dados revelam o valor nominal do endividamento, dado que ainda não estão disponíveis os dados do produto interno bruto (PIB).

ZAP ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. No passado recente muitos foram aqueles que diziam que não tinham qualquer responsabilidade na dívida nacional. Pois, por perfeito desconhecimento, diziam isto. Nada de mais errado. Todos os portugueses têm a sua fatia na dívida nacional, mesmo aqueles que nunca contraíram um único crédito. É que o Estado para pagar aos fornecedores e aos trabalhadores endivida-se. E todos os anos tem menos receitas do que despesas (anos houve em que esta diferença era próximo de 10%; depois veio o Passos aproximar estas duas grandezas). Assim temos funcionários públicos a receber acima das possibilidades do nosso estado e sobretudo da nossa economia. De igual modo no privado, as empresas estão todas descapitalizadas e endividadas. Sem fortes e diferenciadores fatores de competitividade internacional a generalidade das nossas empresas apenas sobrevive. E assim, endivida-se diariamente!
    Tudo na nossa economia está desajustado mas infelizmente, e não faltará seguramente muito tempo, iremos ter um novo acerto geral. E esse momento não vai demorar muito mais tempo. Prevejo que num horizonte de 4 anos teremos um novo apertão. Vamos ver. Até poderá ser antes caso a guerra comercial entre bloco sofra uma escalada rápida.

    • Deve o país. Logo também deves!
      E muito provavelmente o país endividou-se para pagar o teu salário ou a tua pensão.

      • NÃO POSSO ESTAR DE ACORDO!!! O PAÍS ENDIVIDOU-SE POR MÁ GESTÃO! SERÁ SEMPRE IMPOSSÍVEL GANHAR 10 E GASTAR 20. PERGUNTEM A QUALQUER DONA DE CASA. A “PEQUENA” DIFERENÇA É QUE A DONA DE CASA USA O SEU DINHEIRO E OS MAUS GESTORES (POLÍTICOS/GOVERNANTES) USAM DINHEIRO DOS OUTROS… SÃO «ELES» QUE NOS ENDIVIDAM!

  2. Não há de facto necessidade de ir ao oculista para verificarmos que está tudo a ir na mesma onda, agora é só deixar continuar andar porque o vício está de novo entranhado e depois quando tudo chegar à beira do precipício chama-se de novo a troika e alcunham-se de criminosos aqueles que se sujeitarem governar o país em tais condições, na prática será de novo reviver mais do mesmo.

  3. Alguns andam a divertir-se com o dinheiro dos outros e depois pagamos todos. O cenário e a prática já é conhecida. Assim, não é difícil fazer omeletas com os ovos dos outros e vender a “banha da cobra”, que está tudo bem e que o país está no melhor. Os portugueses não aprendem e só têm aquilo que merecem e gostam de ser enganados.
    As aparentes melhoras que estamos a atravessar, são, isso sim, resultado do ciclo económico mundial e quando este der a volta (já faltou mais) e quando o BCE deixar de comprar dívida (acaba em Dezembro), os juros forçosamente vão subir e aí é que vão ser elas. Se estivéssemos tão bem como nos “pintam” como se compreende que sejamos o 3º país da UE a crescer menos e onde a dívida continua a crescer, ao contrário de outros!!

RESPONDER

Bloco mede forças com o Governo. PSD volta a pedir divulgação (de parte) do contrato do Novo Banco

Esta quarta-feira, o primeiro-ministro António Costa disse que o Fundo de Resolução está “autorizado a cumprir os contratos” com o Novo Banco. O Bloco de Esquerda e o PSD insistem no braço-de-ferro com o Governo. O …

Santuário de Fátima esgota lotação. Centenas de peregrinos ficaram à porta

No dia de ontem, o Santuário de Fátima atingiu às 20h25 a lotação máxima de 7.500 pessoas, estabelecida devido à pandemia de covid-19, disse à agência Lusa fonte oficial da instituição. Ao início da noite, já …

O número de Dunbar está errado. É possível ter mais de 150 amigos

O número de Dunbar sugere que uma pessoa só consegue manter relações sociais estáveis com 150 pessoas. Um novo estudo vem deitar por terra esta estimativa. O número de Dunbar define o limite de pessoas com …

Plano de Recuperação e Resiliência. Costa Silva avisa que "retoma ainda vai demorar"

A retoma económica em Portugal ainda vai demorar, embora alguns setores, como o turismo e a agricultura possam recuperar mais depressa, disse o presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento (CNA) do Plano de Recuperação e …

Se as legislativas fossem hoje, ficava tudo (quase) na mesma. Portugueses pedem remodelação do Governo

Uma sondagem do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica para a RTP e para o jornal Público revela que, se as eleições legislativas fossem hoje, ficaria tudo quase na mesma. De acordo …

Venda de barragens da EDP. Fisco abriu inquérito a ex-dirigente para avaliar se cumpriu regras

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) abriu um processo de inquérito a José Maria Pires, jurista do centro de estudos fiscais e antigo alto dirigente do Fisco que integra o Movimento Cultural da Terra de …

"GPS da natureza". Os tubarões usam os campos magnéticos da Terra nas suas longas viagens

Uma equipa de investigadores descobriu as primeiras evidências sólidas de que os tubarões dependem de campos magnéticos para as suas incursões de longa distância através dos mares. Os investigadores sabiam que algumas espécies de tubarões viajam …

Rio diz ser "absolutamente impensável" PSD continuar a perder câmaras (e quer "subir bastante")

O presidente do PSD afirmou esta terça-feira ser "absolutamente impensável" que o partido continue a descer nas eleições autárquicas, enquanto o líder do CDS quer fazer deste sufrágio uma "força motriz para derrubar o socialismo …

"Penso que o ajudei". Ana Gomes visitou Rui Pinto “quatro ou cinco vezes” na prisão

A ex-eurodeputada Ana Gomes assumiu esta terça-feira no julgamento do processo Football Leaks que incentivou Rui Pinto a colaborar com a Justiça e defendeu que a mudança de atitude do arguido não foi “para salvar …

Colisões de nuvens podem desencadear formação estelar

Colisões de nuvens podem desencadear formação estelar. A descoberta contribui para uma melhor compreensão da formação de estrelas massivas e do nascimento de aglomerados globulares. As estrelas formam-se pela contração gravitacional de nuvens de gás no …