/

Encontrado “túmulo principesco” da Idade do Ferro (e continha uma carruagem)

1

Pierluigi Giorgi / Antiquity Publications Ltd.

Arqueólogos encontraram um túmulo da Idade do Ferro em Itália. A sepultura continha armas, um capacete de bronze, vasos feitos de bronze e argila e ainda uma carruagem com rodas de ferro.

Os arqueólogos encontraram, em Itália, o “túmulo principesco” e acreditam que o enterro real provem de uma cultura que floresceu mesmo antes da ascensão de Roma.

Usando os mais recentes métodos arqueológicos não invasivos, os investigadores encontraram um potencial sítio arqueológico em Cornaldo, no centro do país. Os cientistas entraram em contacto com as autoridades e uma equipa multidisciplinar da Universidade de Bolonha levou a cabo um levantamento aéreo do local.

Federica Boschi, professora de geofísica aplicada à arqueologia da Universidade de Bolonha, disse ao Live Science que a visão geral do sítio arqueológico revelava restos de sepulturas grandes e circulares. “Isto parecia muito peculiar.”

A equipa do projeto ArcheoNevola conduziu uma investigação ao local, usando um sistema que lhes permitiu colocar correntes elétricas e medir as variações na corrente que passava pelo solo. Depois, realizaram uma pesquisa magnética para identificar se havia algo metálico enterrado no local.

As conclusões revelaram que o local tinha cerca de um hectare de área. De acordo com o artigo, publicado na Antiquity, o local “compreendia três valas de anéis grandes e túmulos posteriores ao período romano“.

Os arqueólogos centraram-se no anel central e investigaram aquilo que parecia ser um “poço”. Neste local, os investigadores encontraram vários bens funerários, entre eles um capacete de bronze e muitas armas, incluindo espadas.

Além disso, foram também encontrados vários espetos de ferro, algumas peças de cerâmica e vasos de bronze. No entanto, a maior surpresa foi a descoberta de uma carruagem com as suas grandes rodas de ferro. O resto do “corpo” da carruagem era de madeira, que corroeu com o tempo.

Com base nestas descobertas arqueológicas, os investigadores concluíram que este túmulo pertencia a um membro da elite local. Boschi ficou tão impressionada com as descobertas que o batizou de “túmulo principesco“.

De acordo com a equipa, o túmulo foi cercado por um fosso circular com quase 31 metros de largura e terá sido coberto por terra e cercado com pedras e madeira. O túmulo em si é menor, medindo 3,2 por 2,8 metros.

No entanto, os arqueólogos não conseguiram localizar os restos mortais da pessoa que foi enterrada neste túmulo luxuoso. Acreditam, porém, que o corpo foi “colocado num nível mais alto, imediatamente acima ou dentro de um poço raso mais próximo do centro da vala”.

Boschi acredita que o corpo ainda pode vir a ser encontrado. Até lá, a identidade deste “príncipe-mistério” permanece em segredo. Com base nos artefactos encontrados, é quase certo que se trata de um homem.

A descoberta deste túmulo é semelhante a outros encontrados mais a Sul. As pessoas ali enterradas pertenciam à cultura Piceni, uma sociedade guerreira, que dominou esta parte da Itália até serem conquistados pelos romanos, por volta de 268 a.C..

  ZAP //

1 Comment

  1. “compreendia três valas de anéis grandes e túmulos posteriores ao período romano”
    – provavelmente quererão dizer “anteriores ao período romano” !

    Não é referida nenhuma ligação ao Etruscos… eles eram já ali ao lado!
    Seria interessante analisar as ligações!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE