Empresas fugiram à Segurança Social em cerca de 70 milhões

George Grinsted / Flickr

-

O Instituto de Segurança Social (ISS) detetou cerca de 70 milhões de euros que não entraram nos cofres do Estado, na sequência de mais de 3.600 fiscalizações a empresas feitas nos primeiros nove meses deste ano.

Dados enviados à agência Lusa dão conta de que o Instituto de Segurança Social (ISS) realizou, entre janeiro e 30 de setembro, 3.662 ações de fiscalização a entidades empregadoras.

“Nestas ações, o Instituto de Segurança Social apurou já, em contribuições não declaradas à Segurança Social, um montante superior a 7 milhões de euros”, revela o ISS, acrescentando que esse valor poderá chegar aos 25 milhões de euros, no âmbito de outros processos em fase de conclusão.

Na sequência das ações de fiscalização, o ISS instaurou 1.756 processos de contraordenação, envolvendo 4.559 infrações, cujo valor das coimas poderá atingir os 2,6 milhões de euros.

Segundo o ISS, as infrações mais comuns passam pela omissão de elementos que devem constar na declaração de remunerações (27%), não inclusão de trabalhadores na declaração de remuneração (25%) e atraso na comunicação da admissão de trabalhadores (16%).

“Dos processos concluídos até ao momento, os setores de atividade com o maior nível de irregularidades verificadas foram a construção civil e a restauração”, revela o ISS.

Especificamente no âmbito da investigação de crimes contra a Segurança Social, para a qual o ISS dispõe de uma área de investigação criminal dentro do Departamento de Fiscalização, foram instaurados 1.468 processos-crime, tendo sido constituídos 1.573 arguidos.

Entre janeiro e 30 de setembro foi igualmente concluída a investigação de 1.267 processos de inquérito crime.

“Os valores devidos à Segurança Social, por parte dos arguidos nesses processos, ascenderam, até finais de setembro, a 41 milhões de euros”, adianta o ISS.

Somando estes 41 milhões de euros aos 25 milhões de euros das contribuições não declaradas e aos 2,6 milhões de euros das coimas dos processos de contraordenação, o valor total chega aos 68.600.000 euros.

O ISS especifica que os crimes mais comuns, dentro dos crimes investigados, são o crime de abuso de confiança, seguido do crime de burla tributária e do crime de fraude fiscal.

Na nota enviada à Lusa, o ISS aproveita para sublinhar que “a fiscalização a entidades empregadoras revela-se muito mais eficaz na deteção de situações da cumulação de trabalho com o recebimento indevido de prestações sociais”, apontando que “é nos locais de trabalho que casos de ‘fraude prestacional’ são facilmente comprovados”.

Segundo o ISS, com estas fiscalizações, “beneficiários e empregadores [são] apanhados em flagrante, uns porque não efetuam a comunicação de admissão e os devidos descontos para a Segurança Social, outros porque recebem prestações sociais ao mesmo tempo que estão a trabalhar”.

O ISS acrescenta que, nos primeiros nove meses deste ano, realizou 14.852 fiscalizações relativas à matéria beneficiários/prestações sociais.

Revela ainda que em 2015 o combate à fraude e evasão contributiva e prestacional será reforçado junto das entidades empregadoras, tendo, para o efeito, contratado 46 novos inspetores.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. É a caça à multa. Mais vale fechar logo a empresa e montar em Espanha. Muito menos problemas e dores de cabeça…

RESPONDER

Catarina Martins pede "voto útil" dos socialistas que não querem maioria absoluta

Catarina Martins defende que nas eleições legislativas o voto útil dos socialistas que não querem maioria absoluta é no Bloco de Esquerda, considerando que o crescimento do partido que lidera "pode ser o fator decisivo" …

Mudança do Infarmed para o Porto. Costa prometeu, mas não cumpriu

O primeiro-ministro prometeu, mas a Comissão Independente para a Descentralização não recebeu nenhum pedido do Governo para estudar deslocalização do Infarmed para o Porto. A decisão polémica de mudar a localização da Autoridade do Medicamento para …

Podem chover pedras no "lado noturno" dos exoplanetas de Júpiter

De acordo com um "relatório meteorológico astronómico", os lados escuros dos exoplanetas de Júpiter podem ter um clima bastante rochoso. As nuvens espessas de minerais vaporizados podem estar a chover pedras. Uma equipa de astrónomos da …

Boris compara Reino Unido a super-herói. "Quanto mais enfurecem o Hulk, mais forte ele fica"

O primeiro-ministro britânico comparou o Reino Unido ao super-herói da Marvel, que nunca se deixa prender, deixando subentendido o aviso de que pode ignorar a decisão do Parlamento que quer impedir uma saída sem …

Dente de rinoceronte deu aos cientistas a mais antiga informação genética já registada

Cientistas conseguiram extrair de um dente com 1,7 milhões de anos (de um rinoceronte já extinto) aquela que é a informação genética mais antiga alguma vez registada. Entre o período de há 2,5 milhões e 700 mil …

SNS "é âncora para os portugueses e sabe resistir às pressões"

A ministra da Saúde elogiou o Sistema Nacional de Saúde no dia em este cumpre 40 anos. A data só não está a ser assinalada com mais vigor devido à proximidade das eleições, explicou …

Um terço dos diplomados no curso de Aeroespacial vai trabalhar para o estrangeiro

A nota mínima de entrada no curso de Engenharia Aeroespacial do Técnico bateu um novo recorde. As oportunidades e os salários levam os diplomados para o estrangeiro. O único curso de Engenharia Aeroespacial no ensino superior …

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …

Assunção Cristas contra o "ditador" verde e André Silva contra a "despesista" demagoga

O debate deste sábado, transmitido pela RTP3, sentou frente-a-frente os líderes do CDS e do PAN. Assunção Cristas contou quantas vezes o programa do adversário usa a palavra "proibir" e André Silva acusou os centristas …