/

Empresário francês garante ter sido burlado por Pardal Henriques

Miguel A. Lopes / Lusa

O antigo vice-presidente do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques

O empresário francês Jean-Christophe Otulakowski apresentou uma queixa no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), contra Pardal Henriques, por burla.

Jean-Christophe Otulakowski acusa de burla Pardal Henriques, antigo presidente do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas e candidato pelo PDR às eleições legislativas de outubro deste ano. O empresário de 60 anos diz que o advogado lhe “ficou com 85 mil euros” e já foi ouvido no âmbito do inquérito judicial.

A notícia avançada pelo Diário de Notícias dá conta que o dinheiro seria destinado a comprar uma propriedade no centro do país e outros custos de consultadoria jurídica — que alegadamente não foram prestados.

“Já fez um ano desde que fui enganado e quero recuperar o meu dinheiro. Queria dar à justiça tempo de fazer o seu trabalho antes de falar com a imprensa, mas fico muito revoltado quando vejo o Dr. Pedro Pardal Henriques na televisão a falar em nome dos camionistas ou a candidatar-se às eleições”, disse ao DN.

Otulakowski conheceu Pardal Henriques num fórum de investidores em Portugal pela Câmara do Comércio Franco-Portuguesa. Na altura, o advogado disse-lhe ser especializado no apoio jurídico a investidores gauleses na área do imobiliário.

O empresário transferiu o dinheiro da compra do imóvel para uma conta em Portugal, que alegadamente pertence a Pardal Henriques. Otulakowski levantou suspeitas quando não obteve resposta do português e que o nome da empresa que pretendia constituir em Portugal já pertencia a outras pessoas.

“Quando lhe pedi o dinheiro, ele não parava de inventar histórias: disse que a conta estava bloqueada, porque faltava um papel do fisco português, que os fundos estavam a ser verificados pelo Banco de Portugal, doutra vez uma funcionária do seu escritório disse que ele estava de férias. Depois deixou de me atender o telefone, quando telefonei do telemóvel da minha mulher, disse que tinha o filho doente no hospital”, explicou o francês.

Pardal Henriques defende a sua inocência e realça que ainda não foi notificado pelas autoridades. O advogado foi a cara dos motoristas na greve que assolou o país durante o verão deste ano. Nas últimas legislativas, o PDR ficou-se pelos 0,22% dos votos.

O ex-vice-presidente do SNMMP garante ainda que o dinheiro transferido é relativo a “honorários de outros processos” e explica que quem compra uma casa e constitui uma empresa “não transfere dinheiro para um advogado”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.