Empresa que contratava médicos para prisões era gerida por um recluso e desapareceu misteriosamente

Ganhou um concurso público, deixou trabalhadores com ordenados em atraso, tinha um recluso a gerir a empresa a partir da prisão e desapareceu misteriosamente.

No total, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais pagou 243 mil euros a uma empresa de prestação de serviços que desapareceu repentinamente e que tinha como missão colocar profissionais e garantir a prestação de cuidados de saúde a reclusos de 17 cadeias. Agora, o Ministério Público está a investigar o sucedido.

Segundo o Público, houve três contratos assinados, centenas de horas contratualizadas, mas três meses depois de iniciar o último contrato, a empresa Sojo deixou enfermeiros, médicos, psicólogos, técnicos e auxiliares com salários em atraso.

Foi quando estes começaram a não receber os seus ordenados que chegaram à conclusão que uma das pessoas com quem falavam ao telefone para tentar resolver a sua situação estava dentro de uma cela na cadeia de Paços de Ferreira.

Paulo Renato Ribeiro estava detido e tinha uma relação com Méri Oliveira, a principal interlocutora da Sojo. Na prática, resolvia problemas da empresa a partir da sua cela. Quando a situação foi detetada e confirmada, o recluso foi transferido para outro estabelecimento prisional.

A DGRSP não faz ideia quantos profissionais foram lesados nem qual o total dos valores em falta. Já a Procuradoria-Geral da República disse ao jornal que há um inquérito “relativamente recente” à Sojo que corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa. “Encontra-se em investigação e não tem arguidos constituídos”.

A Sojo – Prestação Serviços de Saúde foi constituída em abril de 2016. Três meses depois ganhou o concurso público para prestar serviços de saúde em vários estabelecimentos prisionais durante 16 meses — setembro de 2016 a dezembro de 2017 — já que foi a empresa que apresentou os valores mais baixos.

Este procedimento era habitual desde 2009: a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais recorria a outsourcing para garantir que eram prestados cuidados de saúde aos reclusos. Mas, em 2018, depois de serem noticiadas várias situações de incumprimento deste tipo de empresas, bem como muitas situações de precariedade laboral, o Ministério das Finanças autorizou a contratação de 50 avençados na área da saúde.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ministro holandês faz mea culpa. "Não fomos suficientemente empáticos" com o sul da Europa

O ministro das Finanças holandês reconheceu que foi infeliz nas posições que assumiu sobre a resposta económica à pandemia de covid-19, assumindo que mostrou pouca “empatia” com os países do sul da Europa. Em declarações à …

Estados Unidos admitem possibilidade de novo surto no outono

O diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos disse haver a possibilidade de o país enfrentar um novo surto depois do verão, mas lembrou que nessa altura "várias coisas vão …

Mortes em Portugal estão a aumentar desde o início do mês (sem contar com a Covid-19)

Já morreram mais pessoas em Portugal, neste ano, do que em igual período do ano passado, com especial destaque para o  mês de Março, onde a taxa de mortalidade aumentou, mesmo sem contar com as vítimas de …

PCP quer reabrir camas e decretar preços máximos nos combustíveis para enfrentar pandemia

O PCP apresentou um pacote extenso de propostas para fazer face aos impactos do surto de covid-19. Entre elas está a reabertura do Hospital Militar. O PCP apresentou um conjunto de medidas para fazer face ao …

Houseparty nega pirataria e oferece recompensa milionária a quem provar "campanha difamatória"

A aplicação favorita de quem está em quarentena está sob acusação de piratear contas de outras apps. A Houseparty nega e oferece uma recompensa de 1 milhão de dólares a quem provar a "campanha de …

"Agricultura não pára". Há trabalho no campo para os trabalhadores em lay-off

Com a época das colheitas à porta e a falta de braços no campo, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) vai propor ao Governo a criação de plataformas de emprego temporário para permitir aos …

Covid-19. Cerimónias fúnebres proibidas em Espanha

As cerimónias fúnebres foram hoje proibidas em Espanha, o segundo país mais afetado pela covid-19 no mundo, e os funerais não podem ter mais do que três pessoas presentes, para impedir a propagação da pandemia …

Falta de meios dificulta marcação de testes à Covid-19

Os utentes do Norte referenciados pelas autoridades de saúde para fazerem o teste à Covid-19 estão a ter grandes dificuldades na marcação nos laboratórios recomendados, devido ao disparo na procura e ao facto de a …

"Impõe-se manter as medidas de contenção", diz Marcelo

O Presidente da República afirmou esta terça-feira que se impõe manter as medidas de contenção que vigoram em Portugal, referindo que essa foi uma opinião unânime na segunda reunião técnica sobre a situação da covid-19 …

Crise poderá levar a Juve a vender Ronaldo por 70 milhões

A crise financeira causada pela pandemia de covid-19 poderá "obrigar" a Juventus a vender Cristiano Ronaldo por 70 milhões de euros, avança a imprensa italiana, frisando que existem mais dois cenários em cima da mesa. O …