Empresa de Coimbra vence “Óscar do Espaço” com aplicação que monitoriza poluição ambiental

Uma empresa de Coimbra que integra a incubadora da Agência Espacial Europeia, localizada no Instituto Pedro Nunes (IPN), venceu um prémio europeu com uma aplicação que permite monitorizar a poluição ambiental em zonas urbanas.

A edição 2017 dos prémios Copernicus Masters, considerados como os Óscares do Espaço, atribuiu 17 galardões, entre os quais um ao projeto SOUL (Sensor Observation of Urban Life), promovido pela empresa portuguesa Space Layer Technologies.

O júri reconheceu o contributo que a solução SOUL pode trazer ao oferecer uma aplicação para ‘smartphone’ “através da qual os cidadãos podem monitorizar a poluição nas suas cidades”, combinando dados oriundos de tarefas governamentais e instituições públicas numa aplicação “muito amigável”, lê-se no texto justificativo do prémio.

Adianta que a aplicação desenvolvida pela empresa de Coimbra pode ajudar a melhorar a saúde pública e a diminuir custos, evitando desnecessárias hospitalizações, por exemplo, de doentes com patologias do foro respiratório.

À agência Lusa, Paulo Caridade, da Space Layer Technologies, afirmou que o galardão, “mais do que um prémio para a empresa, é o reconhecimento do trabalho de uma equipa de colaboradores pelo empenho que têm tido ao longo de dois anos”.

Paulo Caridade explicou que embora a aplicação SOUL já esteja desenvolvida “ainda não está no mercado”, já que os responsáveis do projeto pretendem sustentá-lo, primeiro, através de um “parceiro forte” para com isso ganhar escala antes de ser distribuído a nível europeu.

A Space Layer Technologies é uma das seis ‘startups’ da incubadora da Agência Espacial Europeia (ESA BIC Portugal) que já atingiu a maturidade após dois anos de incubação e evoluiu para uma segunda fase de apoio.

A ESA BIC Portugal, que é liderada pelo IPN e tem polos no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e na agência DNA Cascais, apoia 16 empresas e 56 postos de trabalho, com uma capacidade de exportação de 40% e um retorno anual de quase 900 mil euros em 2016, refere um comunicado da instituição.

As empresas daquele centro de incubação aplicam tecnologia espacial em áreas como a saúde, energia, transportes, segurança e vida urbana.

Na nota de imprensa, Carlos Cerqueira, Diretor de Inovação do IPN e coordenador do programa, frisa que o ESA BIC Portugal “demonstra a maturidade da indústria espacial portuguesa e a capacidade de as ‘startups’ portuguesas encontrarem novas soluções e negócios para o mercado terrestre a partir de tecnologias espaciais”.

Na quarta-feira, a ESA BIC Portugal comemora três anos de atividade, numa cerimónia, em Coimbra, que será presidida pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Comité que planeou tomada de posse de Trump investigado

O comité que organizou a tomada de posse de Donald Trump está a ser investigado por suspeitas em torno do uso de 107 milhões de dólares que lhe chegaram através de donativos. A investigação, ainda embrionária, …

Catástrofe cósmica pode ter aniquilado tubarões pré-históricos gigantes

A explosão de estrelas há 2,6 milhões de anos pode ter contribuído para a extinção em massa que varreu os oceanos pré-históricos da Terra, eliminando criaturas como o tubarão gigante conhecido como Megalodon. Partículas cósmicas destas …

"Coletes Amarelos" já chegaram a Israel. Protestam contra a subida de preços

Algumas centenas de manifestantes com coletes amarelos e imitando a contestação em França protestaram esta sexta-feira em Telavive e Jerusalém contra o aumento do custo de vida anunciado para 2019. Respondendo a um apelo nas redes …

Silvano apoia sanções a presenças-fantasma desde que se separem registos

O secretário-geral do PSD disse que apoiará sanções que venham a ser incluídas no regulamento da bancada para falsas presenças de deputados, desde que exista uma separação entre o registo de acesso ao sistema e …

Caçador da Idade da Pedra não foi vítima de canibalismo. Foi queimado vivo

O crânio partido de um caçador que viveu há cerca de 8.000 anos não é evidência de canibalismo, como os investigadores pensavam anteriormente. Em vez disso, o caçador morreu num terrível assassinato, sugere um novo …

Mordida de formiga "drácula" é cinco mil vezes mais rápida que um piscar de olhos

A formiga "drácula", nome popular da Mystrium camillae, é um inseto que vive no Sudeste Asiático e na Oceânia. A sua mordida é a mais rápida do mundo animal, com velocidade de 320 quilómetros por …

Os vulcões podem ser alimentados por "reservatórios de papa"

Afinal, os vulcões podem não ser alimentados pelo magma derretido que se forma nas enormes câmaras magmáticas, mas antes por "reservatórios de papa", áreas quase totalmente repletas cristais, onde o magma flui nos pequenos espaços …

Onde foram todos os Neptunos quentes? Um planeta a encolher guarda a resposta

Há anos que os astrónomos procuram uma explicação para a misteriosa ausência de planetas do tamanho de Neptuno noutros sistemas. Uma equipa de investigadores descobriu agora que um desses planetas está a perder a sua …

Menina de sete anos morre horas depois de ser detida na fronteira dos EUA

Uma imigrante guatemalteca de sete anos morreu na semana passada, poucas horas depois de ser detida pela polícia da fronteira dos EUA no Novo México. A criança, que atravessou ilegalmente a fronteira com o pai e …

Há uma múmia chinesa escondida num "buda sorridente" na Holanda

Duas cidades chinesas não conseguem que a Justiça holandesa lhes devolva uma escultura que contém o corpo de um monge mumificado há mil anos. Zhang Qisan era um monge budista chinês que morreu entre 1022 e …