/

Emma Raducanu vence o US Open. É a primeira qualifier a ganhar um torneio do Grand Slam

John G. Mabanglo / EPA

A tenista britânica Emma Raducanu, vencedora do US Open 2021 aos 18 anos

A britânica Emma Raducanu conquistou este sábado o US Open, ao vencer a canadiana Leylah Fernandez, tornando-se na primeira tenista proveniente da fase de qualificação a vencer um torneio do Grand Slam.

Com apenas 18 anos, Emma Raducanu tornou-se também a mais jovem campeã de um major desde 2004, ano em que Maria Sharapova venceu em Wimbledon, com 17.

A número 150 do ranking WTA superou a também jovem adversária, Leylah Fernandez, de 19 anos completados durante o torneio, que figurava no 73.º lugar no ranking, com parciais de 6-4 e 6-3, em uma hora e 51 minutos.

Graças ao triunfo em Flushing Meadows, a britânica, que tinha alcançado este ano os oitavos de final no torneio de Wimbledon na sua estreia em torneios do ‘Grand Slam’, deverá ascender à 23.ª posição do ranking WTA, enquanto a esquerdina de Montreal deverá subir ao 27.º posto.

As duas jovens tenistas chegaram à final do Open dos Estados Unidos após um percurso brilhante na prova, durante a qual eliminaram sucessivamente e de forma categórica tenistas consagradas, que à partida recolhiam o favoritismo — com particular destaque para a jovem canadiana.

Nas meias finais da prova, Emma Raducanu superou a grega Maria Sakkari (6-1, 6-4), depois de ter eliminado (6-3, 6-4) a suíça Belinda Bencic, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio e número 12 do ranking WTA. A jovem britânica venceu o torneio sem ter perdido qualquer set para as suas adversárias.

O percurso de Leylah Fernandez, por seu turno, foi notável, depois de ter eliminado nas meias finais a bielorussa Aryna Sabalenka, número 2 do ranking mundial (7-6, 4-6, 6-4) e a ucraniana Elina Svitolina, nº5 do ranking, nos quartos de final (6-3, 3-6, 7-6).

Nos oitavos, Fernandez superou a antiga número um mundial, Angelique Kerber, número 17 do ranking WTA, com parciais de 4-6, 7-6, 6-2.

A primeira grande surpresa protagonizada pela canadiana aconteceu nos dezasseis avos de final, numa partida em que se impôs a Naomi Osaka, número 3 e antiga número 1 do ranking WTA, com parciais de 5-7, 7-6, 6-4.

A senda vitoriosa de Leylah Fernandez apenas foi quebrada na final, frente a uma sensacional Emma Raducanu, que surpreendeu ao longo da prova pelo seu ténis consistente, com um bom serviço, subidas frequentes à rede e uma esquerda paralela mortífera.

As duas jovens tenistas que este sábado partilharam o palco no Arthur Ashe Stadium, na que foi a primeira final do US Open entre duas teenagers desde a partida entre Serena Williams e Martina Hingis em 1999, têm um percurso de vida curiosamente muito semelhante — a começar pela sua naturalidade.

Emma Raducanu nasceu em Toronto, no Canadá, filha de pai romeno e mãe chinesa, e a sua família radicou-se no Reino Unido quando tinha apenas dois anos. Por seu turno, Leylah Fernandez nasceu em Montereal, no mesmo país, filha de pai equatoriano e mãe filipino-canadiana.

Em comum terão também presumivelmente um grande futuro pela frente no ténis mundial.

  Armando Batista, ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.