Eletricidade em Portugal e Espanha 18% mais barata graças à “exceção ibérica”

2

Os preços da eletricidade de Portugal e Espanha, para quem está no mercado regulado, estão 18% abaixo do que estariam sem o mecanismo conhecido como “exceção ibérica” no setor da energia, explicou um estudo espanhol.

De acordo com o estudo da Universidade Complutense de Madrid, citado esta quinta-feira pelo El País, devido ao mecanismo, os dois países deixaram de estar no grupo dos que mais pagavam pela luz na Europa para estar entre os que têm eletricidade mais barata.

Em média, e desde a aplicação do limite a 15 de junho, os preços no mercado ibérico do megawatt hora (MWh) rondam os 264 euros, como mostrou o estudo. Face à média entre 01 de abril a 14 de junho, este preço está 38% acima. Mas, ainda assim, graças ao mecanismo, os preços ficam 20% abaixo do que poderiam estar.

A comparação com os restantes países da Europa mostra a discrepância de preços, com o MWh italiano a disparar 70% para os 396 euros, o francês 76% para os 368 euros, o belga, 72% para os 304 euros, e o alemão, 73% para os 297 euros.

O mecanismo exclui os países ibéricos – que constituem o Mercado Ibérico de Eletricidade (Mibel) – dos preços do gás praticados nos mercados internacionais, impondo um teto máximo para este combustível usado na geração de eletricidade.

Segundo o Jornal de Negócios, o ajuste médio mensal a ser pago pelos consumidores do mercado não-regulado foi de 115,5 euros por MWh, um valor que é a diferença entre o preço do gás no mercado ‘spot’ europeu (acima dos 150 euros por MWh) e o valor definido para o teto na geração de eletricidade, de 40 euros por MWh.

Se os clientes do mercado regulado estão protegidos dos aumentos, a discrepância dos preços do gás vai sendo paga pelos consumidores que estão no mercado liberalizado, continuou o jornal.

O presidente da Endesa já veio avisar que o diferencial terá de ser pago pelos consumidores, antecipando aumentos de 40%, o que provocou uma resposta do Governo que incluiu a obrigatoriedade da validação por parte do secretário de Estado da Energia de todas as faturas dos contratos que o Estado tem com a empresa.

  ZAP //

2 Comments

  1. A comunicação social anda a gozar com o Zé Povinho ou quê? E o governo onde está? Ontem o alarme geral era de um aumento de 40%, hoje a novidade é que a eletricidade afinal está 18% mais barata?

    • Sim, nem mais!
      Está 18% mais barata do que poderia estar se não fosse este mecanismo!
      Podes dar graças ao governo em vez de sacares postas de pescada.
      Se não fosse este mecanismo, o estrago era bem pior!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.