“Eficácia não justifica”. França deixa de comparticipar medicamentos homeopáticos

A ministra da Saúde francesa, Agnes Buzyn, anunciou que as comparticipações de tratamentos homeopáticos vão terminar até 2021, por demonstrarem “eficácia científica suficiente para justificarem a comparticipação”.

A França vai deixar, até 2021, de comparticipar medicamentos homeopáticos, por “falta de eficácia”.  “Decidi dar início ao processo para acabar com esta comparticipação”, afirmou a  ministra da Saúde francesa, Agnes Buzyn, ao Le Parisien.

A decisão do governo francês surge depois de um oficial recentemente tornado público ter concluído que não há evidências de suficiente eficácia destes produtos farmacêuticos.

Até agora, os produtos homeopáticos eram reembolsados em França a 30%. A partir de 1 de janeiro do próximo ano, passarão a ter um reembolso de 15%, e em 2021 a taxa cairá para zero. Este período de transição permitirá “um tempo para a pedagogia”,  para os pacientes e para “os industriais se organizarem”, explica a ministra da Saúde.

Os laboratórios pediram uma “moratória” sobre esta questão e um “debate parlamentar”, após a publicação em junho de um relatório científico da Alta Autoridade de Saúde (HAS). A agência, encarregada de avaliar estes medicamentos, concluiu que os produtos homeopáticos não tinham “demonstrado cientificamente uma eficácia suficiente para justificar um reembolso”.

De acordo com um estudo realizada em outubro de 2018 pela consultora francesa Ipsos, mais de metade dos franceses já usou produtos homeopáticos “várias vezes”.

Segundo a AFP, o ano passado a homeopatia representou 126,8 milhões de euros num total de cerca de 20 mil milhões de euros para o conjunto de medicamentos reembolsados, segundo a previdência social.

Na Europa, o estatuto da homeopatia varia significativamente. Na Alemanha é amplamente praticada e reembolsada, e está praticamente ausente no sistema público de saúde britânico, que em 2017 recomendou que os médicos deixassem de a prescrever.

Na Espanha é pouco praticada. O governo de Madrid, que se posicionou abertamente contra a prática, lançou o ano passado um plano para lutar contra as “pseudoterapias”.

Após o anúncio de Agnes Buzyn, o grupo francês Boiron, líder mundial em homeopatia, pediu para ser recebido com “urgência” pelo presidente Emmanuel Macron, garantindo que fará “todos os esforços para combater a decisão, contrária a uma prática muito popular”.

Os laboratórios afirmam que o fim do reembolso irá ameaçar 1.300 postos de trabalho.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Lá como cá… e em tantos outros países… são os lobbies farmacêuticos a ditar as sua leis…
    O povo anda feliz a drogar-se com químicos que, na maior parte dos casos, fazem muito mais mal que bem…
    Enfim! É o mundo que temos / somos / construímos…
    Haja bom-senso…

Aeronave autónoma é uma alternativa acessível aos satélites (e já fez o seu primeiro voo)

A empresa Swift Engineering, em parceria com o Ames Research Center, da NASA, desenvolveu uma alternativa acessível aos satélites: uma aeronave autónoma de alta altitude e longa resistência. Já nasceu a alternativa acessível aos satélites: chama-se …

Reservas naturais chinesas salvaram os pandas da extinção (mas "esqueceram-se" dos leopardos)

Uma nova investigação revela que os esforços da China para salvar os pandas gigantes foram bem sucedidos, mas os mesmos falharam na proteção de outros animais que partilham o mesmo habitat, como é o caso …

Comunidade científica critica Trump por dizer que NASA estava "morta"

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, afirmou no Twitter que "a NASA estava fechada e morta" até que o próprio fez com que voltasse a funcionar, afirmação que gerou consternação na …

É "bastante provável" que chegue à Europa uma Cybertruck de menores dimensões

É "bastante provável" que uma Cybertruck de menores dimensões venha a ser produzida e chegue depois ao mercado europeu, revelou Elon Musk, CEO da Tesla, empresa que produz estas pickups elétricas. Questionado na rede social …

Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove …

"Erro" do Instagram favoreceu conteúdo de Trump face ao de Biden

Um "erro" da rede social Instagram favoreceu durante dois meses o conteúdo gerado pela campanha de reeleição do atual Presidente norte-americano, Donald Trump, quando comparado com as publicações de Joe Biden, candidato democrata que está …

Fotografia partilhada nas redes sociais levou à suspensão de alunos nos Estados Unidos

Pelo menos dois alunos da North Paulding High School, no estado da Georgia, dizem ter sido suspensos depois de terem partilhado nas redes sociais uma fotografia na qual é possível ver um corredor da escola repleto …

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …