Efeitos do stress passam de avós para netos pelos espermatozoides

O stress vivido por uma determinada geração pode passar para os filhos e para os descendentes destes através dos espermatozoides. É o que constata um novo estudo centrado numa nova forma de hereditariedade.

A chamada transmissão epigenética dá-se não só através do ADN mas também por outros elementos, que carregam informação genética, conhecidos por ARN não-codificados.

Um novo estudo centrado nesta forma de hereditariedade explica porque é que os descendentes de ratos machos stressados continuam a ser afectados por um stress que, na realidade, nunca experimentaram.

Esta transmissão dá-se não apenas de pais para filhos, mas de avós para netos e a culpa é dos espermatozoides.

A conclusão destes investigadores norte-americanos da Universidade da Pensilvânia vem exposta na revista científica PNAS, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

Estes cientistas, liderados pela investigadora Tracy Bale, encontraram nos espermatozoides de ratos sujeitos a stress crónico a presença de ARN não-codificado, que torna os seus descendentes menos sensíveis ao stress.

Acrescente-se que esses elementos genéticos foram encontrados meses depois de os ratos terem experimentado os tais eventos de stress.

“Se nascer num ambiente de algum modo stressante, será talvez melhor para o seu cérebro e para a utilização de energia não responder muito a cada perturbação”, explica Tracy Bale, citada pelo jornal Le Figaro.

Outro estudo feito na Universidade de Zurique, na Suíça, demonstra também o papel do ARN não-codificado na transmissão do stress nos mamíferos.

Neste caso, os investigadores injectaram ARN não-codificado em espermatozoides de ratos e induziram fecundações em laboratório que conferiram aos ratos daí nascidos sintomas de depressão e de menor reacção ao stress.

Também a descendência destes ratos fertilizados in vitro demonstrou as mesmas características.

Estes dados vêm relevar o peso que os espermatozoides carregam mesmo antes de ocorrer a concepção de um bebé. Pelo que estes estudos indicam, estes podem guardar uma espécie de memória adquirida de experiências de vida e dos próprios mecanismos do metabolismo e passá-la aos seus descendentes.

É um misterioso mundo novo que começa apenas agora a ser desvendado, conforme nota a investigadora Isabelle Mansuy, da Universidade de Zurique, também em declarações ao jornal francês.

“As modificações dos espermatozoides num rato traumatizado parecem no entanto, reversíveis se o animal for colocado num meio enriquecido que o estimula mentalmente”, acrescenta a investigadora.

Isabelle Mansuy sublinha ainda que esta menor reacção ao stress, passada pelos espermatozoides, pode até “ser uma vantagem”.

“No nosso modelo de stress pós-natal, os ratos nascidos de machos stressados apresentam problemas de memória a longo termo, mas também uma maior flexibilidade de adaptação face a novas condições de aprendizagem”, constata a investigadora.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Astrónomos mapeiam grãos de poeira interestelar na Via Láctea

Entre as estrelas da Via Láctea, grandes quantidades de pequenos grãos de poeira flutuam sem rumo. Apesar de formarem os blocos de construção de novas estrelas e planetas, ainda não se sabe quais os elementos …

Inteligência Artificial aprendeu a pintar como Rembrandt

Investigadores ensinaram uma rede neural de Inteligência Artificial a recriar a magnum opus de Rembrandt, à qual lhe faltavam partes da obra original. O cientista Robert Erdmann trabalhou lado a lado com o Rijksmuseum, o museu …

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …