Nota de Educação Física volta a contar para a média (e a causar polémica)

A nota de Educação Física voltará a contar para o acesso à universidade. O Conselho das escolas é contra e os pais lamentam que se opte por “mudanças avulsas”.

A partir do próximo ano letivo, a nota de Educação Física voltará a contar para o apuramento da classificação final do ensino secundário e, assim, da média de acesso ao ensino superior.

Por decisão do ex-ministro da Educação, Nuno Crato, tal tinha deixado de acontecer em 2012. A nota de Educação Física continuou a contar para efeitos de conclusão do secundário e para os alunos que pretendiam seguir estudos no superior nesta área.

Mas para João Jaime, diretor da Escola Secundária Camões, em Lisboa, esta é uma questão de agenda partidária. O diretor defende que o que devia estar em cima da mesa era a mudança do atual regime de acesso ao ensino superior.

“Os alunos deviam ter uma nota no final do ensino secundário e o acesso fazer-se de forma distinta. Se tal acontecesse não se estaria a ter esta discussão em torno da nota de Educação Física. Todas as disciplinas têm de estar em pé de igualdade se fazem parte do currículo”, defende.

Jorge Ascenção, presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), é da mesma opinião e lamenta que a questão em debate não seja uma mudança do regime de acesso à faculdade, que fizesse com que a média obtida no secundários servisse apenas para certificação deste nível de ensino.

“Como não é isto que se passa, visto que a média do secundário tem um peso de 50% no acesso, encaramos esta alteração com a mesma preocupação que já manifestámos antes”, diz ao Público.

A Confap foi das primeiras organizações a propor que a Educação Física não contasse para o cálculo da média final, argumentando, em 2010, que “há bons alunos que, apesar do seu empenho, não conseguem obter boas classificações a Educação Física, acabando tal facto por lhes descer a média geral de acesso ao ensino superior”.

Por outro lado, Jorge Ascenção considera que “não é por contar para a nota que a Educação Física vai ser mais valorizada pelos estudantes”, defendendo a necessidade de se incutir o gosto nos alunos, “e isso passa por se saber de que modo está a ser dada esta disciplina e se os seus programas fazem sentido”.

José Eduardo Lemos reafirma a posição do Conselho das Escolas, lembrando que os diretores defendem que “a classificação final da disciplina de Educação Física não deve ser considerada em qualquer cálculo para acesso ao ensino superior, exceto se o aluno assim o entender”.

O presidente do Conselho das Escolas admite que, desta forma, se obtém um “equilíbrio”, não prejudicando “milhares de alunos que, por falta de aptidão” eram travados por via da nota desta disciplina.

Mas há quem, pelo contrário, defenda esta medida. É o caso de Domingos Fernandes, investigador do Instituto de Educação de Lisboa, que saúda esta mudança, naquele que diz ser um país “em que os hábitos de educação física são tão precários e em que a obesidade começa a ser um problema de saúde pública”.

Para este especialista em políticas de avaliação e ex-secretário de Estado da Administração Educativa do Governo de António Guterres, ao tratar-se “a Educação Física como uma disciplina de segunda linha está-se a ir contra a ideia de um currículo para a formação global das pessoas.

A mesma opinião é partilhada por Isidoro Roque, presidente da Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais, que lamenta que os encarregados de educação “se preocupem apenas com a nota de acesso e não com aquilo que os alunos de facto aprendem e com a sua saúde”.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Então e aqueles alunos, que não são tão bons noutras disciplinas, e cuja nota de Ed. Física vai AUMENTAR a sua média? Nesses ninguém pensa… LOL

  2. Que cambada de troca tintas. Ora conta, depois já não conta, depois conta de novo…
    É por isso que esta gente se entretêm a fazer e refazer leis, porque o mais importante está e fica por fazer.
    E o povo é conivente.

  3. Todas as disciplinas obrigatórias de qualquer ciclo devem ser cotadas. E em todas elas deve incidir a mesma exigência. Logo, se a Educação Física faz parte do Ensino Secundário, deverá contar, como as restantes, para a média final desses estudos.
    Mas antes disso parece-me ser de levantar uma outra questão, que é de se saber o que se ensina e se aprende nessa disciplina. Digo isto porque me parece que, em termos de EDUCAÇÃO, a disciplina só dá o nome, perdendo-se uma valiosa oportunidade para se abordar, com a profundidade possível, questões ligadas à alimentação, ao exercício físico consciente, à higiene mental e corporal, à beleza harmoniosa do corpo, à sua postura quotidiana, ao nº de horas para dormir, etc., em vez de se perder tempo com teorias e regras desportivas (que só interessam a quem queira seguir certos desportos ou ser “treinador de bancada”) ou, como muitas vezes acontece, a massacrar as criaturas com práticas de desgaste físico sem acompanhamento teórico-educativo.
    Daí que os alunos aproveitem apenas o exercício físico, muitas vezes sem saberem por que o fazem.
    Que me perdoem os professores de Educação Física se estou errado. Mas do que me apercebi durante muitos anos, permite-me este modo de ver. Pode ser que hoje a dita disciplina mereça o nome que lhe dão. Mas não tenho a certeza.

  4. O lobby da educação física a funcionar em pleno!!! Porquê educação física? Porque não podem os alunos optar por música ou artes? Se o objetivo é a formação do individuo estas tb são áreas a desenvolver!!
    A partir do 9 ano o ensino é direcionado para áreas específicas de cada agrupamento. A educação física deve cair como todas as outras e ser de opção.

  5. E quem tem doenças crónicas que impedem o seu desempenho físico? Viola o Direito à Igualdade de condições na Costituição!

RESPONDER

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …