Empresa está a “editar” fruta e vegetais para torná-los mais saborosos

A startup norte-americana Pairwise Plants está a editar geneticamente fruta e vegetais para torná-los mais saborosos. Está também a trabalhar para melhorar várias culturas básicas em grande escala como milho, soja, trigo, canola e algodão.

Manter uma dieta saudável nem sempre é uma tarefa fácil. Muitas vezes, os alimentos que nos fazem bem acabam por não ser apelativos ao nosso paladar, deixando-nos como derradeira alternativa comer por obrigação. Esta realidade pode estar prestes a mudar graças à prática de uma startup norte-americana que está a usar edição genética para tornar fruta e vegetais mais saborosos.

A Pairwise Plants conta com um financiamento de 125 milhões de dólares da Monsanto, que é detida pela farmacêutica Bayer. Graças à ferramenta de edição genética CRISPR, a empresa está a tentar tornar alguns dos alimentos mais nutritivos em verdadeiras iguarias para os consumidores.



Além disso, de acordo com o OneZero, a Pairwise também está a trabalhar para melhorar várias culturas básicas em grande escala, como milho, soja, trigo, canola e algodão. Neste sentido, a CRISPR pode ser uma ferramenta útil para acabar com a fome no mundo ao produzir melhores colheitas e fortalecendo culturas contra doenças e alterações climáticas.

A Pairwise começou por editar geneticamente a mostarda-castanha, uma parente próxima da couve e do repolho, rica em vitaminas e minerais essenciais. Este é um ingrediente tipicamente usado na cozinha chinesa, japonesa e indiana, não sendo muito utilizado no ocidente. O seu sabor característico acaba por o deixar fora de muitas dietas.

“Não temos a certeza de como será o sabor final”, disse Ryan Rapp, chefe de tecnologias de edição de genoma da Pairwise Plants.

Os cientistas identificaram vários genes associados ao sabor picante da mostarda-castanha e programaram a CRISPR para encontrar e excluir esses genes. O resultado final era um ingrediente menos picante e apimentado do que o habitual. A Pairwise espera colocar fruta e vegetais como estes nos supermercados entre 2021 e 2022.

Um alimento geneticamente modificado já está no mercado, um tipo de óleo de canola mais saudável, mas é produzido com uma tecnologia mais antiga de edição de genoma conhecida como TALENs.

“Estamos a fazer alterações pequenas, muito precisas e discretas nos genes que já existem na planta”, diz Aaron Hummel, chefe de tecnologias de edição de genoma da Pairwise. O especialista vê a CRISPR como uma maneira de acelerar o melhoramento de plantas para certas características desejáveis.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A ciência não para de querer competir com a natureza. Nem se preocupa com as consequências nefastas para a saúde das pessoas e animais que se alimentam com os produtos resultantes destas perigosas manipulações. É já por demais conhecido o perigo que constitui a soja geneticamente modificada, mas continuam alegremente a brincar com o equilíbrio do nosso planeta. Os legumes precisam de ser melhorados porque, muito deles resultam de sementes modificadas para produzirem mais e maiores produtos. Se obedecerem às regras ancestrais da agricultura, cultivando através de métodos biológicos os vegetais, os frutos terão muito mais sabor!

RESPONDER

Conseguirão os humanos compreender baleiês? Cientistas acreditam que sim

Uma equipa de investigadores está a tentar recolher e decifrar os sons emitidos por cachalotes, para compreender a sua linguagem. Os cachalotes estão entre os animais mais barulhentos do planeta, produzindo sons de rangidos, batidas e …

NASA regressa a Vénus para perceber se o planeta já foi habitável no passado

A NASA está a regressar a Vénus para aprender como é que o planeta se tornou um deserto quente e venenoso — e se o planeta já foi habitável no passado. A NASA está finalmente a …

"Sonho que se tornou pesadelo". Fernando Santos admite mudanças no onze

O selecionador Fernando Santos disse hoje que Portugal vai carimbar a passagem aos ‘oitavos’ de final do Euro2020 e admite fazer mudanças na equipa para o encontro da derradeira jornada do Grupo F, com a …

Cientistas descobriram dois novos tipos de células cerebrais em ratos

Cientistas descobriram dois novos tipos de células gliais, um tipo de células do sistema nervoso central que dá suporte ao cérebro, em ratos. De acordo com o site EurekAlert!, investigadores da Universidade de Basileia, na Suíça, …

As bactérias intestinais podem influenciar a gravidade de um AVC

Uma equipa de investigadores da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, descobriu uma nova associação cérebro-intestino que está a surpreender a comunidade científica. Os resultados do estudo mostram como um metabólito produzido por bactérias intestinais pode amplificar …

O icónico Tamagotchi está de volta, mas desta vez em forma de smartwatch

No ano em que se celebram os 25 anos do Tamagotchi, surge uma nova versão do icónico brinquedo. O Smart é um Tamagotchi na forma de um relógio inteligente, para se usar no pulso. O …

Rã com olhos vermelhos descoberta no Equador. Chama-se Led Zeppelin

Os seus olhos vermelhos cativaram os investigadores, que decidiram batizar de Led Zeppelin uma nova espécie de rã terrestre descoberta no Equador. A Pristimantis ledzeppelin foi descoberta pelos equatorianos David Brito e Carolina Reyes, cientistas do …

Itália 1 - 0 País de Gales | “Azzurri” vencem mas galeses apuram-se

Imparável! Com o apuramento para os “oitavos” já no bolso, a Itália entrou em campo com nada mais, nada menos do que oito mexidas em relação à equipa que tinha iniciado o último jogo, frente …

Casa de banho do século XII encontrada em bar de tapas em Sevilha

Recentemente, um grupo de trabalhadores encontrou uma casa de banho do século XII dentro de um bar de tapas espanhol. A descoberta está a ajudar a perceber como era a vida em Sevilha na época. No …

Suíça 3 - 1 Turquia | Seferovic e Shaqiri “abrem o livro”

A Suíça venceu de forma categórica a Turquia por 3-1, afastou os turcos da prova e terminou o Grupo A no terceiro lugar, com quatro pontos, esperando agora pelo final da fase de grupos para …