/

Duterte encoraja os filipinos a matar bispos católicos (porque são uns “bastardos inúteis”)

8

Mast Irham / EPA

O presidente das Filipinas, Rodrigo Roa Duterte

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, atacou novamente os bispos católicos ao afirmar que “são inúteis” e encorajou matá-los, num país onde 85% da população é católica.

“Os vossos bispos, matem-nos. Esses bastardos não servem para nada. A única coisa que sabem fazer é criticar”, disse na quarta-feira à noite o presidente em discurso em Manila, cuja transcrição foi divulgada esta quinta-feira pelo escritório presidencial.

Num ato posterior, o presidente afirmou que a Igreja Católica é a instituição “mais hipócrita do mundo” e garantiu que 90% dos seus sacerdotes são homossexuais.

A Conferência dos Bispos Católicos das Filipinas recusou responder aos comentários de Duterte: “Não queremos acrescentar mais lenha à fogueira. Qualquer comentário só exageraria o assunto”, escreveu esta quinta-feira em comunicado o porta-voz da conferência episcopal, Jerome Seciliano.

O porta-voz da Presidência, Salvador Panelo, defendeu que as palavras de Duterte não devem ser entendidas como algo literal, mas usou a “hipérbole” para conseguir um “efeito mais dramático” nos seus comentários.

Há apenas duas semanas, o presidente insultou de novo bispos e sacerdotes católicos, com os quais trava uma batalha verbal há mais de um ano, ao declarar aos filipinos que não deveriam ir à igreja para “pagarem a idiotas”.

“Construam uma capela nas vossas próprias casas e rezem lá, assim não há necessidade de ir à igreja para pagar a esses idiotas”, disse Rodrigo Duterte, no fim do mês passado.

O Presidente das Filipinas destacou que as “crenças católicas são arcaicas” e que os seus ensinamentos não podem ser aplicados ao presente porque estão reféns de uma fé com três mil anos. “O que é que eles sabem sobre o mundo de hoje? Como é que pessoas há três mil anos podem prever ou projetar o que está a acontecer agora?, interrogou.

Já em junho, o Presidente filipino referiu-se a Deus como um “estúpido filho da mãe”. “Agora todos nós nascemos com o pecado original. Nascer é um ato cometido pela nossa mãe e pai”, continuou. Ainda nem nascemos, mas já temos o pecado original. Que tipo de religião é esta? Não posso aceitá-la”, afirmou.

O confronto entre o Presidente das Filipinas e a Igreja Católica remonta a fevereiro de 2017, quando a conferência episcopal criticou a sangrenta guerra contra as drogas, apelidando-a de “reinado de terror”, uma posição à qual Duterte reagiu com insultos dirigidos aos bispos.

  ZAP // EFE

8 Comments

  1. De vez em quando, até os loucos acertam!!
    Tem toda a razão quando diz que os bispos (e a máfia da igreja em geral), são uns parasitas inúteis…
    Tenho que concordar com a maioria do que este louco das Filipinas diz sobre a igreja e acho que a igreja faz tanta falta no mundo como o cancro!…

  2. realmente é um grande louco, mas nisto têm razão, andar a sustentar uma cambada de panelei…gays que não são precisos para nada, embutem o medo de deus para absorver dinheiro e viveram nos luxus, á custas das pobres mentalidades, quem acredita em deuses é maluco, porque senão não morriam crianças inocentes e também adultos, deus já tinha arranjado cura para o cancro, corja de malandros, se é religião porque se envolvem em politica, nos tempos antigos matavam pessoas para os deuses, hoje pedem dinheiro, tenho dito, eu pecador há há há.

  3. Conhecem a teoria de Pascal?

    Uns acham que o Deus deles é Marx outros Stalin ou Trosky…cada um acredita no que quiser.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE