/

Duterte está “encantado” por “só” metade dos filipinos estarem desempregados

King Rodriguez, Presidential Communications / Wikimedia

O presidente das Filipinas, Rodrigo Roa Duterte

O porta-voz do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, disse, esta segunda-feira, que o governante está “encantado” por ver um estudo recente que mostra que quase metade dos residentes do país estão desempregados.

Estou muito feliz por não termos perdido 100% de nossos empregos, apesar do tempo extremamente longo que estivemos bloqueados”, disse Harry Roque durante uma conferência de imprensa, de acordo com a Newsweek. “Ainda estou surpreendido com a nossa resiliência e apenas 45% perderam seus empregos. Poderia ter sido pior, porque o bloqueio total está acontecendo conosco. ”

Em causa está um estudo, conduzido pela instituição de pesquisas Social Weather Stations, que descobriu que o desemprego nas Filipinas está em 45,5% – um recorde.

De acordo com a CNN, este é um aumento significativo dos dados divulgados pelo departamento de trabalho do país em dezembro, que relatou 7,3 milhões de filipinos desempregados. Isso equivalia a uma taxa de desemprego de 17,7%, anteriormente a mais alta do país.

O secretário do Trabalho, Silvestre Bello III, disse que o aumento do desemprego “não foi surpresa”. Já o secretário assistente do Trabalho, Nikki Tutay, também concordou que a taxa de desemprego “super alta” estava de acordo com as expectativas.

Por outro lado, Luke Espiritu, presidente do grupo trabalhista Bukluran ng Manggagawang Pilipino, sugeriu que os comentários de Roque eram um insulto aos moradores desempregados do país, segundo o jornal local Manila Bulletinn.

“Ao expressar satisfação pelo facto de a taxa de desemprego não ter atingido 100% e ao afirmar que se devia à nossa suposta resistência, Roque insultou os 27,3 milhões de desempregados que atualmente não sabem como vão sobreviver ao futuro previsível. A sua positividade tóxica é estúpida e revoltante”, disse Espiritu.

A pandemia de covid-19 gerou bloqueios em todo o país e gerou uma taxa maior de desemprego. De acordo com o Departamento de Saúde das Filipinas, pelo menos 3.314 novos casos confirmados do novo vírus foram relatados esta segunda-feira. Em todo o país, há agora pelo menos 164.474 casos confirmados e 2.681 mortes.

Poucos dias antes dos novos casos relatados, Duterte ordenou uma quarentena comunitária aprimorada modificada mais rigorosa na região metropolitana de Manila e nas províncias de Bulacan, Cavite, Laguna e Rizal. Os residentes com menos de 21 e mais de 60 anos são obrigados a ficar em casa, exceto quando são necessários bens ou serviços essenciais.

 

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.