Drones entregam vacinas que salvam crianças em ilhas remotas no Pacífico

ONU

A medicina móvel entre as 80 ilhas montanhosas de Vanuatu, no Pacífico, costumava ser incrivelmente difícil. Agora, basta colocar os medicamentos em drones, que se deslocam e entregam os mesmos onde estes são necessários, mesmo nas zonas mais remotas do arquipélago.

As ilhas que compõem Vanuatu – a centenas de quilómetros a oeste de Fiji, no Pacífico – estão separadas por quilómetros de mares, muitas vezes agitados, sendo poucos os lugares em que os barcos podem ancorar.

Ora, até há pouco tempo, a entrega de medicamentos e de vacinas entre as ilhas eram realizadas através de barcos, uma opção bastante dispendiosa. Noutros casos, quando se trata de locais na mesma ilha, o recurso é caminhar vários quilómetros para os entregar, através de trilhas rústicas e cobertas de lama.

Recentemente, porém, essa realidade começou a mudar. Foram dados os passos iniciais para um novo sistema, que consiste na entrega de medicamentos e vacinas através de drones. O primeiro teste ocorreu em janeiro, altura na qual um desses aparelhos percorreu uma grande área e entregou vacinas numa clínica noutra parte da ilha.

Fevereiro foi o segundo mês de testes do novo sistema, que pode ajudar a vacinar milhares de crianças, residentes nas partes mais difíceis de alcançar no arquipélago.

Segundo um artigo do Fast Company, publicado esta quarta-feira, é difícil percorrer as diferentes comunidades espalhadas pelas ilhas. “Caso alguém precise de uma vacina nos centros de saúde rurais, há poucas oportunidades de a obter”, disse Shelton Yett, representante da UNICEF, que auxiliou o governo de Vanuatu nos testes.

“As enfermeiras caminham através da lama com um suporte que leva vacinas nos ombros. Contudo, quando as temperaturas estão muito altas, não conseguem. Se estiver a chover, pode passar muito tempo sem que seja possível reabastecer as clínicas de saúde. Devido a isso, estamos sempre à procura de novas maneiras para melhorar a cadeia de suprimentos e novas formas de obter vacinas para as crianças”, referiu.

De acordo com o Fast Company, apesar dos progressos nas taxas de vacinação conseguidos pelo governo, cerca de 20% das crianças ainda não foram vacinadas contra doenças potencialmente fatais. Com o recurso a este novo sistema, cerca de 40 foram já receberam as vacinas.

A primeira empresa de drones a participar neste projeto foi a Swoop Aero, tendo os seus dispositivos começado os voos em dezembro. Com um tamanho de 2,4 metros, estes aparelhos – capazes de viajar também quando chove – carregam cinco quilos de vacinas, bolsas de gelo e um monitor que mantém a temperatura adequada.

A empresa só é paga se as vacinas forem entregues com sucesso. “É o primeiro sistema comercialmente sustentável”, afirmou Shelton Yett. “Podemos ter coisas maravilhosas se continuarmos a investir para resolver o problema. Mas não há dinheiro suficiente para o desenvolvimento, por isso que precisamos garantir que seja financeiramente sustentável”.

Nesta fase, o governo está a verificar se os drones fornecem as vacinas de forma confiável quando os centros de saúde o solicitam, se as mesmas chegam de forma segura ao local e se os zangões interferem com a aviação. Além disso, está a averiguar se as comunidades não entrem em pânico quando ouvem o “zumbido alto e desconhecido” dos aparelhos.

Esta etapa finalizará dentro de algumas semanas, momento no qual o governo decidirá se quer ir para a próxima etapa, que envolverá o treinamnto de operadores de drones locais. Os aparelhos podem ser parcialmente impressos em 3D, em Vanuatu.

Para Shelton Yett, embora os drones sejam uma solução promissora para uma parte do problema, esta tecnologia não é uma resposta completa. “Ainda é necessário educar os pais sobre a importância da vacinação e a deslocação às clínicas num cronograma definido, bem como ensinar as enfermeiras e manter a cadeia de suprimentos”.

Iniciativas semelhantes estão a ser executadas noutros locais do globo. A Zipline, uma ‘startup’ que usa drones para distribuir sangue para transfusões, em Ruanda, desde 2016, começou recentemente a testar as entregas de vacinas. O intuito é criar um serviço regular, que iniciará nas próximas semanas.

A empresa planeia também fornecer vacinas, juntamente com outros suprimentos médicos, quando começar a operar no Gana, brevemente.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

PSD a 3 deputados da maioria na Madeira. CDS afasta geringonças

Miguel Albuquerque, político experiente, apreciador de música e apaixonado por rosas, voltou hoje a vencer as eleições regionais da Madeira, mas tem agora pela frente a ‘espinhosa’ tarefa de negociar um entendimento que garanta estabilidade …

Porto 2-0 Santa Clara | E vão cinco vitórias consecutivas na Liga

O FC Porto respondeu ao triunfo do Benfica no sábado em Moreira de Cónegos com a quinta vitória consecutiva na Liga, na recepção ao Santa Clara, por 2-0. Num jogo morno, com uma segunda parte mal jogada …

Mazda entra na corrida e prepara lançamento do seu primeiro carro elétrico

A Mazda garantiu o lançamento do seu primeiro carro elétrico já no próximo ano. O veículo será apresentado no Salão Automóvel de Tóquio. A corrida dos veículos elétricos acelera a todo o vapor e a Mazda …

Descobertas evidências de um reino bíblico em pleno deserto israelita

A bíblia faz referência a um reino de Edom, do século X antes de Cristo. Novas evidências sugerem que este reino poderá ter estado assente no deserto de Arava, no Israel. A análise de arqueólogos a …

PSD vence regionais na Madeira mas perde maioria absoluta

O PSD venceu hoje as eleições legislativas regionais na Madeira, com 37% a 41% dos votos, o que lhe retira a maioria absoluta no parlamento, segundo a projeção da RTP/Católica. O Partido Social Democrata venceu as …

No Afeganistão, há mulheres a arriscar a vida por um golo

As jogadores da seleção de futebol feminino do Afeganistão não treinam no seu país por razões de segurança. Muitas sofreram abusos sexuais e correm risco de vida para poderem jogar futebol. Pelo menos alguma vez na …

Cientista diz que avanços científicos podem levar à extinção humana

A evolução da ciência e tecnologia pode ser fundamental para evitar catástrofes, mas, ironicamente, pode também ser a causadora do fim da nossa espécie. O estudo das mudanças climáticas baseia-se em simulações cada vez mais de …

A ilha mais remota do mundo tem nome português

Tristão da Cunha é uma ilha com apenas 250 habitantes, onde ninguém fala português. Não há hotel nem aeroporto. Há quem parta em busca de um lugar sossegado para evitar as grandes multidões turísticas. Caso esteja …

Costa não tinha dúvidas. O parecer da PGR sobre familiares é “absolutamente inequívoco”

O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu hoje que o parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre as incompatibilidades entre governantes e negócios com empresas de familiares é “absolutamente inequívoco”. “O parecer é absolutamente inequívoco sobre …

Jovens do mundo inteiro ocupam a ONU em inédita Cimeira do Clima

Mais de 500 jovens, representantes de mais de 140 países, ocuparam este sábado o espaço habitualmente destinado aos diplomatas da ONU. A United Nations Youth Climate Summit, primeira cimeira da juventude sobre o clima, em Nova …