Paços 0-1 Porto | “Dragão” não vacila e foge na liderança


O FC Porto deu um passo importante rumo ao título. Na visita ao Paços de Ferreira, os “dragões” marcaram muito cedo, logo aos sete minutos, e aguentaram a vantagem de 1-0 com competência, num jogo pobre, de muita luta, duetos aéreos, poucas oportunidades de golo e raras jogadas de qualidade.

Chancel Mbemba foi o herói da partida, ao facturar o único tento do desafio, com o Paços a pressionar em busca do empate, mas sem conseguir entrar com regularidade na área contrária. Este foi o quarto jogo consecutivo dos “dragões” sem sofrerem golos.

O jogo explicado em números

  • Porto quase na máxima força na Mata Real, apenas sem o lesionado Iván Marcano, e sem o castigado Sérgio Oliveira, à espreita de aumentar para seis os pontos de vantagem sobre o Benfica – que perdeu na Madeira. Uribe começou o jogo de início, tal como Danilo Pereira, com Jesús Corona na esquerda do meio-campo, no lugar de Luis Díaz, e Wilson Manafá no lugar de Tomás Esteves.
  • E tudo começou bem para o “dragão”. Logo aos sete minutos, canto da direita, Ricardo Ribeiro não conseguiu afastar com uma palmada e a bola chegou aos pés de Chancel Mbemba, que foi mais lesto e rematou de pronto, para o 1-0. Desde 2014 que o Porto não marcava na “Capital do Móvel”, e desta feita fê-lo logo no primeiro remate do jogo.
  • No primeiro quarto-de-hora o domínio foi portista, como se esperava, com 65% de posse de bola. No remate é que as coisas estavam equilibradas, com um para cada lado, embora o Paços sem conseguir enquadrar o seu. Também no passe os comandados de Pêpa não estavam muito bem, não passando de 67% de eficácia.
  • Jogo muito disputado a meio-campo (44,2%) à passagem da meia-hora de jogo, com as duas formações a sentirem dificuldades para entrarem nas áreas contrárias. Nesta fase, cada uma somava apenas duas acções com bola nessas zonas do terreno, uma delas que deu golo para o Porto. Os da casa já haviam reequilibrado as operações, chegando aos 45% de posse e somando mais um remate (2-1), mas ainda sem pontaria.
  • Luiz Carlos, do Paços, com dois dribles eficazes e três desarmes, registava o rating mais alto do jogo nesta fase, ainda assim modestos 5.7. O melhor portista era Mbemba, pelo golo, mas também pelos três duelos aéreos defensivos ganhos. Mas o jogo estava a arrastar-se, com o Paços a tentar reagir, mas a esbarrar com a habitual solidez portista.
  • Intervalo Jogo longe de bem jogado na Mata Real, com um golo bem cedo, logo aos sete minutos, e para o Porto, por Mbemba, no primeiro remate do desafio. A partir daí o Paços tentou reagir e até chegou ao intervalo com mais um remate que os líderes isolados da Liga, mas raramente criou perigo. O melhor em campo nesta primeira metade acabou por ser Danilo Pereira, com um GoalPoint Rating de 6.2. O “trinco” portista ganhou os dois duelos aéreos em que participou e somou sete acções defensivas, entre elas três desarmes.
  • A partida não melhorou no primeiro quarto-de-hora do segundo tempo, apenas mudou um pouco a tendência, com o Paços a assumir mais as despesas ofensivas e a registar 58% de posse de bola. As duas formações só fizeram dois remates cada desde o descanso e só o Porto somava um enquadrado.
  • A pressão dos “castores” ia-se intensificando, entrando numa fase de vários cantos a favor. E na sequência de uma jogada de insistência, aos 66 minutos, Luiz Carlos, num remate acrobático, obrigou Agustín Marchesín a defesa apertada. O jogo era dos homens da casa, que chegaram aos 70 minutos com 67% de posse desde o descanso e cinco remates, um enquadrado.
  • Na melhor fase dos anfitriões, aos 77 minutos, o recém-entrado Luiz Díaz, isolado, não conseguiu desfeitear o guarda-redes Ricardo Ribeiro, no primeiro disparo visitante desde os 59 minutos. O Porto dava mostras de poder causar dano a um Paços adiantado no terreno e à procura do golo. Mas a qualidade de jogo também não imperada para os lados do “dragão”.
  • Marchesín voltou a salvar o Porto aos 86 minutos, com uma grande estirada a desviar com a ponta dos dedos um remate de Jorge Silva que ia direito às redes portistas. O Paços tentava desesperadamente chegar ao empate, mas os “azuis-e-brancos” mantinham-se coesos e ser dar mostras de vacilar, limitando a três as acções com bola dos pacenses na sua grande área.

Octávio Passos / Lusa

O melhor em campo GoalPoint

A prova provada de que o Porto está, aos poucos, a entrar na sua normalidade é o facto de Alex Telles ter sido o melhor em campo. Desta vez o lateral brasileiro não marcou nem assistiu, mas terminou a partida com um GoalPoint Rating de 6.4, com dois de três duelos aéreos ofensivos ganhos, cinco recuperações de posse e nove acções defensivas, com destaque para três intercepções. Este foi, essencialmente, um jogo de luta, e Telles não fugiu à responsabilidade.

Jogadores em foco

  • Danilo Pereira 6.3 – O melhor da primeira parte. O “trinco” luso esteve muito bem no processo defensivo, com três desarmes e três duelos aéreos ganhos em quatro. Ofensivamente esteve discreto, como toda a equipa portista, aliás.
  • Luiz Carlos 6.0 – O melhor elemento do Paços, na luta, a defender, a integrar-se nas acções ofensivas. O brasileiro somou três desarmes, recuperou cinco vezes a bola, somou apenas três perdas em 39 posses, completou as duas tentativas de drible e esteve nas melhores ocasiões da sua equipa. Desperdiçou mesmo uma ocasião flagrante.
  • Pedrinho 6.0 – A energia e criatividade do médio luso estão sempre presentes no futebol dos “castores”. Pedrinho fez três remates, todos de fora da área, todos desenquadrados, criou a ocasião flagrante desperdiçada por Luiz Carlos e também fez três desarmes.
  • Wilson Manafá 5.9 – Na lateral direita, no lugar de Tomás Esteves, Wilson esteve muito interventivo no apoio ofensivo, tentando sempre ser o primeiro a transportar jogo para a frente. Tentou por oito vezes o drible e teve sucesso em cinco (máximos do jogo), recuperou sete vezes a bola, mas pecou com três perdas de posse no terço defensivo.
  • Otávio Monteiro 5.9 – O criativo portista criou uma ocasião flagrante, a tal desperdiçada por Luiz Díaz, e esteve muito activo, tendo sofrido quatro faltas, duas em zonas de perigo.
  • Chancel Mbemba 5.8 – O central marcou o único golo do jogo, de resto, teve de se entregar a tarefas defensivas. Para além de quatro alívios, Mbemba participou em sete duelos aéreos defensivos, tendo ganho seis.

GoalPoint

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal, autoagendamento só avança para maiores de 37 anos (e não 35)

O autoagendamento da vacina contra a covid-19 vai ficar disponível apenas para pessoas com mais de 37 anos esta segunda-feira, ao contrário do que informou, domingo, a task-force de vacinação. Ao contrário do que estava previsto, …

Retomado voo entre Portugal e a China após duas semanas de suspensão

Depois de ter sido suspensa por duas semanas, a ligação aérea entre Portugal e a China foi retomada este fim de semana. A ligação aérea entre Portugal e a China foi retomada este fim de semana, …

Líder do CDS diz que Portugal é uma "república das bananas" que já nem pune os criminosos

O líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, acusou o Governo de "descongestionar as cadeias à boleia de um pretexto sanitário". O regime especial de perdão das penas, aprovado em abril de 2020, continua em vigor, …

Há quatro mestrados portugueses entre os melhores do mundo segundo o Financial Times

Uma lista anual publicada pelo Financial Times ordena as 55 escolas de gestão em todo o mundo que mais se destacam nos 17 indicadores avaliados por esta publicação. O mestrado em Finanças da Nova School of …

Há cada vez mais denúncias de assédio. Motorista de autocarros de Coimbra foi suspenso após importunar jovem

Um motorista de autocarros de Coimbra foi suspenso depois de ter sido filmado enquanto assediava uma jovem num veículo dos SMTUC, a empresa de transportes públicos da cidade. O caso está a dar destaque a …

"A pandemia precipitou uma epidemia." Fungo negro disparou pela Índia desde a segunda vaga

A mucormicose, uma doença fúngica rara e frequentemente mortal, explodiu em toda a Índia durante a pandemia de covid-19. “A pandemia precipitou uma epidemia”, disse Bela Prajapati, otorrinolaringologista no Hospital Civil, na Índia, ao The New …

Governo aponta "soluções" para rever tabela remuneratória da Função Pública (e quer limitar "mandatos" das chefias intermédias)

O Governo está a avaliar “várias soluções” para rever a tabela remuneratória da Função Pública que passam por “alongá-la” ou alterar os momentos de entrada em cada carreira. A informação foi avançada pela ministra Alexandra Leitão, …

Já abriram os primeiros concursos para gastar a bazuca. Costa destaca "orgulho" na boa gestão de fundos europeus

Arranca, nesta segunda-feira, o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), com a abertura dos dois primeiros concursos para obtenção de financiamento da chamada "bazuca" europeia. O primeiro-ministro António Costa destaca a "boa gestão" dos fundos …

Parlamento sueco aprova moção de censura e derruba Governo

O primeiro-ministro sueco foi derrubado, esta segunda-feira, por um voto de desconfiança no Parlamento, situação inédita na história política da Suécia, e tem uma semana para se demitir ou convocar novas eleições. Resultado da reviravolta na …

MAI não revela velocidade a que seguia carro de Cabrita (e culpa a vítima pelo acidente)

Três dias após o acidente mortal na A6, o Ministério empurra as culpas para o trabalhador e continua a ocultar dados relativo à viagem. O Ministério da Administração Interna (MAI) recusa revelar a que velocidade seguia …