Paços 0-1 Porto | “Dragão” não vacila e foge na liderança


O FC Porto deu um passo importante rumo ao título. Na visita ao Paços de Ferreira, os “dragões” marcaram muito cedo, logo aos sete minutos, e aguentaram a vantagem de 1-0 com competência, num jogo pobre, de muita luta, duetos aéreos, poucas oportunidades de golo e raras jogadas de qualidade.

Chancel Mbemba foi o herói da partida, ao facturar o único tento do desafio, com o Paços a pressionar em busca do empate, mas sem conseguir entrar com regularidade na área contrária. Este foi o quarto jogo consecutivo dos “dragões” sem sofrerem golos.

O jogo explicado em números

  • Porto quase na máxima força na Mata Real, apenas sem o lesionado Iván Marcano, e sem o castigado Sérgio Oliveira, à espreita de aumentar para seis os pontos de vantagem sobre o Benfica – que perdeu na Madeira. Uribe começou o jogo de início, tal como Danilo Pereira, com Jesús Corona na esquerda do meio-campo, no lugar de Luis Díaz, e Wilson Manafá no lugar de Tomás Esteves.
  • E tudo começou bem para o “dragão”. Logo aos sete minutos, canto da direita, Ricardo Ribeiro não conseguiu afastar com uma palmada e a bola chegou aos pés de Chancel Mbemba, que foi mais lesto e rematou de pronto, para o 1-0. Desde 2014 que o Porto não marcava na “Capital do Móvel”, e desta feita fê-lo logo no primeiro remate do jogo.
  • No primeiro quarto-de-hora o domínio foi portista, como se esperava, com 65% de posse de bola. No remate é que as coisas estavam equilibradas, com um para cada lado, embora o Paços sem conseguir enquadrar o seu. Também no passe os comandados de Pêpa não estavam muito bem, não passando de 67% de eficácia.
  • Jogo muito disputado a meio-campo (44,2%) à passagem da meia-hora de jogo, com as duas formações a sentirem dificuldades para entrarem nas áreas contrárias. Nesta fase, cada uma somava apenas duas acções com bola nessas zonas do terreno, uma delas que deu golo para o Porto. Os da casa já haviam reequilibrado as operações, chegando aos 45% de posse e somando mais um remate (2-1), mas ainda sem pontaria.
  • Luiz Carlos, do Paços, com dois dribles eficazes e três desarmes, registava o rating mais alto do jogo nesta fase, ainda assim modestos 5.7. O melhor portista era Mbemba, pelo golo, mas também pelos três duelos aéreos defensivos ganhos. Mas o jogo estava a arrastar-se, com o Paços a tentar reagir, mas a esbarrar com a habitual solidez portista.
  • Intervalo Jogo longe de bem jogado na Mata Real, com um golo bem cedo, logo aos sete minutos, e para o Porto, por Mbemba, no primeiro remate do desafio. A partir daí o Paços tentou reagir e até chegou ao intervalo com mais um remate que os líderes isolados da Liga, mas raramente criou perigo. O melhor em campo nesta primeira metade acabou por ser Danilo Pereira, com um GoalPoint Rating de 6.2. O “trinco” portista ganhou os dois duelos aéreos em que participou e somou sete acções defensivas, entre elas três desarmes.
  • A partida não melhorou no primeiro quarto-de-hora do segundo tempo, apenas mudou um pouco a tendência, com o Paços a assumir mais as despesas ofensivas e a registar 58% de posse de bola. As duas formações só fizeram dois remates cada desde o descanso e só o Porto somava um enquadrado.
  • A pressão dos “castores” ia-se intensificando, entrando numa fase de vários cantos a favor. E na sequência de uma jogada de insistência, aos 66 minutos, Luiz Carlos, num remate acrobático, obrigou Agustín Marchesín a defesa apertada. O jogo era dos homens da casa, que chegaram aos 70 minutos com 67% de posse desde o descanso e cinco remates, um enquadrado.
  • Na melhor fase dos anfitriões, aos 77 minutos, o recém-entrado Luiz Díaz, isolado, não conseguiu desfeitear o guarda-redes Ricardo Ribeiro, no primeiro disparo visitante desde os 59 minutos. O Porto dava mostras de poder causar dano a um Paços adiantado no terreno e à procura do golo. Mas a qualidade de jogo também não imperada para os lados do “dragão”.
  • Marchesín voltou a salvar o Porto aos 86 minutos, com uma grande estirada a desviar com a ponta dos dedos um remate de Jorge Silva que ia direito às redes portistas. O Paços tentava desesperadamente chegar ao empate, mas os “azuis-e-brancos” mantinham-se coesos e ser dar mostras de vacilar, limitando a três as acções com bola dos pacenses na sua grande área.

Octávio Passos / Lusa

O melhor em campo GoalPoint

A prova provada de que o Porto está, aos poucos, a entrar na sua normalidade é o facto de Alex Telles ter sido o melhor em campo. Desta vez o lateral brasileiro não marcou nem assistiu, mas terminou a partida com um GoalPoint Rating de 6.4, com dois de três duelos aéreos ofensivos ganhos, cinco recuperações de posse e nove acções defensivas, com destaque para três intercepções. Este foi, essencialmente, um jogo de luta, e Telles não fugiu à responsabilidade.

Jogadores em foco

  • Danilo Pereira 6.3 – O melhor da primeira parte. O “trinco” luso esteve muito bem no processo defensivo, com três desarmes e três duelos aéreos ganhos em quatro. Ofensivamente esteve discreto, como toda a equipa portista, aliás.
  • Luiz Carlos 6.0 – O melhor elemento do Paços, na luta, a defender, a integrar-se nas acções ofensivas. O brasileiro somou três desarmes, recuperou cinco vezes a bola, somou apenas três perdas em 39 posses, completou as duas tentativas de drible e esteve nas melhores ocasiões da sua equipa. Desperdiçou mesmo uma ocasião flagrante.
  • Pedrinho 6.0 – A energia e criatividade do médio luso estão sempre presentes no futebol dos “castores”. Pedrinho fez três remates, todos de fora da área, todos desenquadrados, criou a ocasião flagrante desperdiçada por Luiz Carlos e também fez três desarmes.
  • Wilson Manafá 5.9 – Na lateral direita, no lugar de Tomás Esteves, Wilson esteve muito interventivo no apoio ofensivo, tentando sempre ser o primeiro a transportar jogo para a frente. Tentou por oito vezes o drible e teve sucesso em cinco (máximos do jogo), recuperou sete vezes a bola, mas pecou com três perdas de posse no terço defensivo.
  • Otávio Monteiro 5.9 – O criativo portista criou uma ocasião flagrante, a tal desperdiçada por Luiz Díaz, e esteve muito activo, tendo sofrido quatro faltas, duas em zonas de perigo.
  • Chancel Mbemba 5.8 – O central marcou o único golo do jogo, de resto, teve de se entregar a tarefas defensivas. Para além de quatro alívios, Mbemba participou em sete duelos aéreos defensivos, tendo ganho seis.

GoalPoint

PARTILHAR

RESPONDER

China parece ter controlado segunda vaga de coronavírus em 21 dias, sem registar mortes

A China parece ter controlado a segunda vaga de covid-19 após um surto que começou num mercado de Pequim, em junho, e que levou a pelo menos 328 novos casos e ao encerramento parcial da …

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …