Dormir mais de 8 horas pode estar associado a problemas cardiovasculares

É certo que dormir o suficiente é fundamental para nos mantermos saudáveis, mas dormir demasiado pode estar ligado a um maior risco de contrair problemas cardíacos e até a um maior risco de mortalidade.

Na verdade, dormir demasiado não mata diretamente mas, passar muito tempo na cama pode ser um sintoma de um outro problema ou pode mesmo piorar outros problemas de saúde já existentes, aponta um novo estudo, publicado na semana passada no Journal of the American Heart Association.

A equipa de cientistas que conduziu a investigação afirma que devemos prestar mais atenção ao sono em excesso, alertando que reduzindo as noites de sono para as recomendadas 7 ou 8 horas pode acabar por reduzir significativamente a probabilidade de contrair problemas de saúde mais tarde.

“As nossas conclusões revelam implicações importantes, apontando que os médicos devem ter em consideração, quando exploram o sono nas consultas, o tempo e a qualidade do sono”, considerou Chun Shing Kwok, um dos investigadores.

“Se forem encontrados padrões de sono excessivos, com durações prolongadas de 8 horas ou mais, os médicos devem considerar o rastreamento de fatores de risco cardiovascular e a apneia obstrutiva do sono – um distúrbio grave do sono que se dá quando a pessoa está a dormir”, revelou.

Ou seja, se os pacientes passam muitas horas a dormir, vale a pena os médicos investigarem – principalmente se o sono for longo, mas não refrescante.

Aumento no risco morte

Para a pesquisa, foram analisados 74 estudos anteriores que avaliaram a duração e a qualidade do sono, bem como a taxa de mortalidade e a saúde cardiovascular. No total, os estudos contavam com 3 milhões de participantes.

Os investigadores descobriram que a duração média de sono de 10 horas por noite está associada a um aumento de 30% na taxa de mortes prematuras, comparativamente com os sonos de 7 ou 8 horas.

A média de 10 horas de sono também representa um aumento de 56% no risco de morte por acidente vascular cerebral (AVC) e um aumento de 49% por doença cardiovascular. A  má qualidade do sono, implicava um aumento de 44% no risco de mortalidade por doença coronária.

Mesmo considerando uma grande amostra, o estudo apresenta algumas limitações. O facto do sono ser relatado pelos próprios pacientes e não medido em laboratório é uma das principais. Por isso, o estudo não é totalmente preciso.

Por tudo isto, os investigadores não podem dizer que há uma relação direta entre dormir mais de 8 horas e sono e ter uma morte prematura.

Importa ainda salientar que há vários fatores de diferente natureza que afetam o sono por isso, a investigação sobre o tema vai continuar. “O sono afeta-nos a todos. A sua quantidade e qualidade é um assunto complexo”, concluiu Kwok.

PARTILHAR

RESPONDER

Estrela hiper-fugitiva foi expulsa do disco da Via Láctea

De acordo com investigadores da Universidade de Michigan, uma estrela veloz pode ter sido ejetada do disco estelar da Via Láctea por um enxame de estrelas jovens. Os cientistas dizem que a estrela não teve …

Cientistas portugueses participam na criação do maior telescópio do mundo

O SKA, Square Kilometre Array, está já em construção e será o maior telescópio do mundo. Cientistas portugueses estão a participar no seu design e alguns dos testes serão feitos em território luso. A construção do …

Bolsonaro pondera não assinar qualquer acordo na próxima cimeira do clima

O Brasil está a considerar não assinar qualquer acordo climático na próxima COP25, anunciou este sábado em Santiago o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro, após uma reunião que manteve no sábado no Palácio de La Moneda …

Portugal vs Sérvia | Massacre luso com pólvora seca

Segunda jornada do Grupo B da qualificação para o Euro 2020, segundo empate de Portugal, ambos em casa. Após o nulo ante a Ucrânia na primeira jornada, os campeões da Europa não foram além de …

O "homem-milagre". Carteiro português esteve morto 21 minutos e acordou a caminho da morgue

Declarado morto pelos médicos, depois de ter tido um ataque cardíaco, e "ressuscitado" 21 minutos depois, quando já ia a caminho da morgue, o português João Araújo continua a ser conhecido como o "homem milagre" …

Um dos fármacos mais promissores para tratar o Alzheimer falha nos testes em humanos

Uma onda de choque instalou-se na comunidade de pesquisa sobre o Alzheimer na sexta-feira, depois que a empresa farmacêutica Biogen anunciou a suspensão - na fase final em humanos - dos testes com o fármaco …

Gerente de agência de viagens deixou 84 clientes em terra. Em tribunal, foi absolvida

Paula chegou a tribunal acusada de burla qualificada por ter deixado 84 clientes da agência de viagens que geria no Montijo com as férias ou viagens estragadas em agosto de 2016. Chegou a ser detida …

Italiana de 91 anos distinguida pelos seus feitos na II Guerra Mundial. Aos 17 anos, salvou 38 pessoas

Gabriella Ezra, de 91 anos, vai receber a Estrela de Itália. O Estado decidiu homenageá-la depois de a embaixada italiana em Inglaterra, onde Gabriella vive, ter recebido uma carta do filho, Mark, de 65 anos, …

Moscovo enviou dois aviões com soldados e armamento para a Venezuela

Duas aeronaves russas aterraram no aeroporto de Caracas, este sábado, trazendo 100 soldados e 35 toneladas de armamento. As tropas chegaram sob supervisão do chefe do comando principal das forças terrestres russas, Vasilly Tonkoshkurov. A chegada …

Escolas retiram relógios analógicos das salas porque os alunos "não sabem dizer as horas"

As escolas estão a retirar os relógios analógicos das salas de aula porque os adolescentes não sabem ler a hora, disse um sindicato de professores do Reino Unido. Para remediar o problema e substituir os relógios …