Donald Trump pode antecipar anúncio de recandidatura como resposta ao comité que investiga ataque ao Capitólio

gageskidmore / Flickr

Donald Trump, ex-Presidente dos Estados Unidos

Apesar de continuar a ser a figura republicana com mais notoriedade nos Estados Unidos, elementos do partido não estão satisfeitos com a manobra, temendo que esta possa prejudicar os resultados das eleições intercalares.

A última semana ficou marcada por testemunhos relevantes nas audições que integram o Comité da Câmara dos Representantes que visa apurar os factos, assim como responsabilidades, no ataque ao Capitólio. De forma surpreendente Cassidy Hutchinsn, antiga assessora da Casa Branca na Administração, revelou que o antigo presidente republicado foi informado dos avanços dos manifestantes, como também do facto de estarem armados, não procedendo a qualquer tentativa ou ação para os travar.

Deixem a minha gente passar“, terá sido a mensagem passada por Trump aos seus mais próximos e minutos antes de alguns dos mais importantes responsáveis políticos dos Estados Unidos terem que correr a secretárias e outros objetos para proteger portas e, assim, escapar à fúria dos invasores. Entre eles, estava Mike Pence, vice-presidente de Trump e um dos alvos da fúria dos invasores, que durante largos minutos entoaram cânticos a apelar ao seu enforcamento.

Foi no seguimento do depoimento da assistente especial e assessora de Mark Meadows, com apenas 25 anos, que o núcleo duro de Trump começou a estudar a possibilidade de o antigo presidente antecipar o anúncio da seu candidatura à Casa Branca, a terceira consecutiva. A manobra, escreve o New York Times, é uma forma de, precisamente, escudar o antigo presidente de novas revelações que possam surgir no âmbito das audiências e até de possíveis condenações.

No entanto, a estratégia não é vista com bons olhos por todos, mesmo no seio dos republicados. Muitos temem que o anúncio, muito prematuro para a tradição eleitoral norte-americana, possa agonizar as divisões dentro do partido, sobretudo em relação ao melhor candidato para conseguir devolver o poder aos republicanos. Simultaneamente, existe o receio de que o anúncio possa distrair os eleitores das eleições intercalares de novembro, uma ocasião onde o partido espera reconquistar lugares e inverter a maioria dos democratas nas duas câmaras.

Apesar de ter sido afastado da Casa Branca pelos eleitores em novembro de 2020, Donald Trump nunca deixou de estar em contacto com os seus eleitores, numa estratégia que se pode comparar mesmo a uma campanha entre ciclo eleitoral. Esta comunicação foi intensificada nos últimos dias, o que aumentou as suspeitas de que um anúncio estará para breve.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.