Doces? Na Suécia, só aos sábados

2

Todas as pessoas anseiam pela chegada do fim de semana, mas as crianças suecas têm um motivo especial: a dose semanal de doces chega aos sábados.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Na Suécia, comer doces ao sábado é uma tradição que até tem um nome: lördagsgodis, que significa, literalmente, “doces de sábado”.

Segundo a BBC, o conceito data dos anos 50. Nessa altura, as autoridades médicas começaram a recomendar rebuçados como um tratamento único por semana, para tentar limitar casos crescentes de cáries dentárias à medida que a Suécia se tornava um país mais rico.

Sofi Tegsveden Deveaux, especialista em cultura e valores suecos, revela que a propensão dos cidadãos do país para “confiar no Estado” encorajou-os a seguir os conselhos de restringir a ingestão de doces aos sábados.

A tradição lördagsgodis é muito mais do que um dia feliz: é também uma lição, na medida em que encoraja as crianças a começarem a pensar no orçamento semanal.

Gomas, rebuçados e chupa-chupas parecem ser símbolos improváveis de liberdade financeira, mas Deveaux explica que os doces estão entre os primeiros artigos nos quais as crianças gastam dinheiro se lhes for dada uma semanada.

Dados de 2020 do Swedbank, um banco sueco, revelam que cerca de sete em cada 10 crianças no país recebem uma semanada ou mesada, pelo que lördagsgodis é “definitivamente” uma ferramenta útil para ajudar as crianças suecas a compreender o valor do dinheiro.

“É difícil falar com uma pequena pessoa de oito anos e tentar explicar-lhe a importância de poupar”, começa por dizer o economista Americo Fernández. Dar dinheiro às crianças para guardarem para os doces de sábado pode dar-lhes alguns detalhes sobre planeamento financeiro básico.

Fernández acredita que os pais de outros países podem aprender muito com a tradição, mas salienta que é importante colocar os hábitos de despesa dos suecos no contexto da longa história de bem-estar social do país, numa cultura que promove o individualismo e a independência em todas as idades.

Na Suécia, a educação é gratuita e os cuidados de saúde são subsidiados pelo Estado, o que pode ajudar a reduzir as pressões financeiras das famílias.

Além disso, todos os pais, independentemente do rendimento, têm direito a um abono de família mensal de 1.250 coroas (cerca de 120 euros) por mês, até que o filho complete 16 anos de idade.

Isto dá a todos os pais “a possibilidade de poupar ou de dar uma semanada ou mesada” aos filhos, de uma forma que não é possível em muitos outros países”.

  ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.