Dobrar, torcer, alongar e encurtar. Vídeo mostra que o polvo é o “rei da flexibilidade”

Os polvos têm os apêndices mais flexíveis conhecidos na natureza. Além de macios e fortes, cada um dos oito braços do animal consegue dobrar-se, torcer-se, alongar-se e encurtar-se em muitas combinações distintas para produzir movimentos diversos.

De acordo com o ScienceAlert, cada braço de um polvo é essencialmente um cordão de nervos que se estende a partir do seu próprio centro cerebral único, dando aos membros a capacidade de tomar decisões individuais reflexivamente com base no seu sistema sensorial único.

Dois terços dos neurónios de um polvo estão espalhados pelos seus oito braços, o que significa que há mais “cérebro” nos seus membros do que em qualquer lugar central.

Este complexo arranjo da musculatura indica que os polvos têm a capacidade de realizar quatro tipos de movimento. Uma equipa do Laboratório de Biologia Marinha questionou-se: até que ponto os polvos conseguem fazer isto e se será cada braço igualmente capaz.

Com esta pergunta em mente, os cientistas filmaram 10 polvos durante muitos meses, período durante o qual lhes apresentaram uma variedade de desafios – e registaram 16.563 exemplos desses movimentos do braço.

Segundo os investigadores, todos os oito braços conseguem realizar todos os quatro tipos de deformação (dobrar, torcer, alongar, encurtar) em todo o seu comprimento. Além disso, cada tipo de movimento pode ser implantado em várias orientações – como para a esquerda, direita, para cima, para baixo e até em 360º.

Os cientistas notaram ainda a torção no sentido horário e anti-horário que poderia ocorrer ao longo de cada braço durante a flexão, encurtamento ou alongamento. Este braço forte e sinuoso é excecionalmente flexível em qualquer padrão.

“Até mesmo a nossa equipa de investigação, que está muito familiarizada com polvos, ficou surpreeendida com a extrema versatilidade de cada um dos oito braços enquanto analisávamos os vídeos”, disse Roger Hanlon, cientista sénior da MBL, em comunicado.

“Estas análises detalhadas podem ajudar a guiar a próxima etapa para determinar o controlo neural e a coordenação dos braços do polvo e podem revelar princípios de design que podem inspirar a criação de robôs moles de próxima geração.”

Há muito tempo que os engenheiros desejam projetar “braços robóticos macios” com maior agilidade, força e capacidade de deteção. Atualmente, a maioria dos braços robóticos requer materiais rígidos e juntas de várias configurações, todas com limitações.

O polvo apresenta um novo modelo para projetos robóticos futuros. Os seus braços são semelhantes à função da língua humana e à tromba do elefante. São hidrostáticos musculares que usam músculos em diferentes arranjos para produzir movimento.

Esta investigação fornece uma base para investigar o controlo motor de todo o braço do polvo. Braços robóticos suaves e ultraflexíveis podem permitir muitas novas aplicações, por exemplo, inspeção de ambientes desestruturados e desordenados, como edifícios desmoronados, ou inspeção médica mais suave de vias respiratórias ou alimentares.

Este estudo foi publicado em novembro na revista científica Scientific Reports.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …