DNA de Ricardo III revela infidelidades na família real

DP / Wikimedia

Ricardo III por William Hogarth (1697–1764)

Ricardo III por William Hogarth (1697–1764)

Análises ao DNA do rei inglês Ricardo III surpreenderam os cientistas e estudiosos por trazer à tona indícios de infidelidade na família do monarca, que governou a Inglaterra no século XV.

Os investigadores que estudaram o material genético dos restos mortais de Ricardo III, encontrados num estacionamento em Leicester, em Inglaterra, dizem que a descoberta pode ter profundas implicações históricas.

Dependendo do ponto da árvore genealógica em que ocorreu, a infidelidade pode levantar dúvidas sobre o direito ao trono do próprio Ricardo e seus sucessores – que são os famosos monarcas da dinastia Tudor: Henrique V, Henrique VI, Henrique VIII e Elizabeth I.

Mas, segundo o estudo, publicado na revista científica Nature Communications, os cientistas não analisaram eventuais desdobramentos dessas descobertas até à família real que ocupa actualmente o trono britânico, já que não está claro se de facto houve quebra na linhagem da realeza.

Além disso, Kevin Schurer, pró-vice-reitor da Universidade de Leicester, recorda que a reivindicação do trono era baseada em mais do que o sangue real, mas também em casamentos arranjados entre nobres e vitórias em batalhas.

Segundo Schurer, a actual família real, que tem em parte uma linha de descendência Tudor, não tem que se preocupar.

“Não estamos de forma alguma a dizer que a rainha Elizabeth II não devia estar no trono”, assegurou Schurer.

A curvatura da coluna do "esqueleto 1" encontrado no parque de estacionamento em Leicester é um dos indícios que confirma a identidade dos restos mortais: Ricardo III de Inglaterra

A curvatura da coluna do “esqueleto 1” encontrado no parque de estacionamento em Leicester é um dos indícios que confirma a identidade dos restos mortais: Ricardo III de Inglaterra

Descoberta no estacionamento

Retratado por Shakespeare como um tirano corcunda, Ricardo III foi morto na Batalha de Bosworth, em 1485, mas os seus restos mortais tinham-se perdido com o tempo.

Até que em 2012 arqueólogos encontraram os seus restos, num estacionamento em Leicester, que antes acolhia a abadia onde o rei tinha sido enterrado.

Os cientistas conseguiram extrair material genético dos restos encontrados. A análise científica mostra que o DNA, do lado materno, é igual ao dos parentes vivos do rei.

Mas a informação genética do lado paterno não.

A partir de outros detalhes que permitiram aos cientistas confirmar que se trata do corpo de Ricardo III,  concluíram que a infidelidade é a causa mais provável dessa discrepância.

“Quando juntamos todos os dados, há provas esmagadoras de que estes são os restos mortais de Ricardo III”, diz a investigadora Turi King, da Universidade de Leicester, responsável pelo estudo.

A infidelidade feminina na linhagem de Ricardo III pode ter ocorrido em qualquer ponto das numerosas gerações que separam o monarca do 5º duque de Beaufort (1744-1803), cujos descendentes vivos providenciaram amostras de DNA para serem comparados com os restos mortais do rei.

“Podemos ter solucionado esse quebra-cabeças histórico, mas com isso abrimos um quebra-cabeças novo“, diz Schurer à BBC.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Os portugueses dormem pouco e mal

Os portugueses estão a descansar poucas horas, dormindo em média menos de seis horas diárias, com reflexos negativos na vida ativa e social, disse esta sexta-feira o presidente da Associação Portuguesa do Sono (APS), Joaquim …

Vaticano destitui ex-cardeal dos Estados Unidos por acusações de abusos sexuais

A Congregação para a Doutrina da Fé expulsou do sacerdócio o ex-cardeal e arcebispo emérito de Washington Theodore McCarrick depois de este ser acusado de abusos sexuais de menores e seminaristas, anunciou o Vaticano. Num comunicado, …

Maré de água suja atingiu a já debilitada Grande Barreira de Coral

Um enorme manto de água poluída oriunda das recentes inundações que se registaram no nordeste da Austrália penetrou em partes da já debilitada Grande Barreira de Coral, o maior recife de coral do mundo. Estas camadas …

É oficial: Pedro Marques é o cabeça-de-lista socialista às europeias

O atual ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, é o cabeça de lista dos socialistas às eleições europeias. Era uma notícia já avançada por vários órgãos de comunicação social e hoje António Costa confirmou-a. …

Governo espanhol aprova ordem de exumação de Franco

O Governo espanhol aprovou a ordem para exumar o ditador Francisco Franco do seu atual lugar de enterro, o monumento do Vale dos Caídos, medida à qual a família ainda se opõe. Os familiares de Franco …

Sonda da NASA aperta órbita em preparação para a missão Marte 2020

A missão MAVEN (Mars Atmosphere and Volatile Evolution) da agência espacial norte-americana, já com 4 anos, está a embarcar numa nova campanha para apertar a sua órbita em torno de Marte. A operação vai reduzir …

Trump precisa de oito milhões de dólares para o muro e a Casa Branca explica onde os vai buscar

A Casa Branca identificou esta sexta-feira os fundos federais que serão utilizados pela administração de Donald Trump para conseguir financiar a construção do muro na fronteira com o México. O Presidente norte-americano declarou esta sexta-feira estado …

Desativação de bomba da II Guerra Mundial paralisa e evacua Paris

Mais de mil moradores e trabalhadores evacuados, comboios urbanos, nacionais e internacionais cancelados, estradas fechadas, rotas de autocarro desviadas e pelo menos uma estação de metro encerrada em Paris. Também o bairro de porte de La …

Pouco se sabe sobre a morte de Khashoggi. Mas há um homem que diz ter muito para contar

Neste momento, as informações aparecem a conta-gotas. Foi a estratégia usada pelas autoridades turcas, desde o primeiro momento, para gerir a forma como revelaram informações sobre o assassinato de Jamal Khashoggi. Khashoggi morreu dentro do consulado …

Enfermeiros marcam greve nacional para 8 de março

A Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) vai decretar greve nacional para dia 8 de março, para permitir a participação dos profissionais numa marcha em homenagem à enfermagem que está programada para Lisboa. O anúncio foi …