Dispositivo na sola do sapato gera energia com a força dos passos

Investigadores alemães construíram dispositivos dentro de um sapato que produzem energia a partir dos passos. A tecnologia pode ser utilizada para alimentar sensores eletrónicos portáteis sem a necessidade de baterias.

Trata-se de dois dispositivos separados: um que gera energia quando o calcanhar toca no chão e outro que produz energia quando o pé está a baloiçar. Pormenores sobre os aparelhos foram publicados na Smart Material and Structures.

“Tentamos ligar um transmissor sem fios e alimentar um sensor simples”, explicou Klevis Ylli, do HSG-IMIT, um centro de investigação em Villingen-Schwenningen, na Alemanha.

“Estamos a trabalhar numa aplicação de navegação interior, ou seja, sensores dentro dos sapatos que medem a aceleração do pé, a velocidade angular – se a pessoa está a rodar o pé ou não – e do campo magnético”.

“A partir dos dados destes sensores, podemos calcular o quão longe viajou e em que direção. Imagine agora uma unidade de salvamentos a entrar num prédio desconhecido; os agentes poderiam, por exemplo, acompanhar o caminho que seguiram através do seu dispositivo portátil”, explica Ylli.

Ambos os dispositivos geram energia ao explorar o movimento entre ímanes e bobinas. À medida que o campo magnético de um íman em movimento passa por uma bobina estacionária, é induzida tensão e gerada corrente eléctrica.

A energia gerada é ainda relativamente baixa – não é suficiente, por exemplo, para carregar um smartphone. Mas é o suficiente para carregar pequenos sensores e transmissores, abrindo um leque de novas aplicações.

klevis-ylli / LinkedIn

Klevis Ylli, investigador do HSG-IMIT, Villingen-Schwenningen, Alemanha.

Klevis Ylli, investigador do HSG-IMIT, Villingen-Schwenningen, Alemanha.

Os dispositivos representam uma troca entre a geração de energia, tamanho e outros fatores limitadores. Ylli diz que o dispositivo oferece algumas vantagens importantes.

“Algumas abordagens do passado, por exemplo, tentaram usar uma alavanca por baixo do sapato para alimentar uma caixa de velocidade e um gerador eléctrico, como o que é usado em algumas lanternas, que poderiam gerar até 250mW, mas eram enormes, pesados e tinham partes fora do calçado“, diz Ylli, citado pela BBC.

“A energia gerada é relativa ao tamanho, mas se queremos ser capazes de integrar razoavelmente tal dispositivo dentro de uma sola de sapato, temos que trabalhar com restrições rígidas, como uma pequena altura e comprimento limitado do dispositivo”.

“Construímos dispositivos relativamente pequenos, considerando a energia produzida”, diz o investigador.

Os dispositivos poderão funcionar também como a base de um mecanismo que ata os cordões dos sapatos automaticamente, que poderia ser usado por idosos.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

A muralha de Game of Thrones na vida real? Vídeo recria glaciar gigante que existiu na Escócia

Dois investigadores juntaram-se para criar uma reconstituição visual de uma enorme muralha de gelo que existiu na Escócia e que parece saída da série de fantasia Game of Thrones. Quase que dá para ver os homens …

Rui Costa, Benfica

Benfica: duas "baixas" para Rui Costa, em poucas horas (a terceira está proxima)

Varandas Fernandes e Eduardo Moniz não vão fazer parte da lista de Rui Costa nas eleições.  Rui Costa confirmou na terça-feira que é candidato às próximas eleições no Benfica. Dois dias depois, foram anunciadas as saídas …

CNE arquivou queixas contra Costa por causa do PRR. Factos não podem merecer "censura, mesmo que verdadeiros"

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) arquivou as queixas que foram apresentadas contra o primeiro-ministro, António Costa, que, como secretário-geral do PS, tem insistido em falar do PRR, a bazuca europeia, na campanha eleitoral. As queixas …

Discotecas deixam de ter acesso ao lay-off simplificado. Restauração lembra que "crise ainda não acabou"

O processo de desconfinamento começa a chegar ao fim e com ele ficam para trás os apoios financeiros atribuídos às empresas. A terceira e última fase de desconfinamento está quase a chegar e isso implica …

Costa diz não compreender "irritação" de Rio com PRR "bom para o país"

António Costa afirma que não compreende a irritação de Rui Rio com o Plano de Recuperação e Resiliência, frisando que é algo positivo para o país e já está contratualizado com os Açores. O secretário-geral do …

Estudo traz uma nova esperança ao tratamento do cancro dos ovários

Novo estudo traz uma nova luz para a luta contra o cancro dos ovários. Combinação de medicamentos conseguiu reduzir o tamanho do tumor. De acordo com o estudo, entre 25 pacientes que receberam uma combinação experimental …

Medina diz que abertura das discotecas tornará noite em Lisboa mais controlada

O presidente da Câmara de Lisboa e recandidato nas eleições de domingo, Fernando Medina, disse hoje ver como positiva a reabertura das discotecas a 1 de outubro, considerando que a noite na capital passará a …

Gotas quadradas e redes líquidas. Cientistas criaram o que se pensava ser impossível

Numa experiência inesperada, uma equipa de cientistas criou gotículas quadradas e redes líquidas - algo que, de acordo com a ciência, não seria possível. Quando duas substâncias se unem acabam por se estabelecer num estado estável …

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável. Uma equipa de investigadores sugere que a sua dimensão reduzida não lhe permite reter muita água. Um novo estudo sugere que o pequeno tamanho de Marte pode ser …

"Era como se a morte estivesse num copo." No século XVIII, o gin estava a arruinar a Inglaterra

A bebida alcoólica tornou-se tão popular no Reino Unido que os empresários começaram a utilizar todo o tipo de aditivos para enriquecerem. No século XVIII, o gin tornou-se a maior droga que o homem poderia consumir …