Disney rejeita leis francesas. O próximo filme não vai passar nos cinemas

A Disney não vai lançar a animação de sucesso “Strange World” nos cinemas franceses, em protesto contra as regras do país relativas ao streaming.

Segundo a lei francesa, a plataforma de streaming da companhia, Disney+, teria de esperar 17 meses para mostrar o filme após o lançamento nas salas de cinema, que estava previsto para novembro.

A Disney indicou à AFP que, em vez disso, enviaria “Strange World” diretamente para streaming, saltando as salas de cinema, confirmando as informações noticiadas no site do filme “Deadline” e no jornal francês Les Echos.

Helene Etzi, presidente da Disney France, afimou ao Les Echos que as regras francesas eram “injustas, restritivas e mal adaptadas às exigências do público“.

“Strange World” é um dos lançamentos da Disney+ mais aguardados do ano, com Jake Gyllenhaal a dar voz ao personagem principal na versão inglesa do filme.

A França tentou evitar que as plataformas de streaming minassem a sua grande rede de cinema e as estações de televisão — nomeadamente o Canal Plus — que financiam muitos dos filmes e têm uma espera mais curta para as estreias principais.

A Federação Nacional dos Cinemas Franceses diz que “protestou com o maior vigor contra o desejo da Disney de privar os franceses do seu filme de animação de Natal”.

O debate sobre o tempo de espera entre o cinema e os lançamentos de streaming também tem sido polémico em Hollywood — mas com atrasos muito mais curtos.

Depois de tentar várias estratégias durante o auge pandemia de covid-19, a indústria norte-americana estabeleceu 45 dias como sendo o intervalo ideal.

A atriz norte-americana Scarlett Johansson processou a Disney no ano passado por perder rendimentos, depois de a empresa ter lançado “Black Widow” simultaneamente em cinemas e plataformas de streaming.

  Alice Carqueja, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.