Discutir sobre temas controversos requer mais atividade cerebral do que concordar

Uma nova investigação da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, confirmou aquilo que o senso comum já vaticinava: discutir sobre temas controversos requer muito mais atividade cerebral do que simplesmente concordar.

De acordo com a nova investigação, cujos resultados foram publicados esta semana na revista científica especializada Frontiers in Human Neuroscience, quando duas pessoas concordam, os seus cérebros exibem uma atividade calma, harmoniosa e sincronizada, focava essencialmente nas áreas sensoriais do cérebro.

Quando duas pessoas discordam, a resposta cerebral é outra: muitas outras regiões do cérebro envolvidas em funções cognitivas superiores mobilizam-se à medida que cada indivíduo rebate o argumento do outro.

“Todo o nosso cérebro é uma rede de processamento social (…) Contudo, é preciso muito mais inteligência para discordar do que concordar”, sintetizou Joy Hirsch, autora sénior do novo estudo e professora de Medicina Comparativa e Neurociência, citada em comunicado.

Para chegar a esta conclusão, a equipa de Yale juntou 38 adultos aos quais foi pedido que se manifestassem a favor ou contra com uma série de afirmações como, por exemplo, “O casamento homossexual é um direito civil” ou “A canábis deve ser legalizada”.

Depois de juntar pares de voluntários com base nas suas respostas, os cientistas recorreram à espectroscopia, uma tecnologia de imagem de infravermelho próximo para registar a atividade cerebral dos participantes enquanto estes discutiam frente-a-frente.

Há uma sincronicidade entre cérebros quando concordamos. Mas, quando discordamos, o acoplamento neuronal desconecta-se”, completou Hirsch.

A especialista estabelece deixa uma comparação entre as diferenças neuronais observadas com o mundo da música: quando dois cérebros investem muitos recursos emocionais e cognitivos funcionam como “uma orquestra sinfónica a tocar músicas diferentes; por outro lado, quando concordam, “há menos envolvimento cognitivo e mais interação social entre o cérebro dos locutores, semelhantes a um dueto musical”.

Hirsch considerou ainda que entender o funcionamento cerebral em situações de concordância ou discordância é particularmente importante agora, tendo em conta que vivemos num ambiente político cada vez mais polarizado.

Sara Silva Alves Sara Silva Alves, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A Greenpeace está a atirar pedras gigantes para o Mar do Norte. Eis a razão

Na semana passada, a Greenpeace atirou pedras gigantes ao mar ao redor do Reino Unido. Esta ação faz parte do objetivo da organização de acabar com os barcos de pesca de arrasto no fundo do …

Deco avança para tribunal contra Apple por manipulação de desempenho dos iPhones 6

A Deco Proteste anunciou esta segunda-feira que avançou com uma ação judicial contra a Apple, acusando-a de práticas enganosas por ter manipulado os iPhones 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus para se tornarem obsoletos …

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Nota artística: pouco Festival no FC Porto-Sporting

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/fc-porto-0-0-sporting-o-musical Está bem: Futebol Clube do Porto contra Sporting Clube de Portugal. Segundo classificado recebe o líder. Jogo que pode praticamente definir o novo campeão nacional de futebol. O encontro é naquele estádio junto ao centro …

Índia e Paquistão comprometem-se a respeitar cessar-fogo em Caxemira

Na quinta-feira, o Paquistão e a Índia alcançaram um acordo para fazer cumprir o cessar-fogo na região de Caxemira, reivindicada pelos dois países. A fronteira entre ambos é palco frequente de ataques que deixam soldados …

Governo quer rever norma da dádiva de sangue que exclui homossexuais

O Governo determinou, esta segunda-feira, a constituição de um grupo de trabalho para rever a norma que exclui dadores "por comportamento sexual". De acordo com o SAPO24, o Ministério da Saúde determinou a constituição de um …

Governador de Nova Iorque volta a ser acusado de assédio sexual

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, foi acusado por outra ex-assessora de assédio sexual, que foi sua assistente executiva e conselheira de políticas de saúde até novembro do ano passado. Segundo noticiou no sábado o New …

Francisco Assis alerta Governo para riscos das raspadinhas

O presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, vai promover um estudo sobre o impacto social do vício da raspadinha e informar o Governo, na esperança de que este repondere o lançamento da …

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …