Diretores criticam “medida avulsa” de militares nas escolas

Thaddeus Stewart / Flickr

-

Os diretores escolares criticaram a “medida avulsa” do Governo em colocar militares das Forças Armadas a vigiar os recreios, lembrando que as escolas precisam é de assistentes operacionais com formação para lidar com os alunos.

O Conselho de Ministros aprovou, na passada quinta-feira, alterações a um diploma que permitem agora o recrutamento de elementos das Forças Armadas na reserva para fazer vigilância dentro das escolas.

Para a Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), esta é “uma medida avulsa, que não resolve o problema das escolas”.

Filinto Lima, vice-presidente da ANDAEP, diz que “o ambiente nos recreios das escolas é muito diferente dos ambientes a que os militares estão habituados além de que serão selecionados militares na reserva, ou seja, pessoas mais velhas que, naturalmente, terão menos apetência para lidar com os adolescentes“.

Além disso, lembra, a presença de militares nas escolas não responde aos pedidos feitos nos últimos anos pelos diretores, que gostariam que fosse aberto um concurso para contratar novos assistentes operacionais (os antigos contínuos).

“Esta é uma medida avulsa que nasceu do nada, porque os diretores nunca pediram nada disto. O que nós temos pedido são assistentes operacionais, que faltam nas escolas tanto em termos quantitativos como qualificativos”, critica.

Muitos dos funcionários que atualmente executam tarefas de vigilância, trabalham nos pavilhões, balneários, bibliotecas ou cantinas, são recrutados pelos centros de emprego.

“São pessoas que estão desempregadas e que, em muitos casos, nunca trabalharam numa escola. Há casos em que podem nem ter sensibilidade para estar numa escola. São provenientes de áreas muito distintas, podem vir da restauração ou serem cabeleireiras”, explica.

Quando o ano letivo termina, os contratos também terminam e não podem ser renovados, mesmo quando os diretores escolares gostam do seu trabalho.

Para os cofres do Estado, esta é uma opção mais barata, uma vez que além do subsídio de desemprego que já estavam a receber, ganham apenas mais uma bolsa e os subsídios de refeição e transporte que, segundo contas de Filinto Lima, rondam os 170 euros mensais.

No entanto, Filinto Lima lembra que “a segurança dos alunos passa também por ter funcionários em número suficiente e com formação adequada” e por isso acusa o Ministério das Finanças de “não ligar muito às escolas e achar que os funcionários não são importantes”.

/Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

    • E suposto terem-na vinculado ao acordo ortográfico!
      Sem acordo, Filinto Lima do alto do varandim do seu posto -ANDAEP- acabou de passar o maior atestado de menoridade que seria possível passar a pessoas da condição adulta! Não diferencia as calças do dito… (Acautelar comportamentos no recreio).
      É gente desta que não consegue discernir sobre uma medida que tende a resolver UM DOS problemas das escolas, o confunde como que ao serviço de um trombone: “uma medida avulsa, que não resolve o problema das escolas” a não ser com os pedidos “assistentes operacionais, que faltam nas escolas…” Sociólogos? Psicólogos?
      Vindo de um professor, é de fazer gelar o inferno e leciona a filhos de Portugal.

  1. Eles não querem militares para que não se saiba nem se veja a bandalheira que existe nas escolas …
    Agora subsiste um problema a que o director e o ministro não respondem: se um fedelho com 12 ou 15 anos faltar ao respeito seja ao militar seja ao contínuo ( vulgo assistente operacional ) o que é que é permitido fazer ? Um chapadão bem dado, resolve o problema e poupa papel …

RESPONDER

Investigadores desenvolvem tecnologia que permite datar as impressões digitais

Encontrar as impressões digitais numa cena de crime nem sempre é suficiente para haver condenação, podendo os suspeitos alegar que as mesmas foram deixadas antes de o crime ocorrer. Essa realidade pode estar prestes a …

Coronavírus abala mercados mundiais. Petróleo derrapa mais de 3%

A preocupação com as consequências económicas da propagação do coronavírus na China está a ter um efeito devastador nos mercados. A derrapagem nos mercados acontece numa altura em que o número de mortos pelo surto de …

Prémio Tyler 2020: Defensores de políticas verdes ganham "Nobel do Meio Ambiente"

O Prémio Tyler 2020, também conhecido como o "Nobel do Meio Ambiente", foi atribuído à bióloga Gretchen Daily e ao economista ambiental Pavan Sukhdev, foi hoje anunciado. A bióloga especialista em conservação e o economista são …

Subsídios estão a ser pagos e aumento de 15% no ordenado "não é realista", diz a Ryanair

A Ryanair está a pagar os subsídios de férias e Natal, afirmou hoje um responsável da companhia, salientando que o sindicato dos tripulantes de cabine tenta “forçar” aumentos salariais de 15%, o que “não é …

Tia de Kim Jong-un faz a primeira aparição pública em mais de seis anos

Kim Kyong-hui, tia paterna do líder norte-coreano Kim Jong-un, reapareceu em público este sábado pela primeira vez em mais de seis anos, escreve a BBC. A emissora britânica, que avança a notícia citando a Agência Central …

Coronavírus. Madeira está a preparar-se para eventual surto

Região da Madeira “já está a delinear” quartos com pressão negativa e áreas isoladas, além de “fármacos, oxigénio, fatos protetores, máscaras e capacidade laboratorial”. O presidente do Instituto de Saúde (Iasaúde) da Madeira anunciou esta segunda-feira …

Luanda Leaks. Isabel dos Santos vai processar o consórcio de jornalistas

Depois de Rui Pinto ter assumido a autoria da divulgação dos documentos do caso Luanda Leaks, Isabel dos Santos avança que vai processar o consórcio de jornalistas. A empresária angolana Isabel dos Santos vai processar o …

Portugal vende cinco F-16 à Roménia por 130 milhões de euros

O ministério da Defesa Nacional oficializou hoje, na Base Aérea de Monte Real, no distrito de Leiria, a venda de cinco aviões militares F-16 à Roménia, num negócio de 130 milhões de euros. "Com este processo …

Pedro Proença e a violência no futebol: "É chegada a altura de o Governo assumir responsabilidades"

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol (LPFP), Pedro Proença, disse esta segunda-feira, depois de uma reunião no Ministério da Administração Interna (MAI), que o governo deve assumir responsabilidades sobre os recentes casos de violência …

Reconhecimento facial vai ser testado no acesso a serviços públicos online

O Governo quer criar um sistema de reconhecimento facial para usar a chave móvel digital, ferramenta que já permite aceder a vários serviços online do Estado. O Governo está a planear criar um sistema de reconhecimento …