Trump confirma: Diretor da CIA reuniu-se com Kim Jong-un

(dr) Boris Baldinger / Fórum Económico Mundial

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Davos

O Presidente dos Estados Unidos confirmou, esta quarta-feira, que o diretor da CIA fez uma visita secreta à Coreia do Norte na semana passada para se reunir com Kim Jong-un.

Através da sua conta no Twitter, Donald Trump confirmou que, na semana passada, o diretor da CIA esteve na Coreia do Norte para reunir com Kim Jong-un.

Mike Pompeo encontrou-se com Kim Jong-un na Coreia do Norte na semana passada. O encontro correu muito bem e formou-se uma boa relação”, escreveu o Presidente norte-americano na rede social.

“Os detalhes da cimeira estão agora a ser tratados. A desnuclearização vai ser uma coisa muito boa para o Mundo, mas também para a Coreia do Norte!”, realçou ainda.

Esta confirmação vem ao encontro daquilo que tinha sido transmitido pela porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, que disse terem decorrido contactos “ao mais alto nível” com o líder norte-coreano, mas sem a intervenção direta do Presidente.

Antes, o Washington Post já tinha avançado que o diretor dos serviços secretos e futuro secretário de Estado norte-americano realizou uma visita secreta a Pyongyang, no fim-de-semana de Páscoa.

A partir da sua luxuosa propriedade de Mar-a-Lago, na Florida, onde recebeu o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, Trump mostrou-se otimista em relação aos preparativos para a cimeira histórica com Kim Jong-un, “provavelmente no início de junho”.

“Chegou a hora de falar, de resolver os problemas”, sublinhou. “Há uma verdadeira possibilidade de resolver um problema mundial. Este não é um problema dos EUA, do Japão ou de outro país, é um problema do mundo”, reiterou.

Questionado sobre a possibilidade do encontro se realizar nos EUA, Trump respondeu que “não”, sem dar mais pormenores.

A 27 de abril realiza-se ainda a cimeira entre Kim Jong-un e Moon Jae-in, Presidente da Coreia do Sul. O encontro vai ser o terceiro entre a liderança dos dois países vizinhos, e vai decorrer na parte sul-coreana da zona desmilitarizada, em Panmunjom.

Nesta aldeia fronteiriça, situada na zona desmilitarizada que divide a península coreana, foi assinado o armistício da Guerra da Coreia (1950-53). Seul e Pyongyang continuam, tecnicamente, em guerra, uma vez que o armistício nunca foi substituído por um tratado de paz.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.