Dinamarca e Canadá estão em “guerra“ há décadas, mas a sua arma são as bebidas

Pode não parecer, mas a Dinamarca e o Canadá – dois dos países mais desenvolvidos do mundo – estão em guerra há décadas. O motivo prende-se com o desejo de posse de uma pequena ilha completamente desabitada. Contudo, nesta guerra as armas são bastante diferentes.

A pequena ilha que dinamarqueses e canadianos têm disputado chama-se Ilha Hans e conta com apenas 1,3 quilómetros quadrados de área.

O pedaço de terra deserto está localizado no Ártico, mais especificamente, no Estreito de Nares – que separa a ilha de Ellesmere, que pertence ao Canadá, do norte da Gronelândia.



Porém, essas águas fazem parte do território marítimo da Dinamarca e do Canadá e a ilha fica precisamente nesse local, por isso não tem uma soberania concreta.

No meio da disputa, o mais caricato é a forma como os dois países disputam o território, sobretudo no que diz respeito às ”armas” que são usadas.

De forma periódica, os soldados canadianos vão até a ilha, encontram uma bandeira hasteada pelos dinamarqueses e várias garrafas de schnapps – uma bebida destilada produzida na Europa.

Quando chegam, arrancam a bandeira dinamarquesa, hasteiam a do seu país no mesmo lugar, levam as garrafas de schnapps consigo e deixam garrafas de uísque no mesmo sítio.

Passado algum tempo, os dinamarqueses voltam a Hans e fazem a mesma coisa, ou seja, trocam a bandeira canadiana pela do seu país, levam as garrafas o uísque e deixam mais schnapps para os “inimigos”, reiniciando assim o ciclo.

Os militares também deixam bilhetes uns para os outros, onde se podem ler mensagens como: “Bem-Vindo à Ilha do Canadá” ou “Bem-Vindo à Ilha da Dinamarca”. Esta situação acontece desde o início dos anos 80.

Devido às armas usadas pelos dois países, o conflito é conhecido como “Guerra do Uísque” e, ao que tudo indica, a situação não tem data para terminar, diz o site UOL.

A importância da ilha

De acordo com as leis internacionais, todos os países têm direito de declarar soberania de qualquer território que se encontre até 20 quilómetros da sua costa, e a Ilha de Hans situa-se numa posição que a deixa dentro dos limites do Canadá e da Dinamarca.

Na verdade, a disputa pela ilha já se arrasta há mais de 200 anos e, em 1933, o Tribunal Permanente de Justiça Internacional decidiu que Hans pertencia aos dinamarqueses.

No entanto, o tribunal foi dissolvido nos anos 40 e a decisão acabou por ser invalidada.

Mais tarde, surgiu a Segunda Guerra Mundial e, depois, a Guerra Fria, e quando o mundo se tornou num lugar mais pacífico, os canadianos voltaram a lembrar-se da ilha e resolveram recomeçar uma nova “guerra“.

Em Hans, não existem recursos naturais, nem reservas de petróleo ou gás natural, por isso o interesse dos dois países pode parecer surpreendente.

Contudo, questões relacionadas com o aquecimento global e o derretimento acelerado do gelo no Ártico criaram novas motivações. A possível abertura de novas rotas marítimas na região é uma hipótese em situações de bloqueio de gelo, por isso quem detiver o direito de passagem poderá ganhar bastante com o tráfego de embarcações e mercadorias.

ZAP ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Bom, supostamente é dinamarquesa pois foi o país ao qual foi reconhecida internacionalmente a soberania, apesar de tal ter sido depois anulado. Os Canadianos, os muito mais tarde se relembraram dela. Mas sendo dois países ocidentais e civilizados, podem muito bem negociar e chegar a um consenso: como repartir o território ao meio e realizar ali a fronteira terrestre, onde de um lado seria reconhecidamente canadiano e do outro dinamarquês, já que, no mar, sucede o mesmo. Poderiam depois fazer uma festa e um churrasco para trocar beber à vontade as especialidades de cada um, celebrando assim a partilha da ilha.

RESPONDER

Reino Unido quer reconhecer animais como seres com sentimentos

O Governo britânico anunciou um amplo plano de defesa dos animais que inclui medidas como o reconhecimento dos animais como seres com sentimentos, a proibição da exportação de animais vivos e da importação de troféus …

PAN rejeita "via verde" para o Governo (e admite travar próximo Orçamento "se necessário")

O PAN não pretende oferecer “uma via verde para o Governo fazer o que bem entender” e admite mesmo travar o Orçamento de Estado "se for necessário". As palavras são da presidente do Grupo Parlamentar do …

Bloco quer administração da RTP nomeada pela Assembleia da República

O Bloco de Esquerda fez várias propostas à revisão do contrato de concessão do serviço público de rádio e televisão. Do lado dos trabalhadores da RTP, a proposta foi arrasada. O Governo colocou em consulta pública, …

Decisão da insolvência da Groundforce pode demorar dois meses. Salários de maio em risco

Os salários de maio de 2400 trabalhadores da Groundforce devem ser pagos dentro de duas semanas, mas é grande a probabilidade de que isso não aconteça, à semelhança do que ocorreu em fevereiro, elevando as …

Pedro Nuno Santos garante que investimento público em redes de nova geração vai avançar

Pedro Nuno Santos garantiu, na quinta-feira, que o “investimento público” em redes de comunicações eletrónicas “vai avançar”, de forma a levar conectividade às regiões do país onde as redes das operadoras privadas não chegam. O ministro …

PPP hospitalares geraram poupanças para o Estado

O Tribunal de Contas publicou um relatório em que sustenta não ter dúvidas sobre as vantagens que as parcerias público-privadas (PPP) na saúde trouxeram ao Estado, ao longo da última década. Os hospitais em parceria público-privada …

Banco de Fomento está a integrar trabalhadores do antigo BPN

O Banco Português de Fomento está a recrutar colaboradores do antigo BPN para desempenhar funções técnicas, numa altura em que a Parvalorem, onde estão integrados, solicitou ao Executivo o estatuto de empresa em reestruturação. Segundo apurou …

PAN começa a ser julgado por falsos recibos verdes

O PAN vai começar a ser julgado este mês devido ao caso dos falsos recibos verdes. O partido enfrenta três processos judiciais, sendo que o arranque do julgamento do primeiro está marcado para 17 de …

Radovan Karadzic vai ser transferido para o Reino Unido

Radovan Karadzic, antigo líder dos sérvios da Bósnia condenado por genocídio no massacre de mais oito mil muçulmanos bósnios em Srebrenica, em 1995, vai ser transferido para o Reino Unido, onde vai continuar a cumprir …

Adjunta de Matos Fernandes era sócia de empresa que fez negócios com o ministério

Entre 2016 e 2019, a secretária de Estado do Ambiente, Inês Santos Costa, acumulou funções quando integrou o gabinete de João Pedro Matos Fernandes, na qualidade de adjunta, sendo, na altura, sócia de uma empresa, …