Diabetes tipo 2 pode ser reversível, mesmo para diabéticos de longa data

Um novo estudo da Universidade de Newcastle mostrou que as pessoas podem reverter a diabetes tipo 2 perdendo peso e, em seguida, mantendo-o. 

Emagrecer pode reverter a condição porque a gordura é removida do pâncreas, voltando a produção de insulina ao normal, um efeito que funcionou mesmo em pacientes que possuíam a doença há até 10 anos.

Um estudo anterior conduzido por Roy Taylor, da Universidade de Newcastle, já tinha indicado que a diabetes podia ser revertida por uma dieta de baixas calorias. O estudo, publicado em 2011, mostrou que pessoas que perdem um grama de gordura no pâncreas ficaram curadas da diabetes tipo 2.

No entanto, a pesquisa foi de curta duração – apenas oito semanas.

Neste novo estudo, cujos resultados foram publicados na Diabetes Care, 30 voluntários com diabetes tipo 2 embarcaram na mesma dieta de 600 a 700 calorias por dia e perderam em média 14 quilos, e ao longo dos seis meses seguintes mantiveram o peso.

O grupo incluiu pessoas com diabetes há muito tempo – mais de oito anos, e até 23 anos.

No geral, 12 pacientes que tiveram diabetes há menos de 10 anos reverteram sua condição. Seis meses mais tarde, permaneceram sem diabetes. Outro paciente juntou-se a essa lista após seis meses.

A dieta incluía três batidos por dia e 240 gramas de vegetais sem amido, somando entre 600 e 700 quilocalorias por dia durante oito semanas.

Em seguida, os voluntários voltaram gradualmente a comer alimentos normais durante as duas semanas seguintes, com instruções cuidadosas sobre o quanto comer.

Para manter o peso estável após a perda dos quilos, os participantes receberam um programa de manutenção de peso personalizado para os seis meses seguintes e passaram a comer cerca de um terço menos do que faziam antes do estudo, sendo analisados pelos investigadores uma vez por mês.

Limiar pessoal

Embora os participantes tenham perdido peso, alguns ainda permaneceram com excesso de peso ou mesmo obesos. No entanto, emagreceram o suficiente para remover a gordura do pâncreas e permitir a produção normal de insulina.

“O que constatamos é que é possível inverter a diabetes, mesmo se já tiver a condição há um longo tempo, até cerca de 10 anos. Curiosamente, apesar de todos os nossos voluntários permanecerem obesos ou com excesso de peso, a gordura não voltou a entupir o pâncreas. Isto suporta nossa teoria de um limiar de gordura pessoal. Se uma pessoa ganha mais peso do que pode tolerar, então a diabetes é acionada. Mas se em seguida perde essa quantidade de peso, volta ao normal”, disse Taylor.

Este limiar varia por indivíduo, lembrando que o metabolismo de cada pessoa é diferente e que 70% das pessoas severamente obesas não têm diabetes.

Um estudo maior já está em andamento, envolvendo 280 pacientes, para examinar se as pessoas podem reverter a diabetes através da perda de peso simplesmente sob os cuidados dos seus médicos de família.

HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …