Estamos mais propensos a devolver uma carteira perdida se ela estiver cheia de dinheiro

Os humanos podem ser mais bondosos do que aquilo que pensa. Quando encontramos uma carteira perdida, mais rapidamente a devolvemos ao dono se estiver cheia de dinheiro.

Pode parecer um paradoxo, mas a verdade é que somos mais propensos a devolver uma carteira que encontramos se esta estiver cheia de dinheiro. Segundo os cientistas, esta boa ação deve-se em parte ao altruísmo, mas também porque quem encontra a carteira não quer ser considerado um ladrão.

Apesar de não ter sido roubada na realidade, a nosso consciente parece ter um efeito crucial na decisão de devolver a carteira. O estudo que comprova este pressuposto foi publicado esta quinta-feira na revista BME Frontiers.

Os cientistas elaboraram uma experiência envolvendo 17 mil pessoas de 40 país diferentes, incluindo Portugal. “Os resultados mostram como a honestidade cívica é predominante, e levantam muitas questões, como por exemplo a forma como os ambientes podem ser criados para promover a honestidade cívica”, pode ler-se na investigação.

Nesta experiência, os cientistas espalharam as carteiras — algumas delas vazias, outras com pouco dinheiro dentro, mas todas elas contendo um cartão de negócios com as informações e o contacto do suposto dono da carteira. Os investigadores observaram que as carteiras que continham dinheiro eram devolvidas 51% das vezes, enquanto as carteiras sem dinheiro eram devolvidas 40% das vezes.

A probabilidade de serem devolvidas aumentava conforme a quantidade de dinheiro que estava dentro da carteira. Numa outra experiência, segundo o New Scientist, colocaram outro tipo de carteiras “perdidas”, com quase cem dólares cada uma.

Nestas circunstâncias, 46% das carteiras sem dinheiro foram devolvidas; 61% das carteiras com cerca de 15 dólares foram devolvidas e 72% das carteiras “recheadas” de dinheiro foram entregues ao dono.

Em Portugal, foram devolvidas 40% das carteiras sem dinheiro e 45% das carteiras com dinheiro, ficando no 25º lugar dos países que mais devolviam a carteira com dinheiro.

“As pessoas preocupam-se com o dono da carteira”, disse Michel Maréchal, responsável pela investigação. Os cientistas repararam também que o facto de ter uma chave dentro da carteira aumentava a probabilidade de elas serem devolvidas.

Os resultados também variavam de país para país. Os investigadores detetaram um padrão, no qual em nações com climas mais frios, as pessoas eram mais propensas a devolver as carteiras.

No entanto, Maréchal alerta que é preferível ter menos dinheiro na carteira, uma vez que ter muito dinheiro não garante que quem encontrar a carteira, a vai devolver.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Médicos alertam: técnica de tapar a boca com fita-cola para dormir melhor é perigosa

Chama-se "buteyko" e consiste em encontrar formas de respirar melhor pelo nariz, entre as quais fechar a boca enquanto dormimos. A tendência está a gerar um debate entre os médicos, que consideram esta técnica perigosa. Foi …

Incentivos financeiros ajudam pessoas a deixar de fumar

Fumar mata um em cada dois fumadores ávidos, mas desistir leva a grandes melhorias na saúde, aumento da esperança de vida e poupança de custos com cuidados de saúde. Pagar às pessoas para pararem de …

Há uma coisa simples que podemos fazer para combater as alterações climáticas: falar sobre o problema

A preocupação com as alterações climáticas pode ser muitas vezes um fardo solitário, mas a verdade é que não precisa de ser assim. De acordo com um novo estudo, simplesmente falar sobre o assunto com …

Em busca das duas princesas alemãs. Vaticano analisa ossários após encontrar túmulos vazios

Os trabalhos começaram esta manhã no cemitério que fica dentro das muralhas do Vaticano e foram analisados os restos dos dois ossários, explicou o porta-voz interino da Santa Sé, Alessando Gisotti. Os ossários estavam perto dos …

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória de Guimarães

Miguel Pinto Lisboa foi eleito, este sábado, o novo presidente do Vitória de Guimarães, avança a imprensa portuguesa. Os números ainda não são oficiais, mas as primeiras projeções indicam que o candidato de 47 anos da …

Incêndios em Castelo Branco e Santarém. Há quatro bombeiros feridos, um em estado grave

Dois incêndios em Castelo Branco estão a mobilizar mais de 500 operacionais e 15 meios aéreos. Há estradas cortadas e aldeias evacuadas. Dois incêndios em povoamento florestal, todos no distrito de Castelo Branco, um no município …

"É contra a vontade de Deus". Família que se recusou a pagar impostos é condenada na Austrália

Uma família cristã australiana recusou-se a pagar impostos, alegando que é "contra a vontade de Deus". Em tribunal, o juiz obrigou a pagar 1,3 milhões de euros. Em 2017, na Tasmânia, uma família cristã não pagou …

David guardou uma pedra durante anos pensando que era ouro. Afinal, era bem mais raro que isso

Em 2015, David Hole estava a explorar Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Com um detetor de metais, descobriu algo fora do comum: uma rocha avermelhada muito pesada que repousava em argila amarela. Maryborough …

Quadro roubado por soldado nazi é devolvido a museu de Florença

O quadro de natureza-morta tinha sido roubado do museu por um soldado nazi como um presente para a sua esposa. Agora, o quadro foi devolvido ao museu pelos alemães. Um soldado nazi em retirada de Itália …

Um segundo. Foi o tempo que a Inteligência Artificial precisou para resolver um cubo mágico

Investigadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveram o DeepCubeA, um algoritmo capaz de resolver o desafio do Cubo de Rubik em pouco mais do que um segundo.  De acordo com a equipa de investigadores …