Detidas mais 5 pessoas após ataque junto à antiga redação do Charlie Hebdo

Etienne Laurent / EPA

As autoridades antiterroristas de França detiveram mais cinco pessoas, com idades compreendidas entre os 24 e os 37 anos, na sequência da investigação ao ataque junto às antigas instalações do jornal satírico Charlie Hebdo.

Os cinco suspeitos, segundo fonte judicial citada pela agência France-Presse, foram detidos nos subúrbios de Paris, capital de França, por elementos da polícia de investigação a atividades terroristas, durante uma busca a uma das alegadas casas do principal suspeito do ataque, que já tinha sido detido.

Ao todo são agora sete os suspeitos de orquestrar o ataque, em que ficaram gravemente feridos dois jornalistas da produtora de documentários PLTV, perpetrado na rua Nicolas Appert, junto ao edifício que albergou a redação do Charlie Hebdo.

O suposto autor do ataque foi detido pouco tempo depois, na Praça da Bastilha, e, cerca de uma hora depois, um segundo suspeito foi detido no metro.

Os dois jornalistas feridos não correm perigo de vida, segundo o primeiro-ministro, Jean Castex, que se deslocou ao local.

A imprensa francesa noticiou que o principal suspeito é de origem paquistanesa e tem 18 anos, sendo conhecido das autoridades por pequenos delitos e posse ilegal de arma, e o segundo suspeito é de origem argelina e tem 33 anos.

A Procuradoria antiterrorismo de França assumiu a investigação ao ataque, abrindo um inquérito por “tentativa de homicídio relacionado com ato terrorista e organização terrorista criminosa”.

A decisão, explicou o procurador, baseou-se em três fatores: a localização do ataque, junto à antiga redação do jornal satírico, o momento, visto estar a decorrer em Paris o julgamento de cúmplices do ataque ao Charlie Hebdo, e a “vontade manifesta do autor de atentar contra a vida de duas pessoas”.

O ministro do Interior, Gérald Darmanin, afirmou que o ataque foi um “ato terrorista islâmico” contra França e contra os jornalistas.

O governante precisou que o atacante chegou a França há três anos, com estatuto de menor não acompanhado, mas não estaria identificado como um jovem radicalizado.

Em breves declarações à imprensa quando visitou o local, o primeiro-ministro francês afirmou a “firme determinação” do Governo de “lutar por todos os meios contra o terrorismo e “o seu compromisso inabalável” com a liberdade de imprensa.

Em janeiro de 2015, a antiga redação do Charlie Hebdo foi palco de um ataque jihadista que fez 12 mortos e cinco feridos graves. O jornal satírico mudou as suas instalações depois do ataque.

O julgamento dos presumíveis cúmplices desse e de outros ataques jihadistas em Paris está a decorrer, desde o início de setembro, na capital francesa, já que os irmãos Kouachi – que conseguiram entrar na redação – foram abatidos pela polícia alguns dias após o crime.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Microsoft vai contratar 300 pessoas, formar funcionários públicos e investir em startups em Portugal

A Microsoft Portugal e o Governo assinaram esta sexta-feira um memorando de entendimento, numa parceria que prevê reforçar a cooperação entre a empresa e o país. O protocolo assinado, descreve o Jornal Económico, estipula que a …

Jerónimo critica "ofensiva anticomunista" e justifica abstenção no Orçamento

O secretário-geral do PCP afirmou, esta sexta-feira, no discurso de abertura do XXI congresso nacional, que a abstenção na votação final global do OE2021 resultou da "persistência" do partido para garantir "importantes soluções". Jerónimo de Sousa …

Câmara de Lisboa pode encaixar 10 milhões com penalizações no IMI de imóveis devolutos

Desde este ano que a Câmara de Lisboa (CML) penaliza mais os proprietários de imóveis devolutos em zonas de pressão urbanística, tendo agravado o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). Em 2021, quer tornar toda a …

Estado não usou pandemia para negociar custos da Web Summit (e podia fazê-lo)

O Estado português não utilizou a pandemia de covid-19 que assola todo o mundo para tentar reduzir os custos de realização da cimeira tecnológica Web Summit de 2020, apesar de o contrato firmado permitir fazê-lo. …

Apoios a fundo perdido. Excesso de procura bloqueia sistema

A corrida aos apoios a fundo perdido no site do Balcão 2020, destinados a ajudar os setores da restauração, comércio e cultura, gerou um bloqueio na plataforma. A maioria dos empresários viram-se impossibilitados de entregar …

Alojamento local com quebras superiores a 75% no 2.º trimestre

Cerca de 80% dos titulares e gestores de alojamento local (AL) registaram uma queda de faturação superior a 75% durante o segundo trimestre de 2020, face ao mesmo período do ano anterior, revelou esta sexta-feira …

Norte "abranda" mas especialistas estimam 1.400 internamentos na próxima semana

A situação epidemiológica na região Norte está a começar a “abrandar”, embora na próxima semana a região possa continuar a contabilizar 1.400 internamentos, 300 internamentos em unidades de cuidados intensivos e 40 óbitos diários. Em declarações …

Plano de reestruturação da TAP prevê saída de 2.000 pessoas e corte de 20% nos salários

O plano de reestruturação da TAP prevê um corte na massa salarial de 20% a 30% e um corte mínimo de 20% na remuneração dos trabalhadores que ficam, avança o jornal ECO. O jornal económico adianta …

No meio das críticas, começou hoje o Congresso do PCP. O que esperar da reunião dos comunistas?

O congresso do PCP é tudo menos consensual, pois acontece em pleno estado de emergência, mas nunca esteve em cima da mesa que este não se realizasse, já que os direitos políticos não estão suspensos …

Esquiar ou não esquiar? O turismo de inverno está a dividir a Europa (e Bruxelas "lava as mãos")

Cerca de oito meses após um surto numa estância de esqui na Áustria ter infetado milhares de pessoas e contribuido para a propagação do vírus pela Europa, os países parecem não se entender sobre o …