“Desumano”: Sp. Covilhã empatou com o líder (e só tinha dois suplentes)

Surto de covid-19 e algumas saídas no mercado de inverno limitaram as opções de Capucho, que no entanto saiu de Estoril com um ponto. Guarda-redes deixou palavras fortes após o jogo.

O Estoril desperdiçou a oportunidade de se distanciar da Académica, embora continue como líder destacado da II Liga. O empate (0-0) com o Sporting da Covilhã nesta segunda-feira, em jogo da 16.ª jornada do campeonato, colocou novamente o Estoril com cinco pontos de vantagem sobre a Académica, segunda classificada, e agora com mais sete pontos do que o Feirense, que ocupa o terceiro lugar.

No entanto, o destaque deste duelo começou horas antes do início do mesmo – e vai para o Sporting da Covilhã. Os visitantes apareceram no relvado do Estádio António Coimbra da Mota com apenas 13 futebolistas. Ou seja, dois suplentes (e um deles era o guarda-redes Igor Araújo). Assim, o avançado Rui Areias foi o único jogador de campo presente no banco de suplentes do Sp. Covilhã; e entrou, durante a segunda parte.

Praticamente metade do plantel do Sporting da Covilhã não estava pronto para jogar, nesta segunda-feira. Ao todo eram 12 jogadores indisponíveis, entre diversos casos de coronavírus, dois futebolistas lesionados e as saídas de Ídris, Edwin Vente e Amessan, nas últimas três semanas.

O treinador Nuno Capucho, que saiu do estádio “satisfeito” com o ponto conquistado, contou à Sport TV que o clube tentou “tudo” para que o jogo não se realizasse: “Queria que o futebol português começasse a pensar se é este o fair-play que quer, se é este o futebol que querem. Queria ter chegado aqui para disputar o resultado com o líder da II Liga mas, assim, fica muito difícil. Fizemos os testes ontem, as coisas aconteceram e não temos culpa. Tentámos adiar, tentámos tudo”.

As críticas sucederam-se e o guarda-redes Léo Navacchio nem quis falar muito sobre a partida: “Isto foi desumano, viemos aqui com 13 heróis. Peço um pouco mais de empatia com as pessoas. As pessoas que mandam sabem o que estou a dizer”.

Curiosamente, esta foi a segunda situação invulgar desta época verificada no estádio do Estoril. Em outubro, o Cova da Piedade não tinha jogadores suficientes para entrar em campo: 15 dos seus futebolistas apresentaram teste positivo à covid-19.

O jogo não se realizou; a primeira decisão foi dar a vitória ao Estoril mas, mais tarde, a sentença foi revertida e as duas equipas jogaram, com vitória caseira por 5-1.

O Sp. Covilhã registou o terceiro empate consecutivo na II Liga e não vence há mais de dois meses. Tem 17 pontos, dividindo o 11.º lugar com Oliveirense e Leixões.

Esta igualdade travou uma série de quatro vitórias consecutivas do Estoril, três delas no campeonato.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.