Desvendado mais um mistério da mítica Ilha de Páscoa

A mítica Ilha de Páscoa tem fascinado e intrigado cientistas ao longo dos anos, tendo surgido várias questões que vão desde de os famosos moais de pedra até à misteriosa extinção da civilização antiga. Uma equipa de arqueólogos acaba agora de desvendar um destes mistérios – o da extração de água doce.

De acordo com um novo estudo, publicado recentemente na revista Hydrogeology Journal, os antigos habitantes de Rapa Nui mantiveram uma sociedade composta por milhares de pessoas recorrendo às descargas de água costeira como principal fonte de água doce.

Tendo em conta que a região onde os Rapa Nui habitavam era uma ilha, a questão da extração e obtenção de água doce permanecia ainda por explicar. Além do território ser rodeado de água, os solos da região eram vulcânicos e porosos, absorvendo rapidamente as águas das chuvas, uma vez que praticamente não havia rios na ilha.

Ou seja, os pequenos lagos vulcânicos não eram suficientes fontes de água doce para um população tão numerosa.

De forma a responder a esta questão, uma equipa de arqueólogos da Universidade de Binghamton, na cidade norte-americana de Nova Iorque, levou a cabo uma investigação, na qual mediu a salinidade da água costeira à volta da Ilha de Páscoa, testando a hipótese de a água ter sido extraída do oceano.

Após as medições, os cientistas consideraram que a água oceânica era potável para consumo, podendo o oceano  ter sido um fonte de água doce para a civilização.

“Felizmente, a água subterrânea flui para baixo e finalmente deixa o solo no ponto exato onde a rocha subterrânea porosa se encontra com o oceano. Quando as marés estão baixas, a água doce corre diretamente para o mar. Os habitantes podem, desta forma, ter aproveitado estas fontes de água doce para recolher água nestes pontos”, explicou o coautor do estudo, Carl Lipo.

Tal como explicou Lipo, a água doce misturava-se um pouco com a salgada, criando a chamada água salobra – uma água que contêm sal, mas não em níveis prejudiciais para o ser humano.

Contudo, esclarece o investigador, os habitantes de Rapa Nui raramente utilizavam sal na preparação da sua comida, uma vez que a água que consumiam contribuía drasticamente para a ingestão diária de sal.

A mítica Ilha de Páscoa

Localizada no Chile, a Ilha de Páscoa é um dos locais mais misteriosos do nosso planeta. Há dois mil anos, foi lar de uma civilização polinésia que deixou na ilha um grande número de vestígios em forma de moais gigantes que, acreditam os cientistas, personalizam os antepassados dos antigos moradores da região.

A civilização praticamente desapareceu da ilha antes da chegada dos primeiros colonizadores. Desde então, o seu desaparecimento tem levando dúvidas mas, de acordo com as teorias mais aceites pela comunidade científica, a sua extinção pode estar relacionada com a falta de recursos ou então com guerras entre grupos.

Em agosto, o governo chileno anunciou que deverá rebatizar a Ilha de Páscoa, apelidando-a de Ilha Rapa Nui, que significa “Ilha Grande” e é o seu nome ancestral.

Ilha de Páscoa foi a denominação dada pelo explorador holandês Jakob Roggeveen (1659-1729) – oficialmente o primeiro europeu a pisar na ilha –, que, como chegou à região num domingo de Páscoa, resolveu dar-lhe esse nome.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Matteo Salvini considera que pode ser candidato à Comissão Europeia

Matteo Salvini, líder da extrema-direita italiana disse que deveria ser candidato à presidência da Comissão Europeia caso se verifique a vitória de "uma coligação soberanista" nas próximas eleições europeias. “É verdade. Amigos de diferentes países europeus …

Ryanair revela vídeo. Fotografia de tripulantes a dormir no chão foi encenada

Um vídeo divulgado pela Ryanair confirmou que a fotografia dos tripulantes portugueses a dormir no chão foi encenada. A imagem foi denunciada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC). De acordo com …

Jornalista saudita. Arábia transferiu 100 milhões para os Estados Unidos

A Arábia Saudita transferiu 100 milhões de dólares para os EUA nesta terça-feira, no mesmo dia em que o secretário de estado norte-americano Mike Pompeo chegou à capital Riade para discutir os contornos da morte …

Benfica contratou russos para investigar e-mails

O Benfica contratou uma empresa de cibersegurança e um escritório de advogados russos para identificar os responsáveis das empresas onde estão alojados os e-mails confidenciais divulgados pelos blogues anónimos. De acordo com a página de jornal …

Demissão de Rovisco Duarte terá sido imposta por novo ministro da Defesa

Rovisco Duarte apresentou a sua demissão ao ministro da Defesa, tendo sido João Gomes Cravinho quem o "empurrou" para a saída, avança o Observador. Esta quarta-feira de manhã, o Chefe de Estado Maior do Exército, Rovisco …

Centeno pode ter mais 150 milhões para aumentos na função pública

O ministro das Finanças já disse e repetiu que só tem 50 milhões de euros para aumentar os salários da função pública em 2019. No entanto, esta verba faz plano de um plano mais generoso, …

Governo muda as regras do jogo. Reforma antecipada só para quem aos 60 tem 40 anos de descontos

O Governo quer limitar, a partir de outubro do próximo ano, o acesso à reforma antecipada aos trabalhadores que começaram a descontar para a Segurança Social antes dos 20 anos. O Governo vai alterar o regime …

Vistos Gold representam um "sério risco de segurança" para a União Europeia

A comissária europeia da Justiça, Vera Jourova, criticou esta terça-feira os Estados-membros que têm a prática de atribuir 'vistos gold' a cidadãos extracomunitários ricos, instando-os a assegurar que a cidadania europeia não é concedida a …

Espanha em alerta vermelho por uma das piores tempestades da última década

Espanha está em alerta vermelho por causa da aproximação de duas tempestades, uma oriunda do Mediterrâneo e outra do Atlântico. O instituto de meteorologia espanhol prevê acumulação de chuva que pode ultrapassar os 100 litros …

Governo quer substituir manuais gratuitos depois de três utilizações

Os manuais escolares gratuitos, que no próximo ano serão distribuídos a um 1,2 milhões de alunos do 1.º ao 12.º ano, deverão ser utilizados três vezes e depois substituídos por novos, afirmou o secretário de …