Descoberta substância que combate a ressaca

2

Uma investigação feita por cientistas espanhóis encontrou uma substância que elimina os danos cerebrais e a ressaca depois de uma noite de bebedeira. Trata-se de um composto do chocolate negro que é também produzido de forma natural pelo intestino.

Essa substância milagrosa é a oleoiletanolamida (OEA) que, de acordo com o estudo liderado por Laura Orío, da Universidade Complutense de Madrid (UCM), protege contra os efeitos nocivos da ingestão excessiva de álcool, podendo assim funcionar como uma espécie de antídoto contra a ressaca.

A OEA tem vindo a ser estudada por vários cientistas, especialmente por promover a sensação de saciedade. As investigações têm-se centrado na procura de formas de controlar o apetite e de tratar algumas dependências, como o alcoolismo.

Laura Orío conseguiu descobrir que a OEA tem um efeito neuro-protector depois de experiências com ratos, relata o jornal El País.

A investigadora verificou que, pouco após a ingestão do equivalente a cinco bebidas alcoólicas consumidas em três horas, se iniciou um processo de inflamação nos cérebros dos ratos. Este processo causou-lhes danos nos neurónios, o que agravava a inflamação, além de ter provocado a sua morte.

Quando misturou o álcool com a OEA, a investigadora descobriu que a substância protege contra essa inflamação e contra os sintomas da ressaca, conforme refere o El País.

Os resultados foram comprovados em estudos preliminares em 50 estudantes da UCM.

Um dos investigadores que tem trabalhado com Laura Orío, Fernando Rodríguez de Fonseca, do Instituto de Investigação Biomédica de Málaga, destaca ao El País que “o que se passa no rato é o mesmo que se passa no humano”.

“A OEA é um factor natural do corpo para nos proteger” que possivelmente fica “desactivada” em quem consome álcool, nota Fernando Rodríguez de Fonseca, admitindo que se poderá “conseguir com isto uma pílula contra a ressaca“.

A descoberta das propriedades anti-inflamatórias e neuro-protectoras da OEA valeu a Laura Orío o Prémio Jovem Investigador da Sociedade Internacional de Investigação Sobre Drogas e pode vir a garantir a criação de um comprimido contra a ressaca.

ZAP

2 Comments

  1. Eu não tenho ressacas, mesmo depois de grandes bezanas, no dia seguinte tou desidratado, mas estou tranquilo da vida.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.