/

Descoberta na Patagónia uma enorme jazida de fósseis jurássicos

4

JASoliday / Flickr

A extraordinária descoberta da jazida de fósseis na Patagónia pode agora abrir portas a novas descobertas

A extraordinária descoberta da jazida de fósseis na Patagónia pode agora abrir portas a novas descobertas

Uma equipa de cientistas da Argentina anunciou no sábado a descoberta de uma jazida de fósseis do período jurássico, com 160 a 140 milhões de anos, que se estende por mais de 60 mil quilómetros quadrados na Patagónia.

Esta pode ser uma das mais importantes descobertas de sempre no campo da paleontologia.

Segundo a Agência CTyS, a enorme jazida encontrada na Patagónia inclui insectos dentro de rochas, plantas, vermes, fungos, e até bactérias, num estado de conservação surpreendentemente bom.

“Não há outro local no mundo do tempo do jurássico com esta quantidade de fósseis e com uma tal diversidade”, diz o paleontólogo Juan García Massini, líder da equipa científica responsável pela descoberta, citado pela Discovery News.

O local foi encontrado há quatro anos pela equipa de cientistas do CRILAR, Centro Regional de Investigação Científica e Transferência Tecnológica da Argentina, e a sua descoberta foi anunciada num artigo publicado na Ameghiniana, a revista da Associação Argentina de Paleontologia.

Segundo Juan García Massini, os fósseis estão à superfície porque “a erosão descobriu as rochas“, permitindo ver uma paisagem do período jurássico.

Agencia CTyS

O paleontólogo Juan García Massini, investigador do CRILAR-CONICET e autor principal do estudo.

O paleontólogo Juan García Massini, investigador do CRILAR e autor principal do estudo.

A fossilização ocorreu “de forma suave e quase imediata, em menos de um dia, em alguns casos”, pelo que é possível ver como era a vegetação ou os vermes, por exemplo, explica o cientista.

“Quase que se consegue visualizar como se moviam os fungos, as cianobactérias, os vermes, quando estavam vivos”, diz o cientista.

Segundo o paleontólogo Ignacio Escapa, investigador do Museu Paleontológico Egidio Feruglio e outro dos membros da equipa, “o local tem uma enorme diversidade de micro e macro-organismos“.

“Os fósseis encontrados estão tão bem preservados”, diz Escapa, “que esta extraordinária descoberta pode agora abrir portas a novas descobertas“.

ZAP

4 Comments

    • Caro Meme, obrigado pelo seu reparo.
      A Terra tem efectivamente um perímetro de 40.000 Km.
      Mas a região onde foram encontrados os fósseis, segundo a fonte que consultámos, tem efectivamente uma área de 60.000 Km2 – algo como 2/3 da área de Portugal.
      Coisa que nem parecerá estranho, se atentarmos a que a Patagónia tem uma área de 1.043.000 Km2, e a Argentina uma área de 2.780.000 Km2.

    • Está a confundir perímetro com área.
      Um quadrado com cerca de 245Km de lado tem uma área de 60000Km quadrados…que é o que diz a notícia.

  1. As pessoas que se querem fazer parecer muito inteligentes, deveriam ler MUITO, abrir os olhos MUITO e pensarem MUITO antes de dizerem bacoradas como é o caso de MEME.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.