/

Descoberta anciã que se pensa ter 120 anos de idade

Tetraktys / Wikimedia

A Velha e o Sapateiro, óleo do século XIX, autor desconhecido

A Velha e o Sapateiro, óleo do século XIX, autor desconhecido

O recenseamento da população angolana, realizado em maio, permitiu descobrir no norte do país uma anciã, alegadamente até agora desconhecida, com 120 anos de idade o que a tornaria a pessoa mais velha do mundo.

Em declarações à Rádio Nacional de Angola, o recenseador António António confirmou que fez a descoberta numa zona do Soyo, província do Zaire, durante o processo de contagem da população angolana.

“Graças ao Censo foi possível descobrirmos uma anciã com 120 anos de idade”, afirmou António António, recenseador do Bairro 1.º de Maio, no Soyo. A missão católica de Mpinda, onde a idosa terá sido baptizada, já foi chamada pelo Governo provincial para tentar validar a idade desta mulher.

O recenseamento geral da população de Angola, a primeira contagem desde 1970, cinco anos antes da independência do país, foi realizado entre 16 e 31 de maio, num processo que envolveu de mais cem mil pessoas no terreno.

Os mais velhos do Mundo e da História

Se se comprovar que tem 120 anos, a anciâ angolana será a pessoa viva mais velha do Mundo, destronando o japonês Misao Okawa, que tem 116 anos.

A anciã será também a 2ª pessoa mais velha da história cuja idade tenha sido comprovada, a seguir à francesa Jeanne Calment, que é a pessoa que viveu mais tempo de que há registo: 122 anos entre fevereiro de 1875 e agosto de 1997.

A velha angolana, com os seus 120 anos, ultrapassaria a segunda pessoa mais velha de sempre, a americana Sarah Knauss, que viveu entre 1880 e 1999 e morreu com 119 anos e 97 dias.

As 100 pessoas mais velhas da história viveram todas mais de 113 anos. Apenas 4 estão vivas, apenas 7 eram homens, 50 eram americanos, 20 japoneses e 2 eram portuguesas.

Maria de Jesus, nascida a 10 de setembro de 1893 e falecida a 2 de janeiro de 2009, foi a portuguesa mais velha da história. Viveu 115 anos e 124 dias.

Consta que Matusalém viveu ainda muito mais tempo, mas aparentemente os censos da altura apenas mantinham registos dos primogénitos recém-nascidos.

  AJB, ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.