Todos os europeus são descendentes de uma mesma pessoa (e é da realeza)

(dr)

Todos temos um pai e uma mãe biológicos que, por sua vez, tiveram os seus pais biológicos, por isso todos temos dois avôs e duas avós.

Se seguirmos a sequência – oito bisavós, dezasseis trisavós, etc – e se cada geração for separada da geração anterior em 30 anos, poderíamos ter alcançado cerca de 16 mil ascendentes no início do século XVII, cerca de 16 milhões no início do XIV e cerca de 16 mil milhões no início do XI, há cerca de mil anos.

Porém, isso é simplesmente impossível. De facto, o número real dos nossos ascendentes é muito menor do que o calculado ao realizar essas operações. A razão é clara: muitos dos nossos antepassados são de várias linhas genealógicas.

No início do século XIV, havia cerca de 450 milhões de pessoas no mundo, por isso podia haver cerca de 16 milhões de ancestrais de cada um de nós na época. Mas, há mil anos, havia apenas 400 milhões (cerca de 50 milhões na Europa). Portanto, é matematicamente impossível haver 16 mil milhões de ancestrais a viver naquela época.

Como gerações não tão distantes, alguns dos galhos da árvore genealógica convergem e, se voltarmos aos tempos antigos, não podemos sequer falar sobre galhos. As linhas genealógicas configuram um emaranhado ou até várias cruzes.

Por outro lado, muitas linhas não deixam filhos em cada geração. À medida que voltamos no tempo, a rede torna-se cada vez mais estreita. Estima-se que, no início do Neolítico, há cerca de 12 mil anos, menos de quatro milhões de pessoas viviam no mundo, cerca de 60 milhões na era homérica e mil milhões no início do século XIX.

Adam Rutherford conta, na sua “Breve história de todos os que viveram”, que todos as pessoas com ascendência europeia vêm de Carlos Magno. Todos pertencemos, portanto, a uma linhagem real. Aqueles que têm um ancestral europeu, não apenas descendem de Carlos Magno, mas também de todos os europeus do seu tempo – por volta do ano 800 – que deixaram descendência e chegaram ao século XXI. Estima-se que 20% não chegaram.

Não é necessário voltar tão longe no tempo para localizar o momento em que as nossas linhas genealógicas convergem. Todos os europeus partilham um ancestral comum que viveu há aproximadamente 600 anos.

Se os mesmos cálculos que nos permitiram obter esse número são feitos para toda a humanidade, estima-se que todos os seres humanos partilhem um ancestral comum que viveu há cerca de 3.400 anos. Não se sabe de nenhuma população que tenha permanecido completamente isolada nos últimos séculos.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

    • Pois talvez deva começar pela casa de venerque em França por um indivíduo que se chamava raymond de Falgar e este criou outras casas como a de Polastron de onde veio a família Renier

      Agora fica a pergunta este Falgar será que teve matrimónio a Sousa ou a casa Sousa veio deste Falgar?

      Não creio, a origem dos Sousa vem de Espanha, mas pode reservar o quiser no Mónaco e boa sorte

      Cumprimentos

RESPONDER

Não são só os humanos. Até os cães-guia podem vir a ser substituídos por robôs

A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) não ameaça apenas automatizar o trabalho dos humanos. Os cães-guia, que ajudam pessoas com deficiência visual a navegar com segurança pelo mundo, podem ser os seus próximos alvos. Uma equipa …

Laboratório investigado em Madrid depois de vídeo mostrar maus tratos a animais

Um laboratório em Madrid, Espanha, está a ser investigado por alegados maus tratos a animais, depois de uma inspeção confirmar as suspeitas de abuso filmadas por um antigo funcionário. O vídeo divulgado pela Cruelty Free International …

Equipa realiza primeiro transplante de traqueia do mundo. Pode reverter danos causados pela covid-19

Uma equipa de cirurgiões realizou o primeiro transplante de traqueia humana do mundo. A cirurgia foi feita numa mulher com graves danos no órgão, revelou o Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque. A recetora do transplante …

Em 2020, os mais velhos renderam-se aos "animais de estimação pandémicos"

Uma nova investigação revelou que as famílias com crianças não foram as únicas a aderir à tendência dos "animais de estimação pandémicos" em 2020. Os mais velhos também não resistiram. Segundo a National Poll on Healthy …

Tramado por uma turfeira. Homem confessa assassinato, mas corpo encontrado tinha 1600 anos

O que tinha tudo para ser um casamento feliz, acabou em tragédia. Num estranho caso em que uma simples planta ditou o desfecho de uma investigação criminal. Em 1959, a retratista e entusiasta de viagens Malika …

"Projeto Bernanke". Google terá usado programa secreto para dar vantagem ao seu sistema de anúncios

A Google terá usado durante anos um programa secreto que usava dados de lances anteriores na bolsa de publicidade digital da empresa para dar ao seu próprio sistema de compra de anúncios uma vantagem sobre …

Para "proteger a verdade histórica", Rússia divulga documentos que revelam atrocidades nazis em Stalingrado

O Ministério da Defesa da Rússia divulgou documentos desclassificados que detalham atrocidades cometidas por soldados e oficiais nazis durante a II Guerra Mundial. A divulgação destes documentos, que foram publicados no site do Ministério da Defesa …

Espanha. Funcionários públicos podem trabalhar três dias em casa sem perder direitos

O Governo espanhol e os sindicatos de funcionalismo público chegaram, esta segunda-feira, a um acordo que prevê que os trabalhadores da Administração Pública podem trabalhar três dias por semana em casa com os mesmos direitos …

Rara coleção de um dos primeiros fotógrafos da História vai a leilão nos EUA

Quase 200 imagens de um dos primeiros fotógrafos da história, William Henry Fox Talbot, vão a leilão, em Nova Iorque, já este mês. A coleção de William Henry Fox Talbot será parte do leilão "50 obras-primas …

Em greve de fome, Navalny é ameaçado ser alimentado à força. Ativistas falam em tortura

O opositor russo Alexei Navalny afirmou hoje na rede social Twitter que as autoridades penitenciárias estão a ameaçar alimentá-lo à força para quebrar a greve de fome que mantém na prisão desde 31 de março. “Ele …